Avatar

Conteúdo patrocinado

Prazo para a inscrição na Olimpíada de Língua Portuguesa termina dia 19

Termina no próximo dia 19/08 o prazo para professores de escolas públicas indicarem os melhores textos e documentários produzidos por alunos para 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro. Em 2019 a competição, que já conta com mais de 170 mil inscrições, homenageia escritora mineira Conceição Evaristo. Produções devem ter como como tema “O Lugar Onde Vivo”. O envio do material deve ser feito pelo site do Programa.

Nessa edição, além das categorias poema, memórias, crônica e artigo de opinião, o gênero textual documentário foi incluído para alunos do primeiro e segundo ano do ensino médio. Entre as premiações, também passam a incluir imersão pedagógica internacional para os professores e viagem cultural em território brasileiro para os estudantes. As escolas dos alunos vencedores receberão como prêmio um acervo para reforço da biblioteca.

A competição é realizada pelo Ministério da Educação, em parceria com a Fundação Itaú Social e o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC). O objetivo é contribuir para a melhoria do ensino e da aprendizagem relacionada à leitura e escrita nas escolas de todo país.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Celebrado neste domingo, dia do Estudante provoca reflexões

Em geral, os dicionários definem a palavra “estudante” como a pessoa que estuda algo em algum estabelecimento de ensino. Entretanto, os significados para a palavra não cabem na potência do ser, em prática, estudante. Comemorado neste domingo, 11, o Dia do Estudante também nos remete para a reflexão do sentido transitório de ser aluno.

“Acredito que o ser estudante não é um processo rígido, que termina com as graduações. Ele acontece no dia a dia também. O ser estudante é um estado eterno de aprendizado. Posso aprender com os meus filhos, com meus pais, com minha esposa, por exemplo”, defende o psicoterapeuta Iaroldi Bezerra, 37 anos.

Para o profissional, que ressalta o sentido primordial de ser estudante – aquele que aprende em um ambiente educacional – a ação de ser aluno transborda os limites da sala de aula, também se estabelecendo entre dois ou mais indivíduos em qualquer situação onde haja troca de saberes, costumes e tradições.

“O espaço acadêmico é importante porque ele é o começo. É o começo da troca, onde hierarquicamente tem o professor e outra pessoa está ali para absorver. No entanto, não é uma nomenclatura habitual nas relações pessoais, neste ponto fica implícito. Então, ser estudante fora da escola é um conceito “invisível”, comenta Iaroldi.

Nesse sentido, pode-se compreender a vida como palco de significantes aprendizados constantes. A auxiliar administrativa Célia Benildes, de 58 anos, frequentou um ambiente de ensino somente até a quarta série. Mas, como ela mesmo diz não parou de aprender e, também, de ensinar. “A gente também aprende muito com a vida, não é? Eu creio que o conhecimento também é dar e receber aquilo que vivenciamos e colocamos em prática no dia a dia com as nossas experiências. Acho que na vida tudo é um aprendizado”, opina Célia.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

inglês

Olimpíada de Inglês acontece em setembro

Somente 5,1% da população brasileira na faixa etária de 16 anos sabe se comunicar em inglês. Esse dado, faz parte de um levantamento feito pela British Council e alerta para uma problemática: sem o inglês, crianças e jovens podem ficar sem acesso a oportunidades de trabalho, estudo ou conhecer outras culturas de países que tem o idioma como língua padrão.

Diante dessa estatística, a EduSim, startup de Nova York com sede no Brasil, em parceria com o Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed), a Embaixada Americana e a Nova Escola, realizará a primeira Olimpíada de Inglês. Os jogos acontecem em setembro, entre os dias 2 e 27 de setembro. As inscrições acontecem através do site da Olimpíada.

Os jogos vão levar conteúdo de inglês alinhados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) através da tecnologia de aprendizagem ChatClass, que funciona no WhatsApp. Além disso, por meio da ferramenta, os estudantes vão praticar a escrita, fala e escuta do idioma e os professores vão poder acompanhar o progresso de suas turmas.

A Olimpíada será composta de uma única fase. Os estudantes vão receber diariamente, através do ChatClass, exercícios que valem pontos e contarão ainda com atividades em grupo em que os professores podem realizar em sala de aula. Gratuita, a competição premiará professores e alunos do Ensino Fundamental 2 e Médio.

