Avatar

Fábio Aleixo - Folhapress

PF indicia assessores de ministro e candidatas no caso das laranjas do PSL

A Polícia Federal indiciou nesta segunda-feira (1º) um assessor especial do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, dois ex-auxiliares e quatro candidatas do PSL de Minas Gerais sob suspeita de participação em esquema de candidaturas laranjas para desviar verba pública da legenda.

Os suspeitos -o número de implicados pode ser maior, já que o caso está sob sigilo- foram indiciados pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral, apropriação indébita de recurso eleitoral e associação criminosa -com pena de cinco, seis e três anos de cadeia, respectivamente.

A investigação sobre as candidaturas laranjas do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, começaram após o jornal Folha de S.Paulo revelar, em reportagens publicadas desde fevereiro, a existência de um esquema que direcionou R$ 279 mil em verbas públicas do PSL para quatro candidatas do partido em Minas.

Apesar de figurarem no topo do ranking das que nacionalmente mais receberam esse tipo de verba, elas tiveram, juntas, apenas cerca de 2.000 votos -um claro indicativo de que não houve campanha real.

Parte desse dinheiro foi parar em empresas ligadas ao gabinete de Álvaro Antônio, na época deputado federal, presidente do PSL estadual e coordenador da campanha de Bolsonaro em Minas.

Marcelo Von Rondon, assessor especial e braço direito do ministro, Roberto Soares e Haissander de Paula, ex-assessores e que coordenaram a campanha do político no Vale do Aço de Minas, foram presos na quinta-feira (27), ocasião em que houve busca e apreensão em suas residências.

A Justiça ordenou a soltura dos três nesta segunda-feira, último dia da prisão temporária de cinco dias.

A suspeita da Polícia Federal é a de que as candidaturas e o serviço eleitoral declarado pelas quatro candidatas não tenha passado de simulação, com o intuito de desviar dinheiro público do PSL.

As quatro candidatas -Lilian Bernardino, Naftali Tamar, Debora Gomes e Camila Fernandes, candidatas do Vale do Aço e de Curvelo- foram chamadas a prestar novo depoimento nesta segunda, mas permaneceram caladas.

Apesar do indiciamento, a PF ainda não concluiu as investigações, que prosseguem. Futuramente, caberá ao Ministério Público analisar o material e decidir se oferece denúncia à Justiça.

O presidente Bolsonaro afirmou durante viagem ao Japão que determinou ao ministro da Justiça, Sergio Moro, a investigação de candidaturas laranjas em outros partidos. O caso foi discutido pelo presidente em reunião com o ex-juiz nesta segunda.

Em buscas realizadas pela PF em Minas Gerais no final de abril os policiais não encontraram nas empresas nenhum documento que indicasse que elas de fato prestaram os serviços declarados pelas mulheres à Justiça Eleitoral.

Outras candidatas do PSL passaram a acusar publicamente Álvaro Antônio de patrocinar o esquema, entre elas a deputada federal eleita Alê Silva (PSL-MG), que disse ter recebido relatos de ameaça de morte vinda do ministro.

Dezenas de pessoas foram ouvidas pelos investigadores. Entre elas um contador do partido que afirmou que cuidou da parte contábil da prestação de contas das candidatas investigadas a pedido de um irmão de Marcelo, Ricardo Teixeira.

Relatório do Coaf também apontou operações atípicas em contas bancárias de Álvaro Antônio -R$ 1,96 milhão de fevereiro de 2018 a janeiro de 2019.

Além de Minas, a Folha de S.Paulo revelou a existência do esquema também em Pernambuco, terra do presidente nacional da legenda de Bolsonaro, o deputado federal Luciano Bivar.

A repercussão do caso resultou na demissão do coordenador da campanha de Bolsonaro, Gustavo Bebianno, que presidiu o PSL nacionalmente em 2018.

Na época, o então ministro da Secretaria-Geral da Presidência negou em entrevista que o caso das laranjas do PSL tivesse desencadeado uma crise entre ele e Bolsonaro. Bebianno foi desmentido publicamente pelo presidente e por um de seus filhos, o vereador Carlos, e acabou demitido dias depois.

Bebianno afirma que jamais teve contato com as candidatas laranjas e que os repasses do partido a elas, tanto em Minas quanto em Pernambuco, foram de responsabilidade dos diretórios dos respectivos estados, versão corroborada posteriormente por Bivar e Álvaro Antônio.

