Subsídio cria rastro de bioenergia na Itália

FAEP


Nas últimas duas décadas, os subsídios fornecidos pelo poder público criaram um rastro de investimentos em energia renovável na Itália. De Norte a Sul do país que fez parte da última etapa da viagem técnica organizada pelo Sistema FAEP/SENAR-PR, propriedades rurais apostam na construção de usinas de biogás e outras formas de bioenergia para viabilizar o negócio. E, inclusive, segurar os herdeiros no campo, problema também enfrentado no Brasil.

Uma linha de financiamento específica para produtores de até 30 anos disponibiliza 50 mil euros, dependendo do projeto, a fundo perdido.

O subsídio estatal, literalmente, evitou que a Fazenda La Bellotta, em Turim, fechasse as portas. Após trabalhar no vermelho entre 1998 e 2010, em função da doença Vaca Louca que atingiu em cheio a pecuária europeia, a propriedade de 400 hectares investiu 5 milhões de euros na construção de uma usina de biogás, com capacidade para dois megawatts – atualmente produz metade – e duas plantas fotovoltaicas.

Leia a reportagem completa.

 

Previous ArticleNext Article