Estufa melhora a produção de mudas nativas no Paraná

Mariana Ohde


O viveiro florestal do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) em Fernandes Pinheiro, no Centro-Sul, recebeu quinta-feira (6) uma nova estufa que vai melhorar a quantidade e qualidade das mudas nativas produzidas para a recomposição florestal na região. A estufa de 288 mil metros quadrados tem capacidade de receber de 250 mil a 300 mil mudas por ano e é fruto de uma parceria entre o IAP ambiental e a Klabin, indústria de celulose.

A empresa investiu R$ 75 mil por meio de um termo de cooperação com o Instituto, como forma de compensação pela retirada de 245.234 mudas de espécies nativas que servirão para recuperar 138,16 hectares de área de influência do projeto Puma, até julho de 2018. A recomposição florestal é uma condicionante do licenciamento ambiental emitido pelo IAP para a ampliação da empresa.

“Nós tínhamos a opção de comprar as mudas do mercado, mas preferimos adquirir as que são produzidas e distribuídas gratuitamente pelo IAP e, em contra partida, construímos algo em beneficio da estrutura para melhoria na produção das mudas e encerrar esse ciclo. A empresa ganha, o órgão ambiental ganha e a população também com uma estrutura dessa. Eu acredito que esse é um exemplo que deve ser seguido para outros empreendimentos que vem por aí”, explicou Julio César Nogueira, gerente corporativo de Meio Ambiente da Klabin.

Para o presidente do IAP, a parceria entre as instituições mostra que o desenvolvimento sustentável é possível. “Esse trabalho feito aqui mostra que é possível suprimir floresta e, depois, recuperá-la. É preciso sempre buscar soluções para que seja possível explorar e também recuperar, e é o que estamos fazendo aqui em parceria com a Klabin, o maior investimento privado do País”, afirma Luiz Tarcísio Mossato Pinto, presidente do IAP.

Recuperação

O viveiro florestal era o único do IAP que não tinha estufa. Com o investimento, o órgão poderá melhorar o atendimento principalmente aos agricultores da região para a recuperação ambiental na região.

“Com a regularização ambiental das propriedades rurais previstas no Cadastro Ambiental Rural (CAR), a produção poderá crescer para atender a demanda dos produtores que precisarem recuperar suas áreas no Programa de Regularização Ambiental” disse a diretora de Restauração e Monitoramento Florestal do IAP, Mariese Cargnin Muchailh.

Pertencente ao escritório regional do IAP de Irati, o viveiro produz mais de 30 espécies nativas da região bioclimática, que são distribuídas gratuitamente para interessados principalmente na recuperação ambiental de áreas degradadas. Entre as espécies produzidas no viveiro está a araucária, bracatinga, cedro rosa, erva-mate e ipê amarelo.

Políticas públicas

O Paraná foi o primeiro estado a produzir mudas de espécies florestais nativas para entregar gratuitamente a pessoas que desejam recompor o meio ambiente.

O trabalho de produção de mudas é feito no Paraná desde a década de 1970, pelos extintos Fundação Instituto de Terras e Cartografia (ITC) e Instituto de Terras, Cartografia e Florestas (ITCF), anteriores a criação do IAP.

A distribuição das mudas visa atender principalmente pequenos produtores que buscam restaurar ou recuperar matas ciliares, reservas legais, adensamentos florestais, áreas degradadas e outros. Só em 2016, esse trabalho garantiu o atendimento do Instituto a 1,3 mil pessoas que plantaram 1,1 milhão de mudas para recompor áreas degradadas ou para o repovoamento florestal de espécies nativos em suas propriedades rurais e até mesmo em áreas urbanas, em todo o Estado. Atualmente, o IAP possui 19 viveiros com capacidade para produzir até 10 milhões de mudas por ano, e dois laboratórios de sementes que coletam e armazenam mais de 80 espécies florestais nativas do Paraná.

Saiba como adquirir mudas nativas

Quem estiver interessado em receber mudas nativas deve entrar no site do IAP e clicar no ícone “Requerimento de Mudas Nativas”, ou diretamente no site  e fazer o cadastramento.

Após preencher e enviar os dados, os requerimentos passam pela análise do IAP e, uma vez aprovado o pedido, o requerente recebe um e-mail informando o viveiro que irá atendê-lo.

O solicitante deve imprimir duas guias do requerimento e levar até o viveiro para retirar as mudas e, claro, plantar.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="1563" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]