Em diversas manifestações, o ministro do Turismo sempre negou irregularidades e acusou a Folha de promover uma perseguição político-partidária contra ele. Ele afirma que a distribuição do fundo partidário do PSL de Minas Gerais cumpriu rigorosamente o que determina a lei e que confia no trabalho isento, sério e justo das autoridades que investigam o caso.

A defesa de Von Rondon disse que ele já prestou os esclarecimentos e que sua prisão teve o único intuito de colher seu depoimento. Roberto Soares e Haissander de Paula também sempre negaram ter promovido esquema de candidaturas laranjas.

Copa da Rússia terá nova bola a partir das oitavas de final

A Copa do Mundo da Rússia contará com uma nova bola a partir das oitavas de final, que começa no sábado (30).
A mudança está na cor. A Telstar 18 deixará de ser branca, cinza e preta e será branca, preta e vermelha. Também ganhará um nome especial “Metchta” (Мечта, que em russo significa sonho).

Ela será usada ela primeira vez no jogo entre o primeiro colocado do Grupo C e o segundo do Grupo D, que abre a fase de mata-mata.

O anúncio foi feito nesta terça-feira (26) pela Fifa em conjunto com a Adidas, a sua patrocinadora oficial e fornecedora de bolas desde a Copa de 1970.

Na Copa do Mundo do Brasil, em 2014, a fabricante alemã fez uma bola diferente apenas para a final.
Chamada de Brazuca Final Rio, ela tinha cores diferentes também. O preto dourado e verde substituíra o laranja, azul, verde e preto.

Em 2010, na África do Sul, a Jabulani também havia ganhado detalhes em dourado para a decisão entre Espanha e Holanda.

Itamaraty espera denúncia sobre brasileiros que insultaram russa em vídeo

Não é nada raro. Nas ruas de Moscou, torcedores enrolados nas bandeiras de seus países cercam jovens russas ou que não entendem a sua língua para gravar e postar vídeos de teor machista que estão despertando indignação nas redes sociais pelo mundo.

No episódio mais comentado até o momento, um grupo de brasileiros cerca uma mulher russa cantando “essa é bem rosinha”, em alusão à cor de seu sexo. Sem saber do que se trata, ela canta junto na cena que acabou viralizando e provocou comentários de repúdio em todo o país.

Uma série de mulheres, entre elas as atrizes Bruna Linzmeyer e Mônica Iozzi e a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), denunciaram o comportamento flagrado no vídeo como exemplo de machismo e misoginia.

Em Moscou, os diplomatas da embaixada brasileira relatam já ter recebido emails criticando os autores do vídeo em questão, enquanto nas redes sociais circulam pedidos que aqueles homens sejam punidos e expulsos da Rússia.

Essa ação, no entanto, dependeria de uma queixa formal da vítima, que não foi registrada. Também de acordo com a embaixada brasileira em Moscou, não houve contato do governo russo com o Itamaraty sobre esse episódio.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro não comentou esse incidente específico, mas reiterou que a “imensa maioria dos torcedores brasileiros é pacífica e respeitosa”, lembrando que publicou um guia com recomendações para cidadãos que viajam à Rússia para seguir a Copa.

Um dos homens que aparece nas imagens do vídeo é Diego Valença Jatobá, um advogado pernambucano que já foi secretário de Turismo em Ipojuca, nos arredores do Recife, e que já postou outras fotos polêmicas nas redes, entre elas um selfie que fez segurando um maço de dólares.

Ele fechou sua conta no Instagram e não responde a mensagens desde que o vídeo em que aparece com outros quatro torcedores vestindo a camisa da seleção brasileira passou a ser atacado na internet.

Mas Valença Jatobá e seus amigos não são os únicos a assediar mulheres na Rússia durante o Mundial. O comportamento deles, aliás, segue um padrão que se repete nas ruas moscovitas e de outras cidades que recebem esse torneio.

Enquanto brasileiros repudiam o vídeo que veio à tona no último final de semana, torcedores argentinos e peruanos -os latino-americanos estão entre os que mais compraram ingressos para a Copa- vêm postando imagens com o mesmo teor obsceno.

Num vídeo que circula entre grupos de amigos argentinos, duas russas são ensinadas a se oferecer para fazer sexo oral com torcedores do país usando uma expressão vulgar corrente na Argentina.
Esse também não é o único vídeo. Muitos outros torcedores vêm copiando os primeiros que viralizaram e repetindo a estratégia com russas e outras mulheres que não falam a mesma língua que eles.

