Técnicas sustentáveis no processamento dos frutos dos cafezais

FAEP


Os produtores de café do Norte Pioneiro têm investido em produtos especiais para ampliar a renda e garantir seu espaço no mercado. Mas essa mudança tem apresentado um desafio: o que fazer com os efluentes gerados com as novas técnicas adotadas no processamento dos frutos dos cafezais?

Nesta entrevista ao Boletim Informativo, o engenheiro agrônomo Leonardo Sanchez, diretor da Aceres Consultores, da Costa Rica, na América Central, explica como o seu trabalho tem dado respostas a essa e outras perguntas sobre como os cafeicultores podem produzir melhor e de forma sustentável para garantir novos mercados.

Boletim Informativo – Qual é o principal foco do seu trabalho no Norte Pioneiro do Paraná?

Leonardo Sanchez – Estou trabalhando nos últimos três anos com o tratamento de águas residuais. Trabalho em toda a América Latina para desenvolver ferramentas que permitam produzir café com responsabilidade ambiental. Quando se fala no café “cereja descascado” (leia mais na página seguinte), ele necessita de água e essa água gera resíduo depois do processamento. Esse é o nosso foco, produzir café de alta qualidade com pouca água e no final tratar tudo adequadamente de forma a não gerar um problema ambiental.

Leia e entrevista completa.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="6571" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]