Produtor do Oeste retoma atividade da apicultura após curso do SENAR-PR

FAEP



Em 2016, o produtor Ramiro Natal Cechelero, de Mercedes, na região Oeste, se sentia “muito agoniado”. O motivo era um problema de coluna que o impedia de trabalhar no campo. Condenado ao marasmo do sofá, ele decidiu fazer um curso para ocupar o tempo. A opção escolhida foi o Programa Empreendedor Rural (PER), iniciativa do SENAR-PR que tem como objetivo preparar a família rural paranaense para o voo do empreendedorismo, ensinando a confeccionar um plano de negócio, levando em conta o mercado no qual está inserido, suas potencialidades e pontos vulneráveis.

A princípio, o produtor buscou o PER com objetivo de elaborar um plano para a correção de solo em 20 hectares da sua propriedade, voltados ao cultivo de soja e milho. Porém, o aprendizado serviu de base para outro empreendimento, desta vez mais pessoal, envolvendo uma atividade pela qual Cechelero tem grande interesse: a apicultura.

“Como eu já tinha mexido com caixa de abelha, pensei em fazer um projeto para ampliar a produção. O curso foi muito bom. Aprendi que a gente tem que ter tempo para planejar, o que eu fiz. Estava só com cinco caixas. Hoje já estou com 50 caixas”, comemora o produtor, que já tirou 500 quilos de mel este ano.

Cechelero conta que, desde os 17 anos, já trabalhava com abelhas. Mas, com o tempo, a atividade foi ficando em segundo plano até que nos últimos dez anos produzia apenas para o consumo próprio. Veterano na atividade, ele domina todas as etapas do processo, desde a confecção das caixas para capturar os enxames, construídas com medidas diferentes das habituais, de modo a evitar furtos. “Se roubam uma das minhas fica fácil descobrir onde estão”, explica.

Há anos, a lida com as abelhas já foi objeto de outro curso do SENAR-PR. Na bagagem, Ramiro ainda leva um curso de aplicação de agrotóxicos e outro de manejo de solos, ambos do SENAR-PR. “Para mim foi muito bom, recomendo a todos que façam”, orienta.

Sua esposa, Marli Salete Cechelero, também participa das atividades do SENAR-PR. Em 2017, um ano depois do marido, ela também fez o PER. “No começo ela foi na marra, mas depois gostou. O projeto dela foi na área de mel e ampliação da lavoura”, conta o companheiro, que aos poucos vai introduzindo sua cara metade nos mistérios da apicultura. “Ela já entende bastante, sabe o que é rainha, filhote e geleia real”, conta. Para o futuro, ele adianta que pretende fazer um novo curso de apicultura, desta vez na companhia da esposa, para atualizar os conhecimentos.

A ajuda virá em boa hora. Para o ano que vem Ramiro tem planos de dobrar a produção de mel. “Estamos pensando em começar a mexer na reprodução dos enxames, mas só lá por setembro”, conta o produtor, que sabe da importância de planejar os próximos passos.

Leia a matéria completa no Boletim Informativo.

Previous ArticleNext Article