Um torcedor peruano, por exemplo, fez vídeos de mulheres russas e dinamarquesas em que as faz dizer que estão dispostas a transar com ele, além de várias mensagens de cunho mais pornográfico.

O caso do homem identificado como Antolin Fernández Chacón e de outro torcedor de seu país que aparece num vídeo tentando agarrar uma mulher à força também teve repercussão negativa na internet e na imprensa do Peru.

Torcedoras, aliás, não são as únicas vítimas de assédio. Em mais um vídeo que viralizou na Copa, a jornalista colombiana Julieth González, do serviço da Deutsche Welle em espanhol, foi abraçada e beijada por um homem enquanto entrava no ar ao vivo na TV.

“Um sujeito se aproveitou disso e se atirou em cima de mim. Ele me deu um beijo e tocou meio seio”, disse González. “Tive de continuar e depois tentei ver se ele continuava por ali, mas já tinha ido.”

Em outro vídeo visto pela reportagem, uma jornalista russa que não quis ser identificada também sofreu constrangimento na Fan Fest em Rostov. Ela foi gravada rodeada de torcedores brasileiros dizendo palavras como “delícia”, que ela não entendia.

Na Rússia, não há lei que criminalize o assédio sexual, em especial no ambiente de trabalho. Nos últimos meses, às vésperas da Copa e depois de um episódio envolvendo um político acusado de assediar jornalistas, a parlamentar Oksana Pushkina vem pressionando para criar essa legislação, mas nada saiu do papel.

Derrota russa em Copa já teve carros incendiados e mortes em Moscou

Seleção anfitriã da Copa do Mundo, a Rússia já despertou ira e levou a uma série de atos vandalismo de seus torcedores após uma derrota em Mundial. Foram cenas de caos, com carros queimados, vitrines quebradas, mais de cem feridos e duas pessoas mortas em pleno centro de Moscou, na Praça Manej, ao lado da Praça Vermelha e na Rua Tverskaya. Isso aconteceu em 2002 e desde então nenhum tipo de exibição pública de partidas de futebol aconteceu na capital moscovita. Só voltará a ser realizada neste ano por causa da organização da Fan Fest da Fifa, com segurança reforçada.

As cenas de violência ocorreram em 10 de junho de 2002, logo após a derrota da Rússia por 1 a 0 para o Japão na fase de grupos. Uma vitória teria classificado a equipe para as oitavas de final do Mundial. O revés levou a jogo decisivo contra a Bélgica, no qual os russos foram derrotados por 3 a 2.

O evento público reuniu cerca de 8 mil pessoas e havia venda de bebida alcoólica liberada nas redondezas. Ao apito final, começaram as cenas de vandalismo, com o incêndio de carros. Depois, os vândalos descontrolados quebraram todos os vidros de um restaurante japonês que estava cheio por ser próximo da hora do almoço. Vitrines de lojas de luxo também foram alvos.
Placas de rua, parquímetros e outros tipos de objetos foram usados como armas. Até a Prefeitura de Moscou foi alvo de ataques diante de uma presença policial que era inferior ao tamanho da massa enfurecida.

De acordo com relatos da época, cinco japoneses estudantes de música foram alvejados, mas apenas um sofreu ferimentos leves. O total de policias feridos foi 11 e um acabou morto dias depois por causa das lesões provocadas pelos vândalos. Uma outra pessoa acabou morta a facadas no local.

Os canais de televisão da Rússia classificaram como o dia mais violento desde a crise constitucional da Rússia de 1993, um período de uma semana que acabou com 187 mortos e 437 feridos.

“Em qualquer lugar do mundo onde fãs estão em massa e confusão pode ocorrer, policiais devem estar preparados. Mas os organizadores deste evento foram irresponsáveis”, disse na época o deputado liberal Serguei Mitrokhin.

O reforço policial chegou apenas uma hora após o início da confusão. Bombeiros tiveram de ser acionados para controlar o fogo. O hooliganismo é uma das preocupações na Rússia durante a Copa do Mundo, mas as autoridades e o COL (Comitê Organizador Local) prometem um fortíssimo esquema de segurança não apenas nos estádios, mas em toda cidade.

Saiba como escrever em russo os nomes dos 23 jogadores da seleção

Sede da Copa do Mundo a partir de 14 de junho, a Rússia não tem apenas um idioma complicado, mas também um alfabeto totalmente diferente do qual estamos acostumados: o cirílico.

