Avatar

Ana Cláudia Freire

Jornalista - Chefe de Redação do Paraná Portal
motorista acidente contorno leste prf

Motorista embriagado causa acidente e deixa cinco pessoas feridas

Um motorista embriagado causou um acidente grave na madrugada deste sábado (09), no Contorne Leste, em Curitiba.

De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o motorista vinha em alta velocidade e acabou batendo na traseira de um outro veículo.

adcidente contorno leste prf
Divulgação/PRF

Cinco pessoas ficaram feridas no acidente. Uma mulher de 21 anos e uma criança de 9 ficaram gravemente feridas e outras três vítimas tiveram ferimentos moderados. Todas foram encaminhadas para hospitais da região.

O motorista que dirigia alcoolizado foi preso em flagrante.

dirceu josé

José Dirceu deixa penitenciária após decisão da Justiça do Paraná

O ex-ministro José Dirceu deixou o Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, na noite desta sexta-feira (8), após decisão da juíza substituta da 1ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, Ana Carolina Bartolamei Ramos. Dirceu estava preso desde maio deste ano na penitenciária.

A magistrada atendeu ao pedido de defesa de Dirceu e determinou a soltura imediata do petista.  Os advogados do ex-ministro entraram com a petição logo após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de derrubar a prisão em segunda instância, nesta quinta-feira (7).

Mais cedo o juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba, informou que a decisão sobre o caso do ex-ministro  era de competência da Justiça Estadual.

Por conta de um pedido de prisão preventiva expedido em 2017, e que foi aceito pelo pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o  juiz pediu para que o Ministério Público Federal (MPF) se manifestasse sobre a solicitação da defesa.

Porém, a defesa do ex-ministro contestou a decisão do juiz e alegou que um habeas corpus, que já havia sido julgado STF, revogou a ordem de prisão cautelar de José Dirceu.

A juíza Ana Carolina Bartolamei Ramos, entendeu que não havia fundamento para o prosseguimento da presente execução penal provisória e determinou a soltura imediata do réu. “No presente caso, restou observado que não há trânsito em julgado da condenação, tal como que esta teve início exclusivamente em virtude da confirmação da sentença condenatória em segundo grau, não existindo qualquer outro  fundamento fático para o início do cumprimento da pena, até porque houve a substituição das prisões preventivas decretadas em desfavor do executado, por decisão proferida pelo STF no Habeas Corpus nº 137.728, conforme informação extraído do mov. 57.1 destes autos“, afirmou em decisão.

O CASO

José Dirceu ficou preso no Paraná entre agosto de 2015 e maio de 2017. Em maio de 2018, depois de esgotados os recursos no TRF4 sobre sua primeira condenação, ele foi preso mais uma vez. Porém, no fim de junho, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter ele solto. Desde então ele cumpria pena em liberdade.
A Justiça Federal mandou prender o ex-ministro novamente em maio deste ano, após o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negar um recurso da defesa do ex-ministro, que pedia a prescrição de pena na segunda condenação dele na Lava Jato. O colegiado manteve a condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, de 8 anos, 10 meses e 28 dias. Em fevereiro deste ano, a defesa do ex-ministro já tinha tentado reduzir a pena imposta pela justiça, sem sucesso.

O ex-ministro foi condenado pela Operação Lava Jato no caso de corrupção da Petrobras, acusado de envolvimento no pagamento de propina em contratos superfaturados da petroleira com a empresa Apolo Tubulars, entre 2009 e 2012.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), foram repassado R$ 7.147.425,70 para Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, e parte a José Dirceu.  Para disfarçar o caminho do dinheiro, Dirceu e o irmão teriam usado a empresa construtora Credencial para receber valor de cerca de R$ 700 mil, tendo o restante sido usado em despesas com o uso de aeronaves em mais de 100 vôos feitos pelo ex-ministro.

O irmão de Dirceu, segue preso. Ele e Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, além dos sócios da construtora Credencial, Eduardo Aparecido de Meira e Flávio Henrique de Oliveira Macedo, são réus na mesma ação penal e também tiveram os embargos declaratórios negados.

Assalto Pien CEF CAIXA

Assalto violento na agência da CEF no Paraná deixa três pessoas feridas

Pelo menos cinco assaltantes fortemente armados, fizeram vários clientes e funcionários reféns, nesta sexta-feira (8), durante o roubo a Agência da Caixa Econômica, em Piên, na Região Metropolitana de Curitiba.

