Paraná deverá liderar produção de carnes, prevê especialista

AEN

carne exportação

Os próximos 10 anos projetam avanços na agropecuária brasileira e paranaense consolidando o Brasil como grande fornecedor de alimentos para o mundo. Produtos como soja e milho devem se manter na liderança da produção porque não há substitutos para eles nos próximos anos.

O mercado de carnes vai impulsionar o PIB da agropecuária e o Paraná tem forte tendência de se firmar como grande produtor de carnes bovina, suína e de frango.

A projeção é do especialista da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques, que esteve em Curitiba nesta quarta-feira (17) para falar sobre as projeções para o setor agropecuário brasileiro para os próximos 10 anos. Gasques participou de evento na Secretaria da Agricultura a convite do secretário Norberto Ortigara e do diretor do Departamento de Economia Rural (Deral) Salatiel Turra. Técnicos da Seab e de outros órgãos estaduais e federais participaram da palestra onde foram apresentadas as principais tendências para o cenário agropecuário brasileiro e paranaense até o ano de 2028/29.

Para Ortigara, o Brasil e o Paraná são importantes produtores de alimentos e estão ficando cada vez melhor posicionados no cenário mundial. “Para crescer precisamos de qualificação cada vez maior do produtor rural, de políticas adequadas e capacidade de leitura dos vários cenários, de desenho de políticas consistentes, de direcionamento com visão estratégica e planejamento”, afirmou o secretário.

Segundo Gasques, o Paraná, junto com o Mato Grosso, lidera a produção de grãos no Brasil. “Em primeiro lugar, temos o Mato Grosso na produção de milho e soja, devido à dimensão do Estado, e portanto é o líder natural”, disse. Segundo ele, o Paraná tem grande destaque na produção de grãos porque é um Estado que usa muita tecnologia. “Apesar de as propriedades serem de menor dimensão, a produtividade é alta e consequentemente a produção é alta também”, afirmou.

Mas o Paraná vem se tornando cada vez mais importante também na produção de carnes e leite, destaca o técnico do Ministério. Basta ver que, dos R$ 74 bilhões previstos para o Valor da Produção do Paraná este ano, R$ 20 bilhões correspondem à produção de frango. “Essa expansão da produção animal vai trazer muito valor agregado e certamente vai gerar muito emprego, uma vez que a maior parte dessa atividade é feita no âmbito da agricultura familiar”, afirmou.

No período de 10 anos, precisamente a partir da safra 2018/19 até a safra 2028/29, Gasques projeta um crescimento das atuais 240 milhões de toneladas de grãos produzidas no País para cerca de 300 milhões de toneladas. As projeções indicam que a região Sul do País e o Centro-Oeste vão liderar a maior parte desse crescimento.

O Paraná deverá avançar de uma produção média de soja das atuais 23,3 milhões de toneladas, para 28,9 milhões de toneladas na safra 2028/29. Considerando as duas safras de milho, o Estado avança de uma média de 17,6 milhões de toneladas de milho, na safra 2018/19, para cerca de 27,4 milhões de toneladas na safra 2028/29.

Na produção de carnes, o Paraná deve passar das atuais 26 milhões de toneladas para 33 milhões de toneladas, segundo estimativas do técnico do Ministério da Agricultura.

Previous ArticleNext Article