E obviamente, nomes próprios são grafados neste alfabeto levando em conta a pronúncia nativa, o que às vezes causa estranhamento.

Cristiano Ronaldo, por exemplo, por aqui é “Crishtianu Ronaldu (Криштиану Роналду)”. Esta é a maneira como os portugueses dizem seu nome.

O português Manuel Fernandes é chamado por aqui de “Manuel Faernadesh (Мануэл Фернандеш)” enquanto o brasileiro Mario Fernandes do CSKA segue como Fernandes (Марио Фернандес). Note que até a grafia do sobrenome em cirílico é diferente.

E imagino que você esteja curiosos para saber o nome dos jogadores da seleção brasileira não?

Por isso, o blog preparou a lista de Tite com todos os nomes em cirílico.

E antes de irmos para ela, algumas curiosidades. Como no russo, a letra O tem som de A quando não é tônica, o lateral Marcelo é chamado de Marcela muitas vezes. E Coutinho vira Cautinho. Willian é Villian.

Бразилия (Brasil)

Goleiros
Алисон (Alisson)
Эдерсон  (Ederson)
Кассио (Cássio)

Defensores
Данило (Danilo)
Фагнер (Fagner)
Марсело (Marcelo)
Филипе Луис (Filipe Luís)
Тиаго Силва (Thiago Silva)
Маркиньос (Marquinhos)
Миранда (Miranda)
Жеромел  (Geromel)

Meio-campistas
Каземиро (Casemiro)
Фернандиньо (Fernandinho)
Паулиньо (Paulinho)
Филиппе Коутиньо  (Philippe Coutinho)
Фред (Fred)
Ренато Аугусто (Renato Augusto)
Виллиан  (Willian)

Atacantes
Дуглас Коста (Douglas Costa)
Неймар (Neymar)
Тайсон (Taison)
Габриэл Жезус (Gabriel Jesus)
Роберто Фирмино (Roberto Firmino)

Técnico
Тите (Tite)

Brasileiro naturalizado russo, Mário Fernandes entra em lista da Rússia e fica perto da Copa

O brasileiro naturalizado russo Mário Fernandes, 27, foi incluído na lista de 28 jogadores da seleção da Rússia para a preparação para a Copa do Mundo. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (11) no site oficial da União Russa de Futebol, sem nenhum tipo de entrevista coletiva.

No comunicado, são colocados os 28 jogadores que farão parte da preparação e outros sete que ficam de sobreaviso, entre eles o goleiro brasileiro naturalizado Guilherme Marinato, 32.
Até o dia 4 de junho, o técnico Stanislav Cherchesov irá definir o grupo de 23 que jogará o Mundial.

Entretanto, é muito difícil que Mário seja cortado pelo treinador. O lateral-direito do CSKA é considerado o melhor do país em sua posição por jornalistas e especialistas.

“O Mário merece muito estar na Copa do mundo. Ele é um dos melhores jogadores da Rússia neste momento. Em um mundo multicultural como o de hoje não vejo nenhum problema em ele integrar a nossa seleção”, disse Leonid Slutski que foi treinador da Rússia e trabalhou com Mário no CSKA.

Mário está na Rússia desde 2012 e recebeu o passaporte em 2016. Atualmente, acumula 200 jogos pelo CSKA, clube com o qual tem contrato até 2022. Ele havia sido selecionado para a Copa das Confederações de 2017, mas precisou passar por uma cirurgia no nariz e acabou fora.

Ele soma quatro partidas pela seleção, sendo uma não-oficial, contra o Dínamo Moscou. Neste jogo, fez um gol. Mesmo com quatro goleiros na lista principal, Guilherme foi preterido e suas chances de ir ao Mundial são mínimas.

Integrante do grupo na Eurocopa de 2016 e da Copa das Confederações em 2017, ele perdeu espaço na equipe nacional desde o torneio do ano passado e não foi mais convocado. A seleção da Rússia se apresentará para exames e início dos treinos na próxima sexta-feira (18). O time fará parte de sua preparação na Áustria, onde enfrentará a seleção local em 30 de maio.

No dia 5 de junho, fará seu último jogo antes do Mundial contra a Turquia, em Moscou. Os anfitriões do Mundial estreiam no dia 14 de junho contra a Arábia Saudita, na partida de abertura, em Moscou. Depois, pegará Egito (19/6) e Uruguai (25/6).