Segundo informações da Polícia Militar, três pessoas ficaram feridas.

Os ladrões entraram armados com fuzis, por volta das 11h, e efetuaram diversos tiros, dentro e fora do banco.

Segundo a PM, os clientes que estavam no local foram obrigados a formar um cordão humano do lado de fora.

VEJA O VÍDEO

Colaboração

O gerente do banco foi obrigado a deitar no chão e foi espancado. Ele foi levado pelos assaltantes em um carro. O homem foi liberado pouco depois.

Além dele um outro homem, ainda sem informações se é funcionário do banco ou cliente, foi baleado no rosto.

A terceira vítima seria o segurança da agência, que também foi levado pelos assaltantes. Ele teria ficado ferido ao pular do veículo em movimento.

Uma testemunha relata como foram os momentos de terror. Ouça:

 

Uma aeronave do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas ajudou inicialmente nas buscas.

Foram realizados patrulhamento e cerco das áreas rurais próximas. Depois disso, o helicóptero retornou para Piên para dar suporte ao resgate de uma das vítimas que levou um tiro no rosto.

O homem foi transportado até o Hospital Cajuru, em Curitiba.

Conforme a Polícia Civil, o carro utilizado pelos assaltantes foi encontrado no início da tarde incendiado em São Bento do Sul, em Santa Catarina.

ASSALTOS SÃO RECORRENTES

Desde o início do ano, pelo menos 15 agências bancárias foram alvo de assaltos no Paraná, de acordo com dados do Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região.

A cidade de Piên já esteve na rota dos bandidos no ano passado. Em outubro de 2018, três das quatro agências bancárias da cidade foram alvo de criminosos. Pelo menos 15 homens, fortemente armados, explodiram caixas eletrônicos durante a madrugada. Os assaltantes também jogaram miguelitos, ferramenta utilizada para furar pneus, em frente a corporação da Polícia Militar para impedir a saída de viaturas.

Na ocasião, ninguém ficou ferido.

coletiva zanin soltura lula stf

Defesa afirma que não há mais motivos para manter Lula preso nem mais uma hora sequer

O advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins, disse em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (08), que não há mais motivos para manter o ex-presidente Lula preso, nem mesmo por uma hora sequer.

“Pedimos que haja a expedição imediata do alvará de soltura porque que não há  respaldo jurídico, nunca houve, para manter o ex-presidente Lula preso uma hora sequer, sobretudo após o julgamento de ontem da Suprema Corte, não existe nada que possa mantê-lo encarcerado”. O advogado disse que ainda que espera celeridade no atendimento do pedido encaminhado para juíza Carolina Lebbos.

Zanin afirmou ainda que o ex-presidente está sereno e que a decisão do STF deu a ele uma esperança que se possa fazer justiça. Indagado sobre como seria a possível saída de Lula, a defesa disse que o foco agora é dar celeridade ao processo de soltura. Ainda segundo Zanin, a defesa aguarda os desdobramentos de maneira confiante e o próximo passo seria a declaração nulidade total do processo. “Os próximos passos sejam dados notadamente a declaração de nulidade de todo o processo  a partir do reconhecimento de suspensão do juiz Sérgio Moro”, afirmou.

A defesa chegou na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, por volta das 10h  e se reuniu com o petista para falar sobre a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que derrubou a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância.

Zanin entrou na PF sem conversar com a imprensa, mas respondeu com um aceno positivo aos apoiadores do ex-presidente quando foi perguntando por um deles se Lula sai ou não sai nesta sexta-feira. Cerca de 250 apoiadores de Lula estão no terreno da chamada “Vigília Lula Livre”, bem em frente à PF.

Zanin chegou pouco depois da presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann. Ontem completou um ano e sete meses que Lula está preso em Curitiba.

PEDIDO DE SOLTURA

Na noite de ontem (7), por meio de nota, ele e a advogada Valeska Martins afirmaram que após o encontro com Lula fariam o pedido para que haja a imediata soltura do ex-presidente.

Os presos não são soltos imediatamente após a decisão do STF. Cabe a defesa de cada um fazer o pedido pela ordem de soltura junto ao juízo.

Os defensores também afirmaram que a decisão do STF reforça que a prisão de Lula foi injusta e incompatível com a Constituição.

