Litoral do Paraná se destaca na produção de banana

Fábio Kiil - BandNews FM Curitiba


O Paraná é um dos maiores produtores de frutas do Brasil e no Litoral do Paraná, o destaque é a bananicultura, desenvolvida por cerca de 400 famílias moradoras da localidade de Cubatão, no município de Guaratuba. São 3 mil hectares dedicados ao cultivo da banana. A produção anual chega a 96 mil toneladas e representa um ganho de 65 milhões de  reais por ano.

A Engenheira Agrônoma, Elaine Cristine Estólfi Corrêa é bananicultora há 12 anos. Ela herdou o interesse pela cultura do pai dela, que produz bananas há 30 anos. Juntos com outras 70 famílias eles integram a Associação Pró-Agricultura Sustentável de Guaratuba. Elaine é responsável técnica da Associação e fala da importância do cultivo para a economia do Estado.

“Guaratuba é o município com a maior produção de banana do estado. A nossa produção de banana seria suficiente, de acordo com a média brasileira de 7kg per capita, para alimentar o estado todo e ainda sobraria para outro estado. Os produtores começaram a investir mais na qualidade e produtividade, porque a concorrência com a banana importada seria bastante complicada, porque eles utilizam insumos e venenos que nós não podemos utilizar”, explicou.

Em Guaratuba, as variedades mais produzidas são a caturra e a prata. O frio rigoroso, o custo dos insumos e a competitividade do mercado são alguns dos desafios enfrentados pelos agricultores de Guaratuba.

“Em 2018, a gente continua com a super safra. Apesar da qualidade estar boa, ainda o consumo está baixo. Para piorar a situação o custo dos insumos aumentou demais, porque o dólar aumentou muito. A gente já está esperando uma queda de qualidade e uma queda na produtividade pelo menos aqui no sul. Em Guaratuba, pelo fato de estarmos dentro de uma área de conservação, precisamos utilizar técnicas mais saudáveis”, afirmou.

A crise que atingiu o Brasil a partir de 2012 também prejudicou a produção de bananas. Mesmo com a produção constante, o consumo caiu. Para a representante dos produtores, o preço da banana comercializada com o agricultor não chega ao consumidor final, inibindo ainda mais o consumo. Há variedades que são vendidas pelo agricultor a 1,40 o quilo e chega ao mercado custando 3,50 o quilo.

“As vezes a gente tá com uma quantidade muito acumulada, não conseguimos escoar e precisamos jogar fora, porque o preço bom não chega no consumidor. Então estamos em conversa com os supermercados para fazer com que o consumidor seja beneficiado com os preços baixos da roça também”, disse.

Para ampliar o uso da produção e evitar o desperdício, os produtores de banana de Guaratuba vendem as FRUTAS que seriam descartadas para fábricas de Santa Catarina. Uma produz polpas que são exportadas para o Japão e a outra fabrica alimentos para o mercado interno.

Outra parte da produção que é descartada é vendida para zoológicos. A nutricionista Carolina Lens lembra que a banana é uma ótima fonte de energia e é rica em Potássio, substância que ajuda no tratamento da fraqueza muscular, câimbras e formigamento.

“Fácil de levar, é só descascar ela e comer. Não precisa de nenhum outro utensílio, só descascar e descartar a casca. Também é bem utilizada na gastronomia, já que uma banana bem madura pode ser utilizada como substituta do açúcar em uma preparação culinária”, ressaltou.

A banana é a fruta mais popular do mundo, com produção anual de 70 milhões de toneladas. O Brasil é o terceiro maior produtor de banana do mundo, ficando atrás de Índia e Equador. No ranking nacional, o Paraná está entre os dez principais fornecedores.

Previous ArticleNext Article