Confira a lista completa:

Goleiros: Igor Akinfeev (CSKA Moscou/RUS), Vladimir Gabulov (Brugge/BEL), Soslan Djanaev (Rubin Kazan/RUS), Andrei Lunev (Zenit São Petersburgo/RUS).

Defensores: Vladimir Granat (Rubin Kazan/RUS), Ruslan Kambolov (Rubin Kazan/RUS), Fedor Kudryashov (Rubin Kazan/RUS), Ilya Kutepov (Spartak Moscou/RUS), Roman Neustadter (Fenerbahce/TUR), Konstantin Rauch (Dinamo de Moscou/RUS), Andrey Semenov (Akhmat Grozny/RUS), Igor Smolnikov (Zenit São Petersburgo/RUS), Mario Fernandes (CSKA Moscou/RUS).

Meio-campistas: Yuri Gazinsky (Krasnodar/RUS), Alexander Golovin (CSKA Moscou/RUS), Alan Dzagoev (CSKA Moscou/RUS), Alexander Erokhin (Zenit São Petersburgo/RUS), Yuri Zhirkov (Zenit São Petersburgo/RUS), Roman Zobnin (Spartak Moscou/RUS), Daler Kuziyev (Zenit São Petersburgo/RUS), Anton Miranchuk (Lokomotiv Moscou/RUS), Alexander Samedov (Spartak Moscou/RUS), Alexander Tashaev (Dinamo de Moscou/RUS), Denis Cheryshev (Villarreal/ESP).

Atacantes: Artem Dziuba (Arsenal Tula/RUS), Alexei Miranchuk (Lokomotiv Moscou/RUS), Fedor Smolov (Krasnodar/RUS), Fedor Chalov (CSKA Moscou/RUS).

LISTA ADICIONAL

Guilherme Marinato (Lokomotiv Moscou/RUS), Vladislav Ignatiev (Lokomotiv Moscou/RUS), Dmitri Kombarov (Spartak Moscou/RUS), Denis Glushakov (Spartak Moscou/RUS), Anton Shvets (Ahmat Grozy/RUS), Anton Zabolotni (Zenit São Petersburgo/RUS) e Dmitri Poloz (Zenit São Petersburgo/RUS).

Estádio da Copa ainda é um canteiro de obras

A pouco mais de um mês para o início da Copa do Mundo, o estádio de Samara, uma das sedes do torneio, chama a atenção pela quantidade de trabalho que precisa ser feito em seu entorno e ajustes nas áreas interna e externa. Principalmente na questão da limpeza.

O estádio de Samara foi o que sofreu mais atrasos em sua construção e também foi o último a ser inaugurado, em 28 de abril.

No domingo (6), passou pelo segundo jogo-teste. O Krilia Sovetov ganhou do Kuan Krasnodar por 1 a 0 e garantiu o acesso para a elite do Campeonato Russo. Foram 42 mil torcedores em um estádio para 45 mil. A grandiosidade da arena e seu formato lembrando um disco voador -Samara é um polo do desenvolvimento aeroespacial russo- impressionam. O custo para a construção do estádio foi de US$ 320 milhões (R$ 1,1 bilhão).

No jogo-teste, o que mais se via pelos corredores e assentos de torcedores e jornalistas era poeira. Uma mostra de que toda a reta final da construção foi feita às pressas para que as três partidas experimentais exigidas pela Fifa pudessem ser realizadas. A arena só recebeu liberação para funcionar em 26 de abril.

Do lado de fora, no caminho que leva ao estádio, há excesso de terra, com tratores e máquinas de grande porte trabalhando. Ainda é um grande canteiro de obras. A promessa das autoridades é que tudo estará perfeito até que Samara receba seu primeiro jogo do torneio, em 17 de junho. Será entre Costa Rica e Sérvia, que integram o grupo do Brasil. A seleção de Tite jogará na cidade nas oitavas de final se for primeira de sua chave. Se for segunda, poderá atuar nas quartas.

“Posso garantir que tudo estará pronto a tempo. Ainda temos um certo tempo até o começo do Mundial. Comparo com o futebol. Os minutos de acréscimo são sempre importantes e um time pode fazer gol. Neste tempo que resta, faremos bem o nosso trabalho”, disse Dmitri Azarov, governador da região de Samara.