DECISÃO DO STF

Por 6 votos a 5, o STF decidiu, nesta quinta-feira (7), contra a execução provisória de pena de prisão após condenação em segunda instância. O novo entendimento afeta quase cinco mil presos, de acordo com dados do Conselho Nacional de Justiça. Entre eles, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo um levantamento do MPF (Ministério Público Federal), a mudança de entendimento do STF contempla 38 condenados em segunda instância no âmbito da Operação Lava Jato. O ex-ministro José Dirceu e ex-executivos de empreiteiras são alguns deles.

NAMORADA DE LULA COMEMORA

namorada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Rosângela da Silva, conhecida como Janja, comemorou a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). “Amanhã vou te buscar! Me espera!!”, escreveu Janja no Twitter.

Na publicação, a socióloga também usou as hashtags #onossoamorvencera #oamornosaproxima #teamoprasempre

LULA: PRESO HÁ 580 DIAS

Luiz Inácio Lula da Silva foi preso no dia 7 de abril de 2018 e cumpre pena na Superintedência da PF em Curitiba.

Ele foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso triplex do Guarujá (SP).

A primeira condenação foi feita pelo ex-juiz federal Sergio Moro, hoje ministro da Justiça, e a pena fixada foi de 9 anos e 6 meses de prisão. Depois, o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) aumentou a punição para 12 anos e 10 meses.

Por fim, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) fixou a pena em 8 anos e 10 meses.

Imóvel de Paulo Preto no Guarujá equivale a pelo menos três ‘triplex do Lula’, diz laudo.

No caso triplex, o ex-presidente foi acusado pela Operação Lava Jato de receber propina da OAS por meio da construção e reforma de um apartamento no Edifício Solaris, no Guarujá.

Ao todo, a suposta vantagem chegava a R$ 2,2 milhões e teria saído de uma das contas de propina destinada ao PT.

Em contrapartida, Lula teria agido para favorecer a OAS em contratos com a Petrobras.Além disso, Lula também já foi condenado, em primeira instância, em uma ação penal que tratava sobre propinas pagas por meio de reformas de melhoria em um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo.

Quase 100 homens agressores são presos em Curitiba por violarem medida protetiva

De janeiro até hoje,  a Guarda Municipal de Curitiba prendeu 94 homens agressores, com medida protetiva decretada pela Justiça, que violaram a condição e fizeram contato ou se aproximaram de suas vítimas.

A medida protetiva é um mecanismo legal concedido à vítima de agressão, que tem por objetivo manter vítima e agressor distantes. O agressor fica impedido de fazer qualquer contato com a vítima ou se aproximar dela, sob pena de ser preso em flagrante no caso de violação da medida.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 70% das vítimas de assassinato do sexo feminino foram mortas por seus maridos. A violência contra as mulheres é um fenômeno universal que atinge todas as classes sociais, etnias, religiões e culturas. Mais de 40% das violências resultam em lesões corporais graves decorrentes de socos, tapas, chutes, amarrações, queimaduras, espancamentos e estrangulamentos.

A Prefeitura de Curitiba desenvolve um trabalho de acompanhamento das vítimas de agressão  com visitas periódicas e orientação a elas, é desenvolvido por equipes da Patrulha Maria da Penha.

“Já as situações de emergência são atendidas pela viatura mais próxima, deslocada imediatamente após o acionamento pelo telefone 153, pelo Centro de Operações da Guarda Municipal”, explica o superintendente da Guarda Municipal, Carlos Celso dos Santos Junior.

LEI MARIA DA PENHA

A pesquisa do Conselho da Condição Feminina tem por base o cumprimento da lei nº 11.340/2006, popularmente conhecida como Lei Maria da Penha, e que prevê o enfrentamento da violência doméstica e familiar contra a mulher. Segundo estimativa da Anistia Internacional, pelo menos uma em cada três mulheres no mundo sofre algum tipo de violência durante a vida.

Antes da Lei Maria da Penha, a pessoa era apenas encaminhada para lavratura de Termo Circunstanciado (TC) ou pagamento em cestas básicas.

Principais tópicos da lei

– Prisão do suspeito de agressão;
– Violência doméstica passa a ser um agravante para aumentar a pena;
– Veta a substituição de pena por doação de cesta básica ou multas;
– Viabiliza o afastamento do agressor à vítima e seus parentes;
– Assistência econômica no caso da vítima ser dependente do agressor.

