Escolas estaduais recebem 75 toneladas de carne bovina

Mariana Ohde


As 2,1 mil escolas da rede estadual de ensino começaram a receber a segunda remessa de carne bovina para a merenda escolar. Nos próximos dias serão entregues 75 toneladas de carne bovina (patinho) em cubo a todas as unidades de ensino. No final do mês de maio as escolas estaduais vão receber a segunda remessa, contendo peito de frango.

Para garantir a qualidade dos alimentos que integram a merenda escolar, o governo do Paraná faz um rigoroso controle dos itens, como os testes de rotina que garantem o nível adequado dos produtos da alimentação do estudantes.

O Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar), responsável pela alimentação escolar, esclarece que se houver qualquer inconformidade, o produto é recusado. Eventuais fornecedores que não entreguem o produto em conformidade são suspensos e ficam proibidos de contratar com o poder público.

O investimento anual para a aquisição dos gêneros alimentícios congelados, que inclui as carnes de frango, bovina, suína e filé de peixe, é superior a R$ 22 milhões.

Este ano o governo destinará ao todo cerca de R$ 100 milhões para a aquisição de alimentos da merenda. O investimento é parte do Programa Estadual de Alimentação Escolar, que prevê refeições com cardápio diversificado, de forma que os estudantes tenham todos os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento.

A lista de alimentos entregues anualmente às escolas contempla mais de 150 itens, divididos em três grupos: produtos não perecíveis, entregues entre quatro e cinco vezes por ano; alimentos congelados (carnes e peixes), entregues a cada 15 dias; alimentos da agricultura familiar, que são encaminhados semanalmente às escolas, por serem perecíveis; além dos ovos, cuja entrega é contínua ao longo do ano letivo.

O processo de classificação dos fornecedores está em fase de conclusão. A entrega está prevista para o mês de maio. Os alimentos oriundos da agricultura familiar compreendem 12 grupos que incluem frutas, hortaliças e pinhão, legumes, tubérculos, temperos, leite, lácteos (queijos, iogurte entre outros), panificados, carnes, sucos, complementos (geleias e doces), feijões e cereal.

A Secretaria de Estado da Educação já iniciou a entrega de 1,5 mil balanças de precisão para auxiliar as equipes de cozinha a medirem a quantidade e peso exato dos alimentos, evitando desperdícios e garantindo que os pratos tenham o valor nutricional adequado às necessidades dos estudantes. O investimento é de R$ 1,7 milhão.

Operação Carne Fraca

A Operação Carne Fraca, deflagrada no dia 17 de março para investigar um esquema de fraude na fiscalização da produção de carnes por 21 frigoríficos – 18 deles no Paraná – apurou, entre as irregularidades, a venda de carne fraudada para a merenda escolar da rede estadual. Porém, teria sido identificado apenas um caso isolado em que a marca Souza Ramos forneceu salsichas de peru fabricada com outras carnes. A Souza Ramos é uma marca da Central de Carnes Paranaense, que perdeu o SIF como consequência das investigações.

Em nota, o frigorífico afirmou, na época, que colaborou “no que foi possível” com as investigações. A empresa afirmou atender as exigências de qualidade e que é importante “que se desvincule a ideia de que todas as empresas investigadas pela polícia, de fato adulterem e/ou burlem a lei, e sim fazem parte da investigação pois necessitam dos serviços do Mapa”.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="1811" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]