Havia o temor de que o estádio não ficasse pronto a tempo, o que seria um vexame para a cidade e para a Rússia. “Não adianta esconder que tivemos problemas e atrasos. Há seis meses achávamos que não daria tempo. Este atraso foi muito por causa do design único e complexo que escolhemos”, explicou o governador.

O mais complicado foi finalizar a cobertura. Antes da conclusão, não era possível fazer nenhum trabalho onde hoje se encontra o campo. Isso porque os pilares que davam sustentação ao teto estavam fincados sobre o terreno de jogo. Um último jogo-teste será realizado na sexta (11), entre Krilia Sovetov B e Mordovia FC, pela terceira divisão russa.

Companhia aérea oferece passagens por R$ 0,56 durante a Copa

Viajar de avião pela Rússia nunca foi tão barato como será para o cidadão russo que quiser torcer para a sua seleção na Copa do Mundo, que começa em 14 de junho.
Por apenas 10 rublos (R$ 0,56), já incluindo todas as taxas, um morador do país poderá adquirir bilhetes aéreos de ida e volta para cada umas das cidades onde a equipe nacional atuará na primeira fase: Moscou, São Petersburgo e Samara.
Quem mora em um destes três municípios, por exemplo, gastará somente R$ 1,12 para acompanhar o time. Estão disponíveis voos partindo de 53 cidades, algumas delas no extremo oriente do país, como Vladivostok, quase ao lado de Tóquio.
A medida foi tomada pela Aeroflot, principal companhia aérea do país e uma das maiores da Europa, para incentivar o apoio à equipe que nunca avançou da fase de grupos em um Mundial desde a sua primeira participação, em 1994.
O acordo foi fechado no fim do ano passado entre o presidente russo Vladimir Putin e o presidente da Aeroflot, Vitali Saveliev.
A empresa aérea tem 51% de suas ações controladas pelo Estado e fechou o ano retrasado com um lucro de R$ 3,57 bilhões. Tem em seu quadro 30.328 funcionários.
“Queremos que nossa equipe faça um bom papel e os fãs estejam felizes”, afirmou Saveliev.
“Dificilmente a companhia aérea encherá todo um avião com este valor. Haverá assentos vendidos a um preço maior. Companhias low-cost costumam fazer promoções assim. Mas a um preço tão baixo eu nunca vi. Porém creio que seja algo razoável de ser feito com este objetivo de aumentar o apoio à seleção local”, disse à reportagem Jorge Medeiros, professor de transporte aéreo e aeroportos da Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo).
Todo o processo está sendo conduzido pela companhia em parceria com a Rosscongress, uma fundação que tem como objetivo facilitar o desenvolvimento econômico da Rússia por meio dos mais variados programas.
De momento só há disponibilidade para a primeira fase. Caso a Rússia vá avançando, o programa seguirá até a sua eliminação.
“Esperamos vender cerca de 70 mil bilhetes promocionais. Estamos depositando grandes expectativas em nosso time. Se a equipe avançar, este número certamente aumentará. Mas estamos partindo desta base de 70 mil”, explicou Saveliev.
Para poder comprar este tíquete promocional é necessário ter um passaporte russo, ter adquirido o bilhete para os jogos e possuir a Fan ID (Identidade do Fã), um documento criado pelas autoridades russas para maior segurança nos estádios. Depois, é necessário realizar um cadastro em um site específico.
De acordo com as regras da promoção, será possível viajar até três dias antes e três dias depois para as cidades que receberão os jogos. A Rússia enfrentará Arábia Saudita em Moscou (14.jun.), Egito em São Petersburgo (19.jun.) e Uruguai em Samara (24.jun.).
Em compensação, um torcedor uruguaio que esteja em Moscou e queira ver sua seleção enfrentar a Rússia terá de pagar ao menos 12,5 mil rublos (R$ 700) em um bilhete de ida e volta da Aeroflot se comprar com antecedência.
Cidadãos de todos os país que tenham ingressos para a Copa poderão se locomover gratuitamente entre as 11 cidades-sede de trem. Para isso, será necessário fazer um cadastro no site.
Como exemplo, uma viagem de Moscou a Samara de avião leva apenas 1h35min. De trem, serão pelo menos 16 horas.

