“O Brasil voltou”, afirma Temer ao inaugurar o abatedouro de peixes no Paraná

Jordana Martinez

Palotina, 20-10-17.Foto: Arnaldo Alves / ANPr.

Redação com assessorias

O presidente Michel Temer participou, nesta sexta-feira (20), da inauguração do abatedouro de peixes da C.Vale Cooperativa Agroindustrial, em Palotina, no oeste do Paraná. A fábrica é considerada o maior abatedouro de peixes do país, que tem a meta de abater 75 mil tilápias por dia até o final de 2018.

A solenidade reuniu milhares de pessoas, entre cooperativistas, clientes e fornecedores da cooperativa no Brasil e no exterior. Em pronunciamento, durante o evento, Michel Temer comemorou a retomada da economia e parabenizou os trabalhadores do agronegócio, que tem sustentado o PIB brasileiro.

“Quando eu digo que o Brasil voltou, eu digo da exportação que caiu a patamares suportáveis, eu digo dos juros que caíram… essa multidão de entusiastas da C.Vale, entusiastas do Paraná, entusiastas do Brasil, agora eu digo que o Brasil voltou”, disse.

O presidente da C.Vale, Alfredo Lang, destacou a importância do momento, pela presença do presidente Michel Temer na solenidade de inauguração –  o primeiro a visitar Palotina foi José de Alencar, na condição de presidente interino, em 1995. “É um dia histórico para a sociedade cooperativista.” – e também pela entrega do empreendimento. “É histórico porque estamos inaugurando um abatedouro de peixes com uma tecnologia inovadora, o primeiro desse nível tecnológico no Brasil, com a participação de oito países. É o que há de mais avançado em termos de qualidade e produtividade no mundo, ou seja, buscamos o que havia de melhor no Planeta”, assegurou.

O governador do Paraná, Beto Richa, elogiou a iniciativa da C.Vale e o exemplo de cooperativismo que o Paraná tem dado ao país: “É crise, é dificuldade, é falta de apoio… estão sempre trabalhando de sol a sol. Nós não vemos nunca os nossos produtores rurais de braços cruzados, lamentando as dificuldades que enfrentam. Costumo dizer que os produtores rurais, da porteira para dentro, fazem muito bem a sua parte. O problema é da porteira para fora, onde historicamente tem faltado poder público apoiando esse setor que tem salvo, em todas as crises, mantendo o Brasil em pé. Tem salvo historicamente a balança comercial brasileira, mantendo o superavit”, disse.

O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, citou a C.Vale como exemplo de cooperativa, que lidera o desenvolvimento da região onde está inserida. “A função da C.Vale e, por extensão, do cooperativismo é organizar economicamente os seus associados para que tenham mais renda e, assim, conquistem uma melhor e permanente condição social. E dessa forma irradiem a prosperidade para toda a região onde estão presentes”, destacou, ao acrescentar que as cooperativas representam quase 60% da produção agropecuária estadual.

Ricken afirmou também que “as regiões que, do ponto de vista socioeconômico, vão mal é porque ainda não descobriram a força transformadora da cooperação”. E citou o exemplo dos investimentos da C.Vale na agroindustrialização com indutor do progresso no estado e, por extensão, no Brasil. No estado, as cooperativas de todos os ramos, que faturaram R$ 70 bilhões em 2016, têm mais de 1,4 milhão de cooperados e geram perto de 85 mil empregos diretos. O investimento previsto para este ano é de cerca de R$ 2,3 bilhões.

Maior abatedouro de peixes do Brasil

A indústria da C.Vale tem 10.012 metros quadrados e deverá abater 75 mil tilápias/dia até o final de 2018. O empreendimento vai significar a abertura de 450 postos de trabalho. A cooperativa investiu R$ 110 milhões no abatedouro, que começou a ser construído em dezembro de 2016.o maior abatedouro de peixes do Brasil. O novo empreendimento deve fortalecer a piscicultura de água doce no estado. A nova unidade tem como meta abater 75 mil tilápias por dia até o final de 2018.

Em processo de expansão, a piscicultura tem sido uma aposta de empresários do agronegócio no Paraná. A pioneira no ramo foi a cooperativa Copacol, que, em 2008, investiu em um dos maiores complexos integrados de peixes do país, instalado no Município de Nova Aurora.

Segundo o presidente da C. Vale, Alfredo Lang, com o novo abatedouro, a região Oeste do Paraná deve se tornar a maior unidade de processamento do país, chegando à capacidade total, que será de 600 mil peixes por dia.

“Nós estabelecemos uma meta de 75 mil e devemos concluir isso no ano que vem. Na sequência, queremos ir para 150 mil e de 150 mil para 300 mil e de 300 mil para 600 mil. Este que estamos fazendo hoje é o maior e mais moderno abatedouro de peixes do país, com esse volume que estamos começando”.

A estrutura física que está sendo construída, de 10.012 metros quadrados, foi construída com tecnologia suíça, norte-americana e brasileira, e terá capacidade de produção de 200 toneladas por dia. Ela foi construída para permitir a triplicação da produção apenas com a instalação de novas máquinas.

A C.Vale ainda não tem previsão de quando o abatedouro vai alcançar a capacidade máxima de processamento.

 

Previous ArticleNext Article
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.
[post_explorer post_id="6609" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]