DENUNCIE

Paraná aumentou o número de registro de ocorrências de violência contra a mulher.

De janeiro a junho deste ano foram 26.228 ocorrências, contra 21.048 no primeiro semestre do ano passado.

São ocorrências de diversas naturezas, desde agressão verbal até lesão corporal, contra ambos os sexos, sempre dentro do ambiente doméstico.

Para denunciar basta se dirigir a uma das 20 Delegacias da Mulher, distribuídas por todo estado. Estes são os locais mais indicados para que vítimas de qualquer forma de violência doméstica possam buscar ajuda e orientação logo ao primeiro sinal de abuso.

Nas cidades onde não existe uma Delegacia Especializada, quem precisar denunciar qualquer tipo de abuso, casual ou recorrente, pode dirigir-se à Delegacia de Polícia Civil da localidade, ou ainda, fazer a denúncia pelos números 181 ou 180.

Já em casos de urgência e emergência, ou seja, no exato momento que a agressão esteja acontecendo, a orientação é que quem sofre, ou quem presencie o fato, ligue no 190, da Polícia Militar.

 

 

tempestades, granizo, vendaval, chuva, paraná, sudoeste, inmet, simepar, alerta, curitiba

Chuva intensa afeta bairros na Capital; Alerta de tempestades vai até quarta-feira em todo o PR

A chuva intensa chegou no meio da manhã em Curitiba.

O Bairro Alto e o Boa Vista  foram os bairros mais afetados pela chuva, segundo a Prefeitura de Curitiba.

A chuva veio acompanhada de ventos fortes e foram feitos atendimentos em vários outros bairros da cidade, por conta da queda de árvores e galhos.

Um novo boletim sobre bairros afetados pela chuva deve sair agora à tarde.

Desde ontem o Paraná está em alerta para tempestades.

De acordo com o INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), o alerta de perigo é válido até o início da madrugada de quarta-feira (06). Conforme o instituto, as tempestades podem vir acompanhadas de granizo e vendavais.

Ainda de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, também há risco de alagamentos, queda de árvores, corte de energia elétrica e estragos em plantações. Estão em estado de atenção os estados da região Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). Além disso, Mato Grosso do Sul e São Paulo também podem sentir os efeitos da massa de ar quente e instável.

alerta, alerta laranja, perigo, paraná, curitiba, tempestades, tempestade, chuva, chuvas, vendavais, vendaval, granizo, inmet, simepar
Reprodução/Simepar
controle

Saiba como o excesso de controle pode impedir o seu avanço

Você já deve ter ouvido que tudo vai bem, quando tudo está “sob controle”, ou submetido ao controle. Ao seu controle, pelo menos.

Nosso mundo ocidental nos diz o tempo todo que não podemos e nem devemos deixar as coisas fora do lugar. Precisamos controlar nossos pensamentos, nossos sentimentos, nossas emoções, nosso dinheiro, nossos filhos, cônjuges, amigos, colegas de trabalho, a vida doméstica, os estudos, enfim. Deus nos livre de perder o controle!

Sem controle, tudo parece estar confuso e sem direcionamento e logo somos tomados por uma sensação de insegurança. É possível então que associemos o controle, de qualquer ordem, ao fato de nos sentirmos seguros.

A propósito, ninguém gosta de ser pego de surpresa em uma situação que não estava prevista, não é mesmo? Causa desconforto, constrangimento e muitas vezes gera angústia. Então, para que?

O dicionário diz que “controle é a ação de controlar, de possuir domínio sobre algo ou alguém. Domínio de si mesmo; autocontrole. Capacidade de agir com moderação, comedimento”. Mas quanto disso é benéfico para a nossa saúde mental e desenvolvimento? Quanto desse controle é exatamente aquilo que nos adoece?

Quem aqui se lembra do filme “Click”, onde Adam Sandler interpreta um jovem pai de família que encontra a solução para seus problemas profissionais e familiares usando um controle remoto?

Quem viu sabe que a história não acaba bem e o que era para ser comédia termina em um drama (sensacional, diga-se de passagem).

