Suinocultura registra perda de rendimento no PR

FAEP


O resultado do trabalho permite a identificação dos custos de produção de suínos nas diversas modalidades de produção encontradas no mercado: Crecheiro (unidade que recebe leitões desmamados e recria até a terminação); UPL (unidade de produção de leitões até a saída da creche); UPD (unidade de produção de leitões até o desmame); UPT (unidade que recebe leitões da UPD ou crecheiro e executa as fases de crescimento e terminação para o abate) e ciclo completo (unidade que executa todas as fases da criação, desde a produção de leitões até a terminação para o abate).

Destaca-se ainda o sistema de produção chamado de Comodato, no qual a empresa integradora ou cooperativa fornece ao produtor os animais, alimentação, produtos veterinários e assistência técnica. O produtor torna-se um fiel depositário destes bens, em especial as matrizes e reprodutores, e fica responsável pelo manejo da criação.

De modo geral, neste levantamento, observou-se redução nos custos quando comparados com o levantamento anterior, realizado em abril deste ano. A redução também foi percebida nos preços pagos aos produtores. Porém, diferente do que vinha sendo observado, desde os levantamentos de abril de 2016 em que houve aumento da rentabilidade da atividade, neste momento, a queda nos preços pagos pelos animais foi maior do que a redução nos custos, resultando em perda de rentabilidade.

Cada modelo de produção, respeitadas suas características produtivas e relacionamento com a empresa integradora, apresenta resultado distinto. Resumidamente pode-se dizer que o sistema Crecheiro foi o único em que há cobertura dos custos variáveis nas três regiões levantadas e o sistema UPD, na região Sudoeste, é o que obteve os melhores resultados (R$ 7,17 por animal).

Leia mais sobre o levantamento do custo de produção aqui.

Os números detalhados com todos os dados dos levantamentos estão no site do Sistema FAEP/SENAR-PR (www.sistemafaep.org.br), no link Serviços.

Previous ArticleNext Article