Agência Educa Mais Brasil

Já me formei pelo Prouni, posso conseguir outra bolsa de estudo pelo programa?

As bolsas de estudo do Programa Universidade para Todos (Prouni) são bastante disputadas por brasileiros todos os semestres. Afinal, com um mercado de trabalho exigindo cada vez mais profissionais qualificados, ter uma graduação no currículo pode aumentar, e muito, as oportunidades. Além disso, com uma bolsa Prouni, os estudantes podem pagar apenas 50% do valor das mensalidades, com as parciais, ou até mesmo ficar isento, se for selecionado nas bolsas integrais. Mas, depois de cursar uma faculdade com o Prouni é possível conseguir o benefício novamente? Essa é uma dúvida bastante comum.

Posso me graduar duas vezes com o Prouni?

De acordo com as regras do Prouni, o estudante pode participar do processo de seleção quantas vezes quiser desde que cumpra com os requisitos necessários estabelecidos pelo Ministério da Educação (MEC). Porém, depois que conseguir a bolsa integral ou parcial e concluir o curso, não será mais possível pleitear novamente o benefício. O Prouni é voltado para brasileiros que ainda não possuem um diploma universitário. Ou seja, mesmo quem se graduou sem o benefício ofertado pelo governo federal também não pode participar da seletiva para um segundo diploma.

Quem pode participar do Prouni

Para participar do Prouni é preciso atender aos critérios abaixo:

• Ter feito o Enem mais atual;

• Ter obtido média igual ou superior a 450 pontos no Enem;

• Ter obtido nota maior que zero na redação do Enem;

• Ter estudando o ensino médio em escola da rede pública ou;

• Ter estudado em escola particular na condição de bolsista integral da instituição;

• Ter renda per capita familiar máxima de três salários mínimos;

• Não ter diploma universitário.

Como conseguir uma bolsa de estudo para segunda graduação?

Quem deseja obter a segunda graduação pode conseguir uma bolsa de estudo por meio do Educa Mais Brasil. O programa de inclusão educacional, em parceria com diversas faculdades do Brasil, oferta descontos de até 70%. Para ser beneficiado não precisa ter feito o Enem e nem comprovar renda. Basta acessar o site do programa, escolher a modalidade graduação e filtrar pela cidade e curso de interesse e fazer a inscrição de forma gratuita.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Pais e responsáveis podem ser obrigados a comparecer nas escolas dos filhos periodicamente

Tramita no Senado Federal um projeto de lei que propõe que pais e responsáveis compareçam às escolas dos filhos ao menos uma vez a cada dois meses letivos a fim de acompanhar o processo educativo e de aprendizagem.

A proposta é de autoria do senador Jorge Kajuru (PSB/GO) e está em discussão na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) da casa, onde receberá emendas.

Caso os responsáveis legais não cumpram a obrigação, estão previstas sanções negativas tais como: deixar de receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de emprego ou função pública e de empresas paraestatais; proibição de participar de concorrências públicas e de obter empréstimos em bancos ou caixas econômicas federais ou estaduais.

Todas previstas no artigo 7º da Lei 4.737/1965. Coordenadora da Escola O Verbo, Ana Neves sinaliza que não há uma fórmula que aproxime famílias e escolas mas defende a conscientização dos país a respeito da importância do tema. “Essa aproximação é uma coisa que falta nas escola e os pais sempre tentam justificar isso. A gente realiza plantões pedagógicos e reuniões mas é difícil contar com a presença deles. E isso é algo bem negativo porque essa relação é fundamental para o bom desenvolvimento do aluno”, avalia.

Mãe de uma estudante da educação básica, Miraildes Sousa sempre acompanha a vida escolar e acredita que isto contribui para o rendimento da filha. “Ela se interessa ainda mais pelo aprendizado e isso ocorre de maneira mais eficaz quando eu estou presente. Por isso, frequento todas as reuniões de pais e mestres e procuro sempre ir à escola para saber do comportamento dela. E confesso que o feedback dos professores sobre ela é essencial para esse acompanhamento”, explica.

Por conta da obrigatoriedade, a proposta legislativa estabeleceu mecanismos de facilitação que incentivem a participação dos pais nas reuniões escolares. A primeira foi a alteração na Consolidação das Leis do Trabalho, para permitir a ausência do trabalho no período de participação nas reuniões escolares, e, em segundo lugar, atribuir às escolas a responsabilidade de promover visitas domiciliares, com apoio da comunidade. Especialmente neste último caso, o objetivo é tornar mais sólidos os laços entre os pais de alunos e os educadores.

A mesma se baseia no Projeto de Lei do Senado nº 189, de 2012, de autoria do Senador Cristovam Buarque que tramitou no Senado Federal até 2018, quando foi arquivado no final da legislatura, após receber parecer favorável com substitutivo na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, da lavra do Senador Fernando Bezerra Coelho.

Empresas juniores brasileiras contribuem para a formação de mais de 11 mil universitários

De acordo com um estudo feito pela Confederação Brasileira de Empresas Juniores da Brasil Júnior, o país tem 850 empresas juniores abertas atualmente, com mais de 22 mil universitários associados espalhados por 165 instituições de ensino, realizando projetos que arrecadam uma média de 30 milhões de reais por ano. Com objetivo de prestar serviços, administrar projetos, apresentar ideias e realizar todos os procedimentos de uma empresa sênior, as EJs são formadas exclusivamente por estudantes de graduação e representantes de um ou mais cursos de uma instituição de ensino.

O estudante de Engenharia de Agrimensura e Cartográfica, Matheus Dumas, destaca a importância atualmente. “A empresa ajuda no desenvolvimento da prática, atuando como qualquer empresa atuaria no mercado, o que dá vivência ao aluno e experiência ao lidar com pessoas fora do meio acadêmico e com o mundo pós faculdade. É quase como um teste drive da vida profissional”, afirma.

Com o propósito preparar os universitários, despertando e aperfeiçoando habilidades como liderança, trabalho em equipe e comunicação, promovendo assim, o crescimento pessoal e profissional por meio da vivência empresarial. Dumas ainda destaca – “Grande parte do conhecimento que adquirimos na empresa é da vivência prática, do que encontraremos no mercado. Então, ele serve para ajudar no nosso desenvolvimento”, afirma o estudante que trabalha no setor de marketing da Datum Jr., empresa desenvolvida no núcleo de engenharia da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

A vivência nessas empresas contribui na formação profissional dos alunos. Muitos acabam se sentindo perdidos sobre qual área do curso querem seguir e é neste momento que eles podem colocar em prática tudo o que aprendem em sala de aula e descobrir as afinidades com determinado segmento do seu curso.

“Acho que deveria ser uma experiência obrigatória em todos os cursos de todas as instituições de ensino superior”, defende a estudante de Publicidade e Propaganda Ana Luiza Santiago, que fez parte da Agência Experimental Galáxia, empresa júnior da Unijorge. “O mercado, muitas vezes, não te aceita quando você não tem experiência e o aprendizado adquirido nas empresas juniores é um diferencial, além dos valores adquiridos por ser o primeiro contato profissional que a pessoa tem com uma dinâmica em grupo. Foi uma das melhores fases para mim. Não tinha nenhuma remuneração, mas a experiência era o meu maior ganho. Eu faria tudo novamente”, conclui a estudante.

Agência Educa Mais Brasil

Foto: Acervo Pessoal

Vagas remanescentes do Prouni estarão disponíveis a partir de 05 de agosto

As inscrições válidas para concorrer às vagas remanescentes do Programa Universidade para Todos (Prouni) podem ser realizadas a partir de 05 de agosto, diretamente no site. O prazo final varia de acordo com a situação do candidato: caso não esteja matriculado na instituição de ensino superior em que a bolsa é ofertada, terá até 16 de agosto para se inscrever. Quem já está matriculado tem até 30 de setembro.

O Ministério da Educação não informou a quantidade de bolsas de estudo disponíveis, mas a oferta acontece de acordo com a desistência dos candidatos pré-selecionados nas chamadas regulares ou na lista de espera. Casos em que a documentação não é apresentada, ou é inadequada, também abrem vagas remanescentes.