Copa da Rússia custará R$ 38,4 bilhões e será mais cara que a do Brasil

A Rússia investiu 683 bilhões de rublos (R$ 38,4 bilhões) para sediar a Copa do Mundo que terá início em 50 dias. Nesta quarta-feira (25), o COL (Comitê Organizador Local) divulgou o seu último orçamento antes do começo do torneio, em 14 de junho.
Os valores publicados pelo COL envolvem a construção de estádios, infraestrutura de transporte, despesas operacionais, entre outras nas 11 cidades-sede.
O orçamento teve um aumento de 44,2 bilhões de rublos em relação ao divulgado em fevereiro de 2017, que era de 638,8 bilhões de rublos (R$ 35,95 bilhões).
A Copa da Rússia será mais cara do que a do Brasil.
A matriz final do Mundial de 2014 divulgada pelo Governo Federal em dezembro de 2014 apresentou um valor de R$ 27,1 bilhões, o equivalente a R$ 33,3 bilhões em valores corrigidos segundo o índice IPCA.
Relatório do TCU (Tribunal de Contas da União) apontou gasto final de R$ 25,5 bilhões, o equivalente a R$ 31,34 em valores corrigidos.
Em infraestrutura esportiva, como construção e remodelação de estádios e centros de treinamentos, o Brasil investiu R$ 9,16 bilhões, o equivalente a R$ 11,26 bilhões em valores corrigidos.
Na Rússia, o valor será de R$ 14,9 bilhões. Não estão inclusos na conta as bases de treino em São Petersburgo e os CTs do Spartak e CSKA que já existiam.
Além de 12 estádios, a Rússia preparou também 95 bases para receber as equipes.
A porcentagem de divisão entre investimentos públicos e privados não foi divulgada pelo COL.
“Posso dizer que a maioria dos investimentos vêm de empresas privadas, que investiram em setores de aeroportos, construção de hotéis e grandes estádios como o de São Petersburgo e o do Spartak. Já na parte de transporte é todo um investimento público, assim como em alguns estádios. Mas no geral há mais dinheiro privado”, afirmou Arkadi Dvorkovich, presidente do COL, ao ser questionado pela Folha.
“Não se trata apenas de esporte. Estamos melhorando toda a infraestrutura do país. Reformas hospitais, entregamos novas ambulâncias, novas estradas, entre outras coisas”, disse Alexei Sorokin, CEO do COL.
De acordo com o relatório divulgado pelo COL, entre 2013 e 2018 – datas em que foram feitos os investimentos em infraestrutura -o impacto da Copa do Mundo na economia russa será de 867 bilhões de rublos (R$ 48,7 bilhões).
O valor equivale a 1% do PIB (Produto interno Bruto) anual do país.
Neste período de cinco anos, foram criados 220 mil postos de empregos.
Durante a Copa, a Rússia espera receber 568 mil turistas estrangeiros.
Pesquisa encomendada pelo COL junto a órgão do Governo aponta que 76% dos russos acreditam que o Mundial impulsionará a prática esportiva no país ao longo dos próximos anos.

Divisão dos 683 bilhões de rublos (R$ 38,4 bilhões) do orçamento:
– Infraestrutura esportiva – 265 bilhões (R$ 14,9 bilhões);
– Infraestrutura de transporte – 228 bilhões (R$ 12,8 bilhões);
– Outras infraestruturas – 74 bilhões (4,16 bilhões);
– Despesas operacionais – 116 bilhões (6,5 bilhões).

Rússia inaugura mais dois estádios e fica a um de entregar todos para a Copa

O sábado (21) foi marcado pela inauguração de mais dois estádios que receberão a Copa do Mundo da Rússia. Agora, dos 12 estádios que serão usados a partir de 14 de junho, 11 já estão prontos.
O último a abrir as portas será o de Samara, em 28 de abril. O Brasil jogará lá nas oitavas de final se for o primeiro de sua chave. Se for segundo, só jogará na cidade se passar às quartas de final.
Os dois estádios inaugurados agora foram os de Saransk e Volgogrado, que não receberão partidas da equipe nacional.
A Arena de Volgogrado, com capacidade para 45,6 mil espectadores, recebeu 20 mil para o primeiro jogo-teste.
A partida válida pela segunda divisão da Rússia acabou em 4 a 2 para a equipe local, o Rotor, contra o Luch, de Vladivostok.
O estádio receberá ainda mais dois jogos-testes até o Mundial.
Em Saransk, a Arena Mordovia, que tem capacidade total para 44 mil torcedores, recebeu 10 mil para jogo da terceira divisão nacional.
O FC Mordovia ficou no 0 a 0 com o Zenit Ijevsk.
O estádio também passará por mais dois jogos-testes.