Caminhos da Exportação: Paraná é o quarto maior exportador

Mariana Ohde


Com o Brasil enfrentando uma série de instabilidades políticas e econômicas, vender para outros países tem sido uma alternativa para muitos empresários. E, para os paranaenses, o momento é ainda mais positivo: segundo os últimos dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), o estado é o quarto maior exportador do Brasil. Depois de quatro anos consecutivos na quinta colocação, o estado superou o Rio Grande do Sul e subiu no top 5.

Mas as vantagens de investir na exportação não se resumem aos novos mercados: exportar também torna a empresa mais competitiva aqui, no Brasil.

“[A empresa] passa a competir com concorrentes que precisam se manter atualizados tecnologicamente, você precisa manter seu modelo de negócio muito atualizado, dentro daquilo que o mercado pratica”, explica Reinaldo Tockus, superintendente e gerente do Centro Internacional de Negócios do Paraná (CIN-PR).

Reinaldo ressalta que a estratégia pode ajudar a empresa a manter a qualidade dos produtos e serviços e a busca constante por inovação. “Da mesma forma como nós estamos buscando mercados internacionais, players internacionais, concorrentes estrangeiros, também estão de olho no mercado nacional e podem vir, a qualquer momento, tirar a sua fatia de mercado. Então, quanto mais você conseguir se manter atualizado, tanto tecnologicamente quanto no modelo de negócio, mais sobrevida vai ter a sua empresa”.

Foto: Fiep

Foto: Fiep

E segundo o economista Evânio Felippe, este é um bom momento para investir nas exportações. “É um bom momento para exportar considerando a comparação das perspectivas de crescimento da economia brasileira com o aumento das exportações paranaenses neste ano. Enquanto as projeções do mercado apontam para um crescimento de 0,5% do PIB [Produto Interno Bruto] em 2017, as exportações totais do Paraná acumularam um crescimento de 15,96% até julho deste ano”, explica.

Uma oportunidade que vem ganhando a atenção: de acordo com dados da CIN-PR, em 2016, 225 empresários participaram do programa de capacitação para a exportação do órgão. Em 2017, de janeiro a julho, este número já subiu para 248.

Paraná exportador

A atividade de comércio exterior paranaense terminou o ano de 2016 com um saldo positivo na balança comercial de US$ 4,078 bilhões, crescimento de 65,8% em relação ao ano de 2015. Em 2016, as exportações somaram US$ 15,171 bilhões e em 2017 já chegam a US$ 10,724 bilhões.

Já em 2017, contabilizando os resultados obtidos até julho, o saldo da balança comercial já ultrapassou o ano passado inteiro, chegando a 4,216 bilhões. O valor também é quase o dobro do registrado em 2015, de US$ 2,46 bilhões.

Em 2017, de janeiro a agosto, o Paraná já exportou US$ 12,41 bilhões, o que representou um aumento de 17,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Balança comercial

Com isso, o estado perde apenas de São Paulo (US$ 33,5 bilhões), Minas Gerais (US$ 16,9 bilhões) e Rio de Janeiro (US$ 15,4 bilhões). No Sul, o Paraná foi o maior exportador, à frente do Rio Grande do Sul (US$ 11,63 bilhões) e Santa Catarina (US$ 5,711 bilhões).

Exportadores

Produtos

Em 2017, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), os produtos mais exportados em 2017 pelo estado são a soja (26,08%), pedaços de frango, (8,94%), resíduos de óleo de soja (5,44%) e automóveis (5,26%).

Produtos mais exportados

O grande destaque do estado é o agronegócio. Nos primeiros oito meses do ano passado, ele respondia por 74,97% do total embarcado pelo Paraná. Nesse ano, a presença ficou em 72,04%. De janeiro a agosto, foram US$ 8,94 bilhões em exportação de produtos do agronegócio, 12,5% mais do que no mesmo período do ano passado.

Graças à supersafra desse ano, as exportações de soja – principal produto – aumentaram 23,3% de janeiro a agosto – para US$ 3,2 bilhões.

A carne de frango in natura seguiu na segunda colocação entre os principais produtos enviados ao exterior pelo Paraná. Foram US$ 1,56 bilhão, 10,1% mais do que nos primeiros oito meses de 2016. Outros destaques foram as exportações de açúcar bruto, com avanço de 21,8% (US$ 627,6 milhões) e óleo de soja bruto com 22% mais na mesma base de comparação (US$ 324,07 milhões).

Entre os automóveis, o destaque foi o aumento das exportações de automóveis, principalmente para a Argentina. De janeiro a agosto, a receita de exportações de automóveis somou US$ 653,4 milhões – 89% mais do que nos primeiros oito meses de 2016. Os embarques de autopeças cresceram 52,5%, chegando a US$ 186,13 milhões, e de veículos de carga aumentaram 56,8% -atigindo US$ 294,5 milhões.

Também aparecem nas exportações produtos menos representativos, mas com crescimento significativo, entre eles extratos, essências e concentrados de café, que tiveram crescimento de cerca de 132% entre janeiro e julho de 2017 em comparação com o mesmo período de 2016. Também se destacam o mel natural (127%)  e couros (285%).

Países

Segundo dados da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), o mercado da China é o principal país comprador do Brasil – com participação de 28,49%, segundo Secex. A maior movimentação é no comércio de soja, carnes e miudezas e pastas químicas.

Em segundo, destaca-se o mercado da Argentina (10,8%), com compras de automóveis de passageiros, automóveis para transporte de mercadorias e partes de acessórios de veículos produzidos no Paraná. Em terceiro lugar estão os Estados Unidos (4,64%), com destaque para o comércio de madeira perfilada, madeira compensada e obras de carpintaria para construção.

O quarto país com mais compras de produtos paranaenses é a Arábia Saudita (2,84%) e Holanda (2,72%).

PAíses

Neste ano, o Paraná ampliou embarques para seus principais mercados. Para a China, principal destino dos produtos paranaenses, o estado aumentou em 18,4% as exportações, para US$ 3,53 bilhões. Para a Argentina, foram enviados US$ 1,339 bilhão (44,9% mais) e para os Estados Unidos, US$ 575,15 milhões (alta de 12,4%).

Na próxima matéria da série Caminhos da Exportação, os primeiros passos para exportar.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal