Análise mostra que sementes misteriosas recebidas por paranaenses contêm pragas

Redação

Análise mostra que sementes misteriosas recebidas por paranaenses contêm pragas

As sementes misteriosas que alguns paranaenses receberam contêm pragas que não existem no país, segundo análise do Ministério da Agricultura. No total, 47% das amostras já analisadas apresentaram risco sanitário ao país.

Desde setembro, quando foram registrados os primeiros casos, foram coletados 36 pacotes de origem asiática. As sementes misteriosas foram recebidas por moradores de 21 municípios do Paraná, sem que houvesse nenhum tipo de solicitação.  No Brasil, foram 258 amostras coletadas.

SEMENTES MISTERIOSAS COM PRAGAS COLOCAM EM RISCO AGRICULTURA BRASILEIRA

Em um dos pacotes, foi identificada a espécie Myosoton aquaticum, praga ausente no Brasil e com potencial para ser considerada quarentenária, ou seja, com risco de estabelecimento no país e de causar danos sanitários. Ela é considerada uma planta daninha nos campos de trigo da China.

De acordo com o Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas do Mapa, essa espécie apresenta resistência a herbicidas, o que torna seu controle difícil. A introdução dessa planta daninha no país pode ter impacto econômico negativo.

Em quatro amostras foram detectada uma espécie quarentenária ausente, a Descurainia sophia, que é considerada uma planta daninha nos Estados Unidos e Canadá, além de planta invasora no México, Japão, Coreia, Chile e Austrália.

Outras 15 amostras continham gêneros que tem espécies quarentenárias ou espécies com potencial quarentenário, como sementes de Cuscuta; de Brassica; de Chenopodium; de Amaranthus; e dos fungos Cladosporium; Alternaria; Fusarium; e Bipolaris.

“Após análises laboratoriais, pode-se avaliar que a introdução de material propagação (sementes ou mudas), mesmo em pequenas quantidades, sem atender aos requisitos fitossanitários e de qualidade estabelecidos pelo Mapa, coloca em risco a agricultura brasileira”, ressalta o diretor do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas, Carlos Goulart.

A lista de produtos com importação autorizada está disponível para consulta no endereço eletrônico: http://mapas.agricultura.gov.br/ddiv/arp/oracle/pvti2.asp.

DOIS MORADORES DO PARANÁ PLANTARAM AS SEMENTES

No Paraná, também foram registrados dois casos de pessoas que plantaram as sementes misteriosas, em Maringá e Londrina, na região norte e noroeste do Paraná. Segundo o gerente de Sanidade Vegetal da Adapar, há medidas específicas com relação às plantas eventualmente originadas do material importado.

“Quando isso ocorre, os fiscais têm ido ao local e coletado todas as plantas, incluindo raízes, substrato e amostra do solo”, diz. O material é encaminhado ao Centro de Diagnóstico Marcos Enrietti, laboratório da Adapar, onde serão feitas análises para identificar a eventual ocorrência de pragas.

“Também são realizados estudos a fim de possibilitar a identificação botânica do material, para indicar qual é a espécie da planta. Isso nos possibilitará saber se ela é daninha ou não”, acrescenta Renato.

Análise mostra que sementes misteriosas recebidas por paranaenses contêm pragas
Paranaenses plantaram sementes misteriosas de origem asiática (Divulgação/Adapar)

ORIENTAÇÃO

A Adapar orienta que os pacotes de sementes importadas não devem ser abertos, descartados e, muito menos, utilizados. Quem receber esse tipo de encomenda deve procurar uma unidade da Adapar mais próxima, ou do Ministério da Agricultura.

Também pode entrar em contato com a Adapar pelo telefone (41) 3313-4000 ou pelo Fale Conosco, disponível em www.adapar.pr.gov.br.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="730866" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]