Estudantes contemplados com as bolsas de estudo remanescentes começam a faculdade ainda no segundo semestre. Para participar desta etapa, é preciso ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010 e alcançado pontuações acima de zero, na redação, e de 450 nas provas objetivas. Outra possibilidade é ser docente da educação básica na rede pública de ensino, caso deseje se inscrever em curso de licenciatura.

Nota de Corte do Prouni 2019 Não há nota de corte para a ocupação das vagas remanescentes do Prouni e a reserva da bolsa de estudo acontece de forma automática após a realização da inscrição. Selecionados terão até dois dias úteis para comprovar as informações e, caso não seja feito o procedimento, a bolsa de estudo ficará disponível novamente.

Agência Educa Mais Brasil

Livros autorais: autopublicação e editoras de pequeno geram oportunidade para novos autores

Normalmente no Dia Nacional do Escritor (25 de julho) lembramos logo dos autores reconhecidos dentro e fora do Brasil, como Jorge Amado, Érico Veríssimo, Rachel de Queiroz, entre outros. Mas, isso vem mudando. Além dos renomados escritores, diversos autores iniciantes vem ganhando a admiração do público leitor.

O fotógrafo e artista audiovisual baiano Gilucci Augusto faz parte dessa “nova geração” e está estreando na cena literária com o livro intitulado “Nuances – Entre Luzes e Sombras”. Tendo Fernando Pessoa como sua maior inspiração, Gilucci não sabe ao certo como embarcou nesse universo, a sua única certeza é que nunca atuaria em apenas uma área. “Eu nasci e fui criado em Santo Antônio de Jesus, recôncavo baiano. Mas em paralelo a isso, frequentava muito Salvador. Então, eu transitava por vários contextos socioculturais e políticos. E do mesmo modo que a minha vida foi bem diferente em vários aspectos, minha cabeça também passou a funcionar assim. Ter várias ocupações para mim é natural. Uma coisa alimenta a outra, não existe uma hierarquia”, assegura.

Acostumado a ser visto como um artista das imagens, Gilucci ainda está se adaptando com a nova condição ao adentrar na cena literária sem perder a imagem simbólica que dá sentido a todos os seus trabalhos: o devaneio. “No sentido atribuído pelo autor Gaston Bachelard, o devaneio é algo que me interessa muito na tentativa de me confundir e confundir os outros, misturando ficções e realidades de modo a perder-me nesse fluxo e não mais saber o que é o quê.

Rita Queiroz escritora, optou também por editoras de pequeno porte para apresentar seus textos ao mercado. “São editoras que incentivam muito o escritor desconhecido do grande público, principalmente aqueles que estão lançando o seu primeiro livro”, ressalta a autora que acaba de lançar sua obra de estreia voltada para o público infanto-juvenil, Ciranda, Cirandinha: vamos brincar com Poesia?. Doutora em Letras e professora da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Rita tem outros três livros voltados para adultos já publicados. Desde 2015, quando criou a Confraria Poética Feminina, vem trabalhando para intensificar sua produção literária. “O espaço da mulher na literatura ainda é menor do que o dos homens. Por isso, buscamos atuar em conjunto para discutir sobre autoria feminina”.

Quem está satisfeita com a alternativa de autopublicação é a escritora Silvia Noronha. Ela autopublicou o seu primeiro livro de contos sobre o cotidiano A obesidade dos cães e outros contos na plataforma digital Amazon. “Para mim foi uma maneira de começar. Eu não queria perder tempo e achei que a autopublicação era a forma mais rápida para ir experimentando, pois tinha vontade de publicar, mas não lançava. Além disso, encontrar uma editora que apostasse em uma pessoa completamente desconhecida ia levar tempo”, explica Noronha, que também é jornalista e está satisfeita com o resultado.

Agência Educa Mais Brasil

Cursos Online

IFRS oferta cursos online gratuitos; não é necessário ser aluno

Oferecidos pelo Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), os cursos online e gratuitos têm início imediato e são disponibilizados totalmente na modalidade Educação a Distância (EAD). Não há a necessidade de possuir matrícula no IFRS. As vagas ficam disponíveis até 31 de dezembro de 2019 e exigem a apresentação do CPF próprio e um endereço de e-mail, entre outros requisitos prévios.