Sem querer dar spoiler, mas o fato é que o personagem de Sandler resolve usar o controle remoto para acelerar o que de ruim acontecia na vida dele e desacelerar o que era prazeroso. Assim, ele podia escolher o que gostaria de viver mais ou menos, de acordo com a sua zona de conforto. Deu tudo errado. No fim ele percebe que ao querer controlar a vida, perdeu de literalmente de viver o que precisava ser vivido, com o que vinha de luz e de sombra. Perdeu de viver as relações que tanto nos fazem crescer através do compartilhamento das emoções e experiências vividas.

Qual a dose certa de controle?

Deixar o controle de lado é um exercício. O fato não é deixar tudo em desordem. Planejar, organizar e prever, são ações saudáveis e nos ajudam a manter rotinas em todas as frentes: na nossa vida pessoal, familiar e profissional. E sim, gera estabilidade e segurança.

O controle na dose certa está implícito nessas ações. O problema é quando exageramos e saímos do equilíbrio saudável entre deixar que as coisas aconteçam como precisam ser e querer que elas sejam do nosso jeito. Quando não são – e invariavelmente não são: frustramos.

Lá vem a dor, a insegurança, o medo, a angústia e a ansiedade. É uma lista infindável de sentimentos ruins que caminham de mãos dadas com a sensação de impotência diante das coisas.

Ou alguém aqui consegue controlar se um bebê vai nascer doente, ou se o carro do vizinho vai furar o sinal nas próximas horas, ou mesmo se um avião vai cair?

Quando consideramos que situações e ações estão fora da nossa zona de controle, aceitamos com mais facilidade aquilo que não está em nossas mãos decidir.

Você entra no avião, pode até ter medo, sentir um desconforto, mas você confia que o piloto vai colocar aquela montoeira de aço no ar e depois no chão. Do contrário, você nem faria o checkin.

Você confia que seu bebê vai nascer saudável, do contrário, pode ser que nem tentasse.

Você confia que os carros irão parar no sinal vermelho, do contrário, você pararia em todos os sinais de verde.

Aceitação é o melhor remédio para lidar com o descontrole da vida

Uma boa forma de combater o controle e não se sentir completamente vulnerável quando as coisas não saem como o previsto é através da aceitação.

Isso vale para pessoas, sentimentos, dores e desafetos. Quando você aceita pessoas e circunstâncias como realmente são, sem querer controlá-las, você finalmente relaxa e aproveita a jornada.

Se você precisa de agenda e várias listinhas para controlar a sua jornada e afazeres, pode continuar com elas. Faça como quiser, mas permita a fuga delas também. Quantas vezes você programou uma viagem, um passeio, a entrega de um trabalho e as variáveis que não estão sob o seu controle atrapalharam seus planos? E como foi que você reagiu a isso? Imagino que muitas vezes frustrado ou irritado com o resultado. Mas quanto desse final imprevisto poderia ter sido diferente?

Relacionamentos saudáveis exigem doses mínimas de controle

Relacionar-se bem é uma arte. Se o outro não corresponde ao nosso nível de expectativa, logo não estará no nosso controle. Costumamos manter relações aonde os nossos passos são milimetricamente calculados para que nos sintamos confortáveis e seguros. Mas no mundo as coisas não são assim.

Quando não damos conta de lidar com um colega de trabalho que compete além dos padrões éticos, com um subordinado que não entrega a tarefa no prazo, quando um filho não atende nossas demandas, quando um parceiro ou parceira não tem o mesmo nível de entrega que pretendemos da relação, perdemos o tal controle.

É quando entramos em conflito, quando “batemos de frente”, quando subimos o tom da conversa, quando usamos do autoritarismo e não da autoridade. Tudo porque não temos o controle da situação.

Novamente o antídoto está na aceitação. Aceitar que o outro tem sua limitação de entrega e saber com acolhimento e atenção orientar um filho no melhor caminho. Compreender, mesmo que seja desconfortável, o caminho agressivo que seu colega de trabalho escolheu para sobreviver ao mundo corporativo. Se posicionar sempre, mas com ternura e aceitação.

Alguns talvez encarem tudo isso como fraqueza, afinal de contas como aceitar erros alheios quando eles podem ter um reflexo negativo em nossas vidas. É eu sei, parece utópico, mas é possível e plausível.

A escolha vai ser sempre sua. Entre ter razão e promover a paz, prefira a segunda opção. Porque nunca, nunquinha nessa vida você será capaz de controlar pessoas, situações ou circunstâncias. Nem a você mesmo, sinto informar. Quantas vezes você se prometeu aquela dieta na segunda-feira? Ou uma lista de mudanças no dia 31, que no dia 1°não tinha mais sentido? Ouaquele hábito ruim que você já se prometeu para mil vezes?

Comece aceitando os seus erros, suas sombras seus tombos. Olhe para o lado e sinta empatia pelos erros, sombras e tombos alheios. Aceite o que é seu e devolva o que não é.

Exercite a sua capacidade de aceitação. Busque isso na meditação, no autoconhecimento, nas terapias, nos livros, aonde quer que faça sentido para você, mas comece já.

De todos os ditados populares, esse realmente faz todo o sentido: aceita, que dói menos!

Vinte vagões carregados de soja descarrilam em acidente grave entre duas locomotivas na Lapa

Um acidente grave entre duas locomotivas da Rumo Logística provocou o descarrilamento de vinte vagões carregados de soja, na madrugada desta segunda-feira (04).

O acidente aconteceu por volta das 03h15, na localidade de Laras, perto da empresa Potencial Biodiesel, no município da Lapa, região metropolitana da Curitiba.

Acidentr trem soja rumo logística lapa
Colaboração/Canal da Cidade

Apesar da gravidade do acidente, não houve vítimas e o Corpo de Bombeiros da região não precisou ser acionado.

Segundo a Rumo Logística, não houve danos ambientais e a empresa está desde cedo trabalhando para a retirada dos vagões dos trilhos.

As locomotivas seguiam em direção do município de Rio Negro.

Ainda segundo a Rumo, não há informações sobre as causas do acidente.

Museu de Ciências Forenses do IML do PR guarda histórias que só vendo pra crer

Entrar em um museu é sempre uma experiência cultural, um aprendizado. O acervo geralmente traz peças que remetem à cultura, como pinturas, gravuras, esculturas e obras de arte em geral. Mas o que esperar de uma visita ao Museu de Ciências Forenses do Instituto Médico-Legal?

Se você pensou que veria corpos cobertos por plásticos pretos está totalmente enganado. O Museu do IML, da Polícia Científica do Paraná, ligado à Secretaria de Segurança Pública, guarda histórias curiosas de pessoas que foram vítimas ou que cometeram algum crime. O museu ocupa uma das salas do novo prédio do Instituto Médico-Legal, em Curitiba, no bairro Tarumã.

Um breve passeio por lá e você vai encontrar evidências de crimes sem solução, corpos não identificados até os dias de hoje, órgãos humanos “em conserva”, armas usadas em homicídios e tantas outras curiosidades. O local, que recebe anualmente cerca de 3 mil pessoas, possui peças de caráter didático.

A maior parte do acervo é de peças que servem para orientar pesquisas de estudantes e profissionais das áreas da medicina, odontologia, direito, enfermagem e farmácia, por exemplo. Há vários exemplares de fetos, cadáveres mumificados, caveiras, ossadas e outros materiais relacionados ou resultantes de crimes, que estão ali dispostos e organizados com finalidade didática. Mas não é só, o Museu expõe máquinas e equipamentos antigos para o desenho de retratos falados, checagem de DNA, crematório de ossos para exames de tecido e por aí vai.

Curador do museu Joel Camargo: “o mais importante é o respeito”

CSI CURITIBA

Esqueça tudo o que você aprendeu nos filmes e séries sobre a polícia científica e medicina forense. A ficção é sempre mais atrativa, mas para quem precisa estar na rotina da tragédia que chega ao IML todos os dias, não tem nada do glamour dos filmes.

Joel Camargo é o curador do Museu de Ciências Forenses do IML e diz que para dar conta de toda essa atmosfera, que envolve necessariamente histórias tristes e de violência, pensa no que de bom pode ensinar através delas.

Joel trabalha no museu há muitos anos e diz que respeitar a história dos mortos e de seus familiares ajuda a lidar com a rotina. “O mais importante é o respeito. Eu tenho respeito por eles, eu converso com eles, eu ensino com eles. Cada vez que um jovem vem aqui, sai transformado e isso faz toda a diferença. Perceber como a vida é frágil e como, caminhos como o da droga, por exemplo, levam à violência. Faz com que eles parem para pensar”, afirma.

DO CIENTÍFICO AO BIZARRO

Feto E.T.

Mas é claro que além do acervo científico, muitas curiosidades estão ali expostas. No Museu do IML do PR você vai poder ver algumas peças bizarras e outras pitorescas.

Há poucos meses o museu recebeu um “feto” com cabeça do que seria um extra-terrestre. Isso mesmo que você leu. O feto em questão foi levado para análise por se tratar de algo fora do comum e por lembrar um “ser de outro mundo”. Análise feita e descobriu-se que o “feto E.T”, na verdade se trata de um boneco feito à mão, nos mínimos detalhes, que provavelmente teria sido usado num ritual de cunho religioso.

E o que dizer da caixa com centenas de peças íntimas de mulheres que foram vítimas de crimes sexuais nos anos 80 e 90? Cada uma delas representa um crime que foi investigado e solucionado pelas forças policiais. São provas, mas que com o passar dos anos, tornaram-se parte do acervo do museu.

PARAIBINHA – O “SERIAL KILLER”

Paraibinha, como é chamado no museu é um serial killer dos anos 70. Seu corpo nunca foi identificado. O que se sabe sobre ele é que foi um “assassino famoso” (apesar de nunca ter sido oficialmente identificado pela polícia – nesses casos a não identificação se dá pelo fato de não haver documentos e de não haver família reclamando o corpo) e de alta periculosidade, nos anos 70, na região de Morro Grande, em Campo Largo, região Metropolitana de Curitiba.

Barba, cabelo e bigode! Mistério de Paraibinha que a ciência não explica.

O corpo de Paraibinha está mumificado e exposto no museu assim como os corpos que de outros desconhecidos que foram para por lá. Apesar de sua morte no final dos anos 70, até hoje Paraibinha é um enigma – seu corpo continua produzindo pelos, mesmo estando mumificado, segundo o curador do Museu.

MISTÉRIO

Os cabelos continuam crescendo, o que exige cuidados diários de Joel. ele conta que precisa aparar o cabelo e a barbar de Paraibinha até os dias de hoje.

Bizarro, mas é verdade!

A explicação: ninguém sabe! Segundo Joel Camargo, não há explicação científica que explique o fato do crescimento de pelos e cabelos no cadáver mumificado, depois de décadas. “Não deveria crescer cabelo, são células mortas, mas está crescendo como se pode ver. Não temos explicação científica pra isso”, afirma o curador.

Paraibinha não tá só. Fred, outro cadáver mumificado, que também está exposto no museu, tem madeixas que crescem com o passar dos anos. Não identificado até hoje também, Fred, como foi apelidado pelos funcionários, morreu de causa natural em casa, no final dos anos 70. De lá pra cá, os cabelos nunca pararam de crescer e Joel precisa estar sempre aparando o corte.

Para a especialista em Entomologia Médica e Acarologia, a coordenadora do curso de Pós-Graduação em Ciências da Investigação Forense da Universidade Positivo, Karine Vairo, o que realmente acontece ali está mais ligado à nossa percepção. A professora explica que é impossível o crescimento dos cabelos e pelos em um corpo mumificado há tantos anos. Ela afirma que o mais provável é que, com a mumificação o corpo tenha desidratado e gerado um emagrecimento, dando assim a impressão de que há crescimento de cabelos e pelos. “O corpo quando mumificado acaba desidratando mesmo, acaba ficando mais magrinho, perde massa, volume. Isso dá uma impressão de que cabelos e barba crescem. Biologicamente não é possível que haja crescimento de barba e cabelos após a morte”, afirma a especialista.

BEBÊ PEDRA

Outra imagem que choca, mas que está exposta para fins educativos é a do “Bebê Pedra“. Conhecida cientificamente como Litopédio, se trata de uma ocorrência rara, com pouquíssimos registros no Brasil.

Normalmente, quando um feto morre ainda no corpo da mãe inicia-se um processo aonde o organismo materno envolve o feto com cálcio. Para evitar infecções o corpo da mãe começa a calcificar o feto ou a placenta e em pouco tempo o feto vira pedra. Ele pode ficar retido na cavidade abdominal da mãe por décadas.

Bebê Pedra – ocorrência é rara

FANTASMAS NO MUSEU?

Com tantas histórias de crimes e violência abrigadas no museu, não era de se estranhar que fenômenos estranhos acontecessem por ali. Joel diz que ele mesmo nunca viu nada. “Coloco sempre Deus na frente e nunca abuso. Converso com todos eles, com o maior respeito. Nunca vi, nem ouvi nada, mas também não quero ver”, conclui.

