Paraná mantém previsão de 24,3 milhões de toneladas para safra de grãos de verão

Redação

Paraná mantém previsão de 24,3 milhões de toneladas para safra de grãos de verão

A Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento) divulgou nesta sexta-feira (25) o relatório mensal de acompanhamento da safra de grãos do Paraná.

O relatório apontou que a safra de grãos de verão 2020/2021 do Paraná deve manter a previsão inicial de 24,3 milhões de toneladas colhidas, mesmo com as dificuldades climáticas enfrentadas pelos agricultores do estado.

Segundo o Simepar, o Paraná enfrenta a maior estiagem dos últimos 100 anos.

Também foi mantida a previsão de colheita da safra de grãos de 2019/2020 em 40,8 milhões de toneladas. O Paraná deve encerrar essa colheita nas próximas semanas.

“O ideal seria seguir o zoneamento climático e com boa umidade do solo o produtor pudesse tranquilamente semear a soja e o milho. Mas a situação este ano reforça a necessidade que o produtor tem de fazer um plantio direto cada vez mais correto, de alta qualidade, guardando mais água no solo com proteção de palhada bem feita para não enfrentar problemas com o clima”, explicou o secretário estadual da Agricultura, Norberto Ortigara.

Observando as culturas, o plantio da soja foi feito em apenas 8% da previsão da área plantada no estado. A única região cultivada até o momento é a Sudoeste.

A previsão do Deral (Departamento de Economia Rural) é que o Paraná colha 20,4 milhões de toneladas, com os produtores optando pelo plantio acelerado no mês de outubro devido ao fenômeno La Niña, que impacta diretamente na falta de chuvas e no aumento da temperatura.

Mesmo com as incertezas climáticas, 37% da produção de soja já foi vendida com preços de R$ 127,00 pela saca de 60 quilos. A China segue como principal vetor no mercado internacional do produto, sendo o maior parceiro dos produtores de soja do Brasil.

Já o milho verão foi plantado em 34% da expectativa total dos produtores do estado. Até o final do ciclo, 360 mil hectares serão cultivados, sendo que o plantio já foi iniciado nas regiões de Ponta Grossa, Guarapuava e Região Metropolitana de Curitiba.

Muitos produtores preferem antecipar o plantio do milho verão para ganhar tempo na semeadura da safrinha, que nos últimos anos concentra a maior parte da produtividade da cultura no Brasil.

Confira os boletins da Seab para as demais culturas neste link

LEIA MAIS: Brasil adere a aliança para aceleração da vacina contra a covid-19

Previous ArticleNext Article