As formações têm carga horária variável entre 4h e 80h, com direito à emissão de certificado para os estudantes aprovados. Interessados podem se matricular em mais de uma formação simultaneamente. Entre as áreas disponíveis estão: ciências exatas e aplicadas; educação; gestão e negócios; e recursos naturais. Confira mais abaixo:

Matemática Financeira: Durante as aulas, os estudantes aprenderão sobre matemática financeira, juros simples e compostos, descontos simples, racional e composto. Requisitos: Conhecimento em informática básica, ensino médio completo. Duração: 60 horas

Geografia e Geopolítica na Atualidade: O curso visa abordar temas que discutem a Geopolítica no Brasil, Mercosul, América Latina, África, Oriente Médio, Índia, Europa e Ásia. Requisitos: Conhecimentos básicos de internet. Duração: 20 horas

Convênios: O curso prevê o ensino de conceitos, peculiaridades e prestação de contas em casos de convênios firmados. Requisitos: Conhecimento em informática básica, ensino médio completo. Duração: 20 horas.

Gestão de Documentos e Protocolo: O curso prevê o ensino das principais características ligadas à gestão documental, aos métodos de arquivamento e protocolo de documentos. Requisitos: Conhecimento básico em informática. Duração: 20 horas.

Iniciação ao Serviço Público nos Institutos Federais: O curso apresenta os Institutos Federais e os conceitos básicos que todo servidor público precisa saber. Requisitos: Ser servidor dos Institutos Federais, exceto do IFRS (que, neste caso, devem acessar o curso específico na área “Capacitação para Servidores”). Duração: 80 horas

Cursos Online Abertos e Massivos: teoria e prática: Características, plataformas, estatísticas e como criar um curso massivo e aberto online. Requisitos: Conhecimento em internet e uso do YouTube, ensino superior completo. Duração: 30 horas

Cursos Regulares Presenciais com Carga Horária a Distância: Normativas internas e nacionais, como elaborar um Projeto Pedagógico de Curso (PPC) com carga horária a distância e efetivá-lo na prática. Requisitos: Conhecimento em informática básica, ensino superior completo. Duração: 20 horas.

Gamificação no Moodle: Conhecimento básico de Moodle, visualização de vídeos no YouTube (configuração de legenda). Requisitos: Conhecimento em internet e uso do YouTube, ensino superior completo. Duração: 30 horas.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Enem 2019: Inep divulgou o perfil dos inscritos; confira

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou essa semana o perfil dos candidatos que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Os dados mostram que entre os mais de 5 milhões de inscritos deste ano, um perfil se destaca: mulheres (59,5%), pardas ou negras (59,1%) e com idades de 21 a 30 anos (26,07).

E mais próximo cada vez mais, o exame, que acontecerá nos dias 3 e 10 de novembro, também contará com a participação de 616.673, que equivalem a 12,1% dos inscritos como treineiros. São estudantes que não irão concluir o ensino médio em 2019, mas que fazem o Enem para experimentar a rotina de candidato, conhecer o formato do conteúdo cobrado no exame.

Enem 2019

Focados na maratona dos estudos, a única certeza que os estudantes podem ter é que, se preparando, tudo pode se tornar mais “fácil”. E para essa etapa, é possível contar com o apoio do Educa Mais Brasil. O programa oferece cursinho preparatórios para o Enem como até 50% de desconto. Não perca essa oportunidade, acesse o site do programa e confira.

Confira outros dados:

Estados com maior porcentual de participantes

São Paulo – 16%

Minas – 10,5%

Bahia – 7.8%

Sexo dos candidatos

Mulheres – 59,5%

Homens – 40,5%

Faixa etária

Menor que 16 – 2,2%

Igual a 16 – 7,5%

Igual a 17 – 17,8%

Igual a 18 – 15,9%

Igual a 19 – 10,8%

Igual a 20 – 7,6%

De 21 a 30 – 26,7%

De 31 a 59 – 11,4%

Maior ou igual a 60 – 0.2%

Cor/Raça

Amarela – 2,3%

Branca – 36%

Indígena – 0,6%

Não declarada – 2%

Parda – 46,4%

Preta – 12,7%

Agência Educa Mais Brasil