Mas não é o que dizem os vigias que fazem a guarda noturna do prédio. Alguns deles já relataram terem visto o espírito de Paraibinha caminhando pelos corredores do museu durante à noite. Para o curador, essa história do famoso serial killer é conhecida, mas espera nunca ver o fantasma do seu estimado cliente de corte de cabelo. ” Já ouvi de alguns vigias que o fantasma dele anda por aqui. Eu não quero nem saber disso, não quero ver. A gente não tá sozinho né? É bom respeitar os mortos”, diz Joel.

QUEM PODE CONHECER O MUSEU?

Somente grupos de profissionais e de estudantes de áreas afins à Medicina Legal podem fazer visitas marcadas às instalações, com guia especializado.

O acesso ao local é restrito e depende de agendamento prévio pelo telefone 3361-7200, opção 4 – Gabinete do IML.

As visitas são marcadas conforme disponibilidade de agenda.

O museu fica localizado na Rua Paulo Turkiewicz, 150, no bairro Tarumã, em Curitiba.

CONFIRA GALERIA DE FOTOS 

(Geraldo Bubniak/AGB)

 

bolsonaro moro abuso de autoridade

Sergio Moro pede à PGR para investigar denúncia feita contra Bolsonaro; TV Globo exibiu reportagem nesta terça (29)

O Ministro da Justiça, Sérgio Moro, a pedido do presidente Jair Bolsonaro, solicitou à PGR (Procuradoria Geral da República) para que fosse aberto um inquérito para investigar as declarações de um porteiro, do condomínio fechado no RJ, onde a família do presidente tem residências.

O porteiro teria citado o nome de Bolsonaro no caso da morte da vereadora Marielle Franco. Segundo os depoimentos prestados por ele, às autoridades policiais que investigam o caso, um dos suspeitos do assassinato da vereadora teria pedido autorização ao presidente Bolsonaro para entrar no condomínio, onde teria encontrado com outro suspeito do crime.

Moro encaminhou o documento à PGR, na manhã quarta-feira (30),  depois da divulgação da matéria no Jornal Nacional, na noite de terça-feira (29).

A reportagem da TV Globo conta que teve acesso ao livro de registro da  portaria do condomínio e que o livro aponta que Élcio de Queiroz, um dos suspeitos da morte de Marielle, esteve no condomínio e foi ao encontro de Ronie Lessa, tudo supostamente com a autorização do presidente Bolsonaro.

A reportagem mostrou ainda que neste mesmo dia, o presidente Jair Bolsonaro estava em Brasília cumprindo a agenda de deputado federal. O painel eletrônico da Câmara dos Deputados confirma a presença de Bolsonaro, no dia da visita de Queiroz  ao condomínio.

No documento assinado por Sérgio Moro e enviado à PGR, o ministro destaca que: “Oportuno lembrar que, na investigação do crime de assassinato em questão, foi constatado, anteriormente, espúria obstrução da Justiça, com a introdução de testemunha que fraudulentamente apontou falsos suspeitos para o crime. A tentativa de obstrução da Justiça só foi contornada com a atuação independente da Polícia Federal e que contribuiu para identificação dos reais suspeitos pela prática do crime em questão.  Esses atos configuram crime de obstrução à Justiça, falso testemunho e denunciação caluniosa do presidente, o que atrai competência da Justiça Federal e da Polícia Federal“, afirma Moro no documento.

Sergio Moro pede que PGR,  MPF e PF trabalhem juntos na investigação do caso que envolve o presidente.

PRESIDENTE RESPONDE MATÉRIA DO JN

Da Arábia Saudita, o presidente Jair Bolsonaro mostrou muita irritação em um ataque à Rede Globo e ao governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

O vídeo foi uma resposta à reportagem publicada no Jornal Nacional, da Globo. A matéria sugere que Bolsonaro autorizou a entrada de Elcio Queiroz, suspeito de matar a vereadora do PSOL, Marielle Franco, em seu condomínio, na Barra da Tijuca, no dia 14  março de 2018. A matéria foi baseada em um suposto testemunho de um porteiro.

Bolsonaro negou, dizendo que estava na Câmara Federal, em Brasília, onde consta sua presença no painel de parlamentares.