Porto de Paranaguá bate recorde de descarga de granéis sólidos

Redação

O Porto de Paranaguá registrou nesta quarta-feira (20) movimento recorde na descarga de granéis sólidos em um período de 24 horas. Foram descarregadas 41.305 mil toneladas de cevada e fertilizante entre às 7h da manhã de 19 de junho e às 7h do dia 20. Dados da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) mostram que o volume é 21,5% maior do que o último recorde, registrado em 2014, quando foram movimentadas 34 mil toneladas de fertilizantes em 24 horas.

Porto de Paranaguá ganha novo terminal automatizado

A movimentação recorde foi obtida com a descarga de cinco navios que operaram simultaneamente no cais comercial do Porto de Paranaguá, o que demonstra a versatilidade do Porto para atender os clientes. Os navios que contribuíram para a marca vieram da Argentina (cevada), Rússia, China, Estônia e Canadá (fertilizante).

De acordo com o secretário de Infraestrutura e Logística, Abelardo Lupion, o Porto de Paranaguá atingiu um novo patamar de movimentação. “Hoje o Porto de Paranaguá é um case de sucesso. Está preparado para o aumento na movimentação de cargas que ocorrerá nas próximas décadas e para continuar atendendo o agronegócio e a indústria de maneira exemplar”, afirmou Lupion.


Entre janeiro e maio de 2018, chegaram aos portos paranaenses 4,462 milhões de toneladas de granéis sólidos/importação. Deste total, 4,029 milhões de toneladas movimentadas são de fertilizantes. No período, destacam-se ainda na importação de granéis 125 mil toneladas de trigo, 112 mil toneladas de sal, 60,7 mil toneladas de malte e outras 134 mil toneladas de cevada.

Nos últimos anos, foram registrados recordes na operação de quase todos os produtos movimentados pelo porto, dinamizando e impulsionando a economia do Paraná.

Paranaguá é o maior e mais importante porto na importação de fertilizantes do país, com 9,5 milhões de toneladas desembarcadas anualmente. O montante representa mais de 35% de todo o fertilizante importado pelo Brasil.

“Este incremento é resultado de tudo que foi feito na infraestrutura terrestre, com mais armazéns, novos equipamentos, maior integração entre os modais rodoviários e ferroviários, além da evolução da estrutura marítima representada pelas campanhas de dragagem”, explica Fregonese.

O porto também fechou 2017 com a maior movimentação de cargas da sua história: 51 milhões de toneladas.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook