Paraná deve ter safra de grãos 10% superior no ciclo 2021/2022

Redação

Paraná deve ter safra de grãos 10% superior no ciclo 2021/2022

O Paraná deve registrar uma colheita de 25,61 milhões de toneladas de grãos em uma área de 6,2 milhões de hectares na safra verão 2021/2022, número 10% superior ao registrado no ciclo passado.

Os números foram divulgados nesta quinta-feira (25), em boletim mensal do Deral (Departamento de Economia Rural), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

A expectativa de crescimento se deve pela regularidade das chuvas na maior parte do Paraná, auxiliando na reta final da semeadura dos grãos.

“A expectativa de produção aumentou em quase 300 mil toneladas em relação ao que se esperava no mês de outubro”, explicou o secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara.

Na safra verão devem ser produzidas 20,98 milhões de toneladas de soja, 6% a mais do que no ciclo anterior, e 4,2 milhões de toneladas de milho, 35% a mais que em 2020/2021.

Atualmente o plantio do milho verão está praticamente encerrado no Paraná, com uma produtividade esperada de 9.750 quilos por hectare, levemente abaixo do recorde de 10 mil quilos.

A cotação do milho atualmente apresenta o valor de R$ 76 pela saca de 60 kg, número 12% superior ao registrado pelos produtores em novembro de 2020 e 61% maior do que a média no ano passado.

Já o cenário da soja também apresenta condições positivas, mesmo com o excesso de chuvas registradas no último mês. Atualmente foram semeados 5,47 milhões de hectares, 97% do total estimado para a safra verão.

Das lavouras semeadas, 95% estão em boas condições e 5% em médias condições. Esses números podem ser revisados durante o mês de dezembro, porque algumas regiões produtoras como a Oeste, Sudoeste e Norte precisaram replantar alguns campos.

A cotação da soja está atualmente cotada a R$ 152,00 para a saca de 60 kg, valor 3% superior ao registrado em 2020, mas em comparação com o mês passado o número apresenta ligeira queda, cotada anteriormente em R$ 155,00.

“Estamos na torcida para que a safra corra bem, que façamos a colheita na época certa e, com isso, o calendário permita uma boa instalação, especialmente da segunda safra de milho, importante para o abastecimento interno, para recompor estoques e manter custos sob controle”, finalizou Ortigara.

LEIA MAIS: Pedágio: confira dicas de segurança e tire dúvidas sobre o fim das concessões

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="806310" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]