Paraná deve colher 25,5 milhões de toneladas de grãos na safra verão

Redação

Paraná deve colher 25,5 milhões de toneladas de grãos na safra verão

O Paraná deve colher 25,5 milhões de toneladas de grãos na safra verão 2021/2022, volume 9% superior ao do ciclo passado, quando foram colhidas 23,3 milhões de toneladas.

Os números foram divulgados nesta quinta-feira (23), no relatório semanal do Deral (Departamento de Economia Rural), órgão vinculado a Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

No ciclo 2021/2022 deve ser cultivadas uma área de plantio de 6,2 milhões de hectares, 1% maior em comparação ao último período.

“Podemos ter uma safra maior do que em 2020, mas as condições desfavoráveis em parte do Estado podem comprometer o potencial de algumas culturas”, explica o chefe do Deral, Salatiel Turra.

“Se o clima colaborar, a produção pode chegar a 21 milhões de toneladas”, continua o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

Analisando as principais culturas da safra verão, a soja tem 3% da área estimada de 5,6 milhões de hectares já plantada – equivalente 186 mil hectares.

Mesmo com o plantio adiantado em comparação com a safra passada, os hectares cultivados no ciclo 2021/2022 está abaixo da média histórica do Paraná.

Mas os produtores estão otimistas de um ciclo melhor que os últimos anos, embora as regiões de Toledo de Cascavel sigam sem chuvas significativas, prejudicando o desenvolvimento do ciclo.

A expectativa é que sejam colhidas 20,96 milhões de toneladas de soja no Paraná na safra 2021/22, volume 6% superior ao ciclo passado.

“Neste ano, o produtor está com um comportamento mais conservador com relação à venda. No mesmo período do ano passado, mais de um terço da safra já havia sido comercializada”, explica o economista do Deral Marcelo Garrido.

Em setembro do ano passado, a soja estava cotada na casa dos R$ 122,00 pela saca de 60 kg, enquanto na última semana o valor estava orçado em R$ 157,00, um aumento de 29%.

Já o milho primeira safra teve semeados 187 mil hectares, 45% da área total prevista de 420,1 milhões de hectares, sendo 2% das lavouras a campo estão em condições médias e 98% em boas condições.

Assim como a soja, diversas regiões produtoras de milho primeira safra também sofrem com faltas de chuvas. Mesmo assim a produção está estimada em 4,11 milhões de toneladas, 32% superior ao volume da safra passada.

Os preços do milho estavam cotados em R$ 50,00 a saca de 60 kg em setembro do ano passado, enquanto na última semana o valor da saca de 60 kg estava em R$ 84,00, registrando aumento de 68%.

LEIA MAIS: Saiba quem é o engenheiro e servidor que assume a Saúde durante quarentena de Queiroga

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="792119" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]