O Paraná da início ao combate à ferrugem asiática da soja

CBN Curitiba


No dia 15 de maio, o Paraná da inicio ao combate à ferrugem asiática da soja. Nesta data termina o prazo para colheita e a dissecação da soja com o objetivo de preparar as áreas de cultivo para o vazio sanitário, período no qual é proibido semear ou manter plantas de soja vivas no campo.

A medida visa reduzir a sobrevivência do fungo causador da ferrugem asiática e evitar a possibilidade de ocorrência da doença durante a safra. No Paraná, o vazio sanitário ocorre no período de 10 de junho a 10 de setembro, sendo 9 de junho o prazo final de eliminação das plantas vivas nas propriedades rurais.

Atualmente a ferrugem asiática é considerada a principal doença da soja devido à rapidez com que se dissemina nas plantas e seu potencial destrutivo. O clima úmido e temperaturas amenas se favorecem ao desenvolvimento do fungo que se propaga facilmente pelo vento e pode incidir em qualquer estágio da cultura.

Dependendo da intensidade e severidade da doença os danos podem causar perdas de produtividade de até 90%, por isso em um período de 90 dias, nenhuma planta de soja deve existir nas lavouras paranaenses. De acordo com dados do Consórcio Antiferrugem, a doença possui um custo médio de 2,8 bilhões de dólares por safra no Brasil, incluindo métodos de controles e prejuízos com perdas, o Paraná é um dos estados que mais sofrem com a ferrugem asiática no país.

A divisão de aviação agrícola da Embraer atingiu a marca de 37 aviões Ipanema vendidos até o final do mês de Abril, o que representa um aumento de 48% em relação às 25 aeronaves comercializadas em todo ano de 2020. A alta acompanha uma tendência de crescimento que vem ocorrendo no setor nos últimos anos.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="764611" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]