Comissão Técnica aborda conquista do status de área livre de aftosa sem vacinação

FAEP


A ser iniciada em maio, a campanha de vacinação contra a febre aftosa deve ser a última no Paraná. O Estado está prestes a conquistar o status de área livre de aftosa sem vacinação, com o fim de um processo de cuidados sanitários iniciado há décadas. As atualizações sobre o tema foram anunciadas durante reunião da Comissão Técnica de Bovinocultura de Corte da FAEP, realizada na sede da Federação, nesta terça-feira, dia 16.

“Na visita a Londrina, o governador [Carlos Massa Junior] deixou claro que o Paraná não vai abandonar o trabalho que está sendo feito. Não é porque tem um pequeno setor que advoga contra que vamos adiar essa questão, que vai implicar em desenvolvimento e reconhecimento internacional para o nosso setor”, disse o assessor da diretoria da FAEP, Ronei Volpi.

Segundo Volpi, após a última etapa de vacinação, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) deve efetivar a suspensão de campanhas futuras, por meio de uma Instrução Normativa – o que deve ocorrer em setembro. “Com isso, se fecham as fronteiras do Estado. No ano que vem, faz-se a sorologia necessária para o reconhecimento pela OIE [Organização Mundial de Saúde Animal]”, apontou Volpi.

O assessor da diretoria da FAEP também apresentou os resultados das últimas auditorias feitas pelo Mapa no sistema de sanidade do Estado. Conforme já mostrou o Boletim Informativo da FAEP, o Paraná é a unidade da federação mais bem avaliada, superando os parâmetros definidos pelo próprio Ministério. Em 48% dos quesitos e alcançou a pontuação necessária em 35%. Apenas dois pontos demandaram atuações, o que já está em andamento.

“Estamos nessa batalha já algum tempo. É um trabalho de todo o setor produtivo. A gente tem trabalhado para a constatação da nossa sanidade e que temos protocolos em casos de emergência”, acrescentou o presidente da Comissão Técnica de Bovinocultura de Corte da FAEP, Rodolpho Botelho.

Outros temas

Além disso, a programação da reunião da Comissão Técnica inclui uma apresentação sobre pastoreio rotatínuo (uma técnica de manejo de pastagens) e uma palestra sobre as perspectivas para o Paraná se tornar um exportador de gado vivo (principalmente a países árabes e sul-africanos). Além disso, o técnico da FAEP Guilherme Souza Dias vai falar sobre o Programa Pecuária Moderna.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="612437" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]