Agronegócio
Compartilhar

Exportações de ovos crescem 33,5% em maio no Brasil

O Paraná se destaca no segmento de ovos, sendo o segundo maior produtor do país, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Redação - 21 de junho de 2022, 10:55

Foto: Divulgação/ABPA
Foto: Divulgação/ABPA

As exportações de ovos aumentaram 33,5% em maio no Brasil. Ao todo, foram exportadas 628 toneladas no período, contra 470 toneladas em maio de 2021. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (20) pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

O levantamento considera o volume de exportações de ovos in natura e processados. Em receita, houve elevação de 138,6%, com US$ 1,9 milhão em maio deste ano, contra US$ 797 mil no quinto mês do ano passado.

Já no acumulado do ano, entre janeiro e maio, foram exportadas 6.188 toneladas, número 21,1% maior que as 5.108 toneladas exportadas nos cinco primeiros meses de 2021. Em receita, houve incremento de 59,3%, com US$ 11,1 milhões em 2022, contra US$ 7 milhões em 2021.

“O setor de ovos vem incrementando sua presença internacional ao longo dos últimos anos. O desempenho registrado nos cinco primeiros meses de 2022 é o maior registrado desde 2016. Além de gerar divisas para o Brasil, o aumento das exportações é uma contramedida ao quadro desafiador imposto pelos custos de produção”, avalia o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

Os Emirados Árabes Unidos seguem como principal destino das exportações brasileiros do insumo, com 6,9 mil toneladas exportadas em 2021, que correspondem a 50% do volume exportado ano passado. Em seguida estão Japão e Omã, conforme a ABPA.

As vendas de ovos para o mercado internacional, considerando todos os produtos, totalizaram 11,3 mil toneladas em 2021. O número superou em 81,5% o total exportado pelo Brasil em 2020, quando foram embarcadas 6,2 mil toneladas para o mercado externo.

O Paraná é o segundo maior produtor de ovos do país, atrás apenas de São Paulo. Entre janeiro e dezembro de 2021, o estado produziu 358,2 milhões de dúzias do produto, 9% do total nacional, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). A maior parte da produção nacional é voltada ao mercado interno (cerca de 98%).