Vacinação contra febre aftosa já começou: Paraná vacina animais com até 24 meses

Mariana Ohde


A vacinação contra a febre aftosa começa nesta segunda-feira (1) em 22 estados e no Distrito Federal. A meta do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é imunizar 198 milhões de bovinos e bubalinos durante todo o mês. O número representa mais de 90% do rebanho do país, de 217,5 milhões de cabeças.

Todos os animais devem ser vacinados, exceto os dos rebanhos do Acre, Espírito Santo, Paraná e São Paulo, que nesta etapa vão imunizar apenas animais com até 24 meses.

Parte dos estados do Amazonas e do Pará, além de Rondônia e Roraima, já começou a imunização entre março e abril.

Segundo o diretor do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Mapa, Guilherme Marques, os pecuaristas deverão buscar a maior cobertura vacinal possível para que o Brasil cumpra todas as ações previstas no Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA). “A retirada gradual da vacina vai começar somente a partir de 2019. Até lá, todo o cronograma segue inalterado”.

No Amazonas, a vacinação será feita em Guajará e Boca do Acre, partes dos municípios de Canutama e Lábrea. No Pará, serão todos os municípios, exceto Faro, Terra Santa e arquipélago de Marajó. Em Rondônia, que começou a imunização em 15 de abril, a campanha vai até 15 de maio.

Vacinação no Paraná

No estado, há duas etapas de vacinação. A primeira etapa, realizada neste mês de maio, tem como foco apenas os bovinos e búfalos de até 24 meses. A comprovação da imunização deve ser feita até o dia 31 deste mês. Ela pode ser feita de duas formas:

  • Nas Unidades Locais de Sanidade Agropecuária do Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), com duas vias do comprovante de vacinação, a atualização cadastral obtida no momento da compra da vacina e a nota fiscal.
  • No site da agência, com o cadastro da venda pelo revendedor da vacina e a comprovação da aplicação pelo site.

Sem a comprovação, o produtor pode pagar multa e ficar proibido de transportar animais.

Apenas a partir de novembro os demais animais devem ser imunizados na segunda fase da vacinação. Assim, os animais com até 24 meses são vacinados duas vezes ao ano e os acima de 24 meses, apenas uma vez.

Vacina

São os próprios produtores que devem comprar a vacina em casas agropecuárias, segundo orientação da Adapar. Ao comprar a vacina, o produtor deve obter a Nota Fiscal de compra da vacina e o Comprovante de Vacinação e Atualização Cadastral. A dose da vacina é de 5 ml para todos os animais, independente do peso e tamanho.

Recomendações da Adapar

  • Sempre conservar a vacina em local resfriado, na geladeira ou caixa isotérmica com gelo; nunca expor ao sol. Somente transportar a vacina da loja agropecuária até a propriedade em caixa isotérmica com gelo, mantendo-a refrigerada até o momento da aplicação.
  • Aplicar a vacina com agulhas e seringas bem limpas e desinfetadas para evitar contaminações (antes de usar, deixe a seringa e agulhas em água fervente por 10 minutos). Agite bem o frasco antes de usar. Aplique com calma a vacina nos animais.
  • A dose a ser aplicada é de 5 ml, para todas as idades, tamanho e peso do animal. Essa é a dose correta, nunca aplique menos do que essa dosagem.
  • Aplicar a vacina na tábua do pescoço, via subcutânea ou intramuscular. Evite aplicar no posterior (“traseiro”) do animal que é região de carne nobre.
  • Realizar a vacinação o quanto antes, não deixando para os últimos dias da campanha.
  • E também não deixar para comprovar nos últimos dias.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal