áreas de restinga
Compartilhar

Araucárias serão preservadas em bosques municipais de Curitiba

Por Metro CuritibaA Câmara Municipal de Curitiba aprovou, nesta segunda-feira (7), a criação de um novo tipo de b..

Mariana Ohde - 08 de agosto de 2017, 06:59

Por Metro Curitiba

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou, nesta segunda-feira (7), a criação de um novo tipo de bosque municipal: os “BCBUs – Bosques de Conservação da Biodiversidade Urbana”. Eles deverão ter 70%, no mínimo, de vegetação do bioma “Floresta com Araucária” e poderão conter equipamentos de lazer dentro dos seus limites.

Os BCBUs existem desde 2011, quando a cidade ganhou o bosque o Santa Paula, no Santo Inácio. A seguir foram criados mais oito bosques, mas segundo a prefeitura, as áreas eram ‘informais’, não foram previstas em legislação, fato que criou a necessidade da nova regra. Os bosques são parecidos com as Reservas Particulares de Patrimônio Natural (RPPN), só que enquanto os BCBUs são públicos, as reservas são privadas. Em ambos os casos o objetivo principal é a preservação ambiental, mas são permitidos usos de lazer. Ontem até mesmo os vereadores da oposição elogiaram a iniciativa da prefeitura.

“É um projeto importante. Lembro também que precisamos criar a Estação Ecológica da Teresa Urban, no Alto Boqueirão. Ela foi criada no papel e precisamos agora que seja criada como unidade de conservação”, disse Goura (PDT). De acordo com um estudo feito pela prefeitura em 2014, a cidade conta com 70 áreas públicas de mata preservada que podem abrigar BCBUs.

Há nove bosques já criados: o Renato Cardoso, no Uberaba; o Santa Paula e Mina Do Ouro, no Santo Inácio; Mercúrio, no Cajuru; Vitória Régia e Paulo Roberto Biscaia,CIC; Ilha Bela no Campo do Santana e Ordem e Tatuquara, ambos no bairro Tatuquara.