Agronegócio
Compartilhar

Comissão de Meio Ambiente debate geração de energia com dejetos

Reunião tratou das vantagens financeiras e ambientais do uso dos efluentes de criações de animais e as normas envolvidas no processo

FAEP - 30 de maio de 2022, 21:53

Divulgação/FAEP
Divulgação/FAEP

A destinação de dejetos de animais para a geração de energia elétrica nas propriedades rurais foi o tema principal da reunião da Comissão Técnica (CT) de Meio Ambiente do Sistema FAEP/SENAR-PR, nesta segunda-feira (30). As tecnologias envolvidas nesse processo, as normas ambientais que devem ser seguidas pelos produtores e um espaço para os participantes tirarem dúvidas e darem sugestões também integraram a programação. O evento foi realizado de forma virtual e contou com a participação de lideranças rurais de diversas regiões do Paraná.

“Há investimentos altos sendo feitos no Estado, e a questão ambiental é um aspecto crucial para a liberação de novos empreendimentos. O Paraná já é uma referência na produção de alimentos dentro de parâmetros sustentáveis. Já fizemos muita coisa, mas temos ainda um caminho pela frente para consolidarmos o selo de que os produtos agropecuários que saem do território paranaense estão de acordo com todas as exigências ambientais nacionais e internacionais”, apontou o presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette.

O presidente da CT de Meio Ambiente, José Carlos Colombari, reforçou a importância de se investir em sustentabilidade, de modo a aumentar a produtividade e a eficiência das atividades rurais. “Tudo que for fazer no campo, temos que, primeiro, pensar na questão ambiental. Digo isso por experiência própria, já que na minha propriedade estamos na terceira geração dando continuidade ao trabalho que meu pai começou. Hoje, temos diversificação produtiva [agricultura, bovinocultura de corte, suinocultura e avicultura] e com os dejetos e o biodigestor temos aliado a isso a autossuficiência em eletricidade”, compartilhou.

Palestras

José Dilcio Rocha, engenheiro químico pesquisador da Embrapa Territorial, em Campinas [São Paulo], ministrou a palestra “Uso de dejetos animais: problemas, soluções e perspectivas com foco ambiental”. Rocha fez um apanhado geral sobre um estudo de caso realizado em Jose Dilcio Rocha, no Oeste de Santa Catarina, no qual foram usadas imagens de satélite para definir o potencial para produção de energia com o uso de dejetos, instalação de painéis fotovoltaivos e coleta de água da chuva. Questões como o Programa Renova PR, o inventivo ao uso sustentável de biogás e biometano, a biodigestão na suinocultura e o uso de sistemas de inteligência artificial também foram tratados pelo palestrante.

Representantes do Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Turismo (Sedest), participaram da reunião para esclarecer dúvidas a respeito de legislações e licenças ambientais. A diretora de licenciamento e outorga, Ivonete Coelho da Silva Chaves, e a engenheira agrônoma Rossana Baldanzani, ambas do IAT, falaram sobre instruções normativas, resoluções e legislações que regulamentam o uso de dejetos de diferentes animais nas mais variadas atividades.