Regulamentação deve impulsionar turismo na Rota dos Tropeiros

Mariana Ohde


Com Brunno Brugnolo, Metro Curitiba

Foi sancionada no último dia 27 de setembro a lei que regulamenta o turismo como atividade rural na Rota dos Tropeiros. O corredor histórico que passa por 22 municípios da região dos Campos Gerais foi criado em 2002 e incluído no calendário oficial do estado em 2012 para fomentar o turismo e divulgar a história paranaense.

Contudo, faltava a regulamentação para que os serviços oferecidos fossem amparados pelas leis de turismo rural o projeto deslanchasse. “Isto não faz com que a região, com enorme potencial histórico e cultural, tenha um turismo rural forte”, explicou o deputado Rasca Rodrigues (PV), autor do proposta junto com Anibelli Neto (PMDB).Turismo

Agora com a lei, os produtores rurais têm respaldo para oferecer hospedagem, exploração de vivência, organização de visitas e alimentação, por exemplo.

“Havia uma insegurança dos empreendedores de investirem na Rota dos Tropeiros, por não ser uma atividade regular. O amparo legal é um grande avanço, pois traz esta segurança e cria condições favoráveis para captação de recursos”, disse o presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes.

Fazem parte da Rota os municípios de Arapoti, Jaguariaíva, Tibagi, Piraí do Sul, Castro, Ponta Grossa, Porto Amazonas, Palmeira, Campo Largo, Balsa Nova, Contenda, Lapa, Mandirituba, Quitandinha, Tijucas do Sul, Agudos do Sul, Piên, Rio Negro, Campo do Tenente, Carambeí, Telêmaco Borba e Sengés.

Rota do Vinho

A Rota do Vinho, também formalizada em setembro, deve incentivar a produção no Paraná, desenvolver o turismo nas regiões produtoras e, principalmente, gerar emprego e renda.

A lei foi proposta pelos deputados estaduais Anibelli Neto, Chico Brasileiro e Maria Victória. Dos 36 municípios que fazem parte da Rota do Vinho, 12 estão no Sudoeste, nove no Oeste, seis na Região Metropolitana de Curitiba, dois no Sul, Centro-sul e Norte e um município fica no Noroeste.

De acordo com o presidente da Paraná Turismo, Jacó Gimennes, a lei chancela o potencial vitivinicultor e fortalece a modalidade de enoturismo no Paraná. “O Paraná ganha um instrumento para incentivar o turismo e apoiar o empreendedor para buscar mais qualidade nos serviços que oferece”, disse Gimennes.

O Paraná é o quarto maior produtor de uvas do país, atrás apenas do Rio Grande do Sul, São Paulo e Pernambuco. As uvas – de mesa e para processamento – representaram 3,9% do volume de frutas produzidas no estado. Francisco Beltrão (Sudoeste) é o maior produtor.

Com a lei, a Rota do Vinho será incluída no Calendário Oficial. “O fomento ao turismo é um processo contínuo e a lei é mais uma etapa para este fortalecimento”, afirmou o presidente da Paraná Turismo.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal