Avatar

Francielly Azevedo - CBN Curitiba

previdência assembleia paraná

“Governo não vive de popularidade”, diz chefe da Casa Civil do Paraná sobre Previdência

governo paraná assembleia
Governador do Paraná, Ratinho Junior (esq.), ao lado de Guto Silva. (AEN)

Guto Silva, chefe da Casa Civil do Paraná e vice-presidente da Assembleia Legislativa (Alep), disse que o governo não vive de atos populares. O deputado estadual (PSD) está presente na sessão da reforma da Previdência Estadual. A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) foi encaminhada pelo governador Ratinho Junior para “estancar o crescimento do deficit já existente para o pagamento de aposentadorias e pensões” no Estado.

A votação da reforma da Previdência era para ter sido iniciada na sessão de ontem (4), mas foi suspensa pela ocupação dos servidores estaduais. Com isso, a sessão legislativa mudou para a Ópera de Arame, ponto turístico de Curitiba.

“É uma medida impopular para o servidor, mas um governo não vive de popularidade. É preciso de um compromisso com as contas públicas e nós temos legitimidade para fazer essa avaliação. O governo está confortável com a posição. Grande parte dos estados já fizeram. Não há espaço fiscal para maluquice”, disse.

“Temos uma conta a pagar, que é o déficit previdenciário. Viemos acumulando e é preciso resolver. Às vezes não é um ato simpático, é um ato que desagrada alguns setores da sociedade. Mas é necessário para que o Estado se mantenha de pé”, completou ele.

SESSÃO NA ÓPERA DE ARAME JÁ COMEÇOU

Sessão da Alep está sendo realizada na Ópera de Arame. (Orlando Kissner / Alep)

A sessão começou às 14h35 e conta com a presença de 53 deputados – Gilberto Ribeiro é o único ausente.

A primeira votação do dia foi um requerimento, apresentado pelo líder do governo, Hussein Bakri (PSD), para derrubar o interstício de cinco sessões.

Pela Legislação, deveria existir um intervalo entre as votações de primeiro e segundo turno. Contudo, o deputado Adamir Traiano, presidente da Alep, já adiantou que o desejo é fazer as duas votações e a redação final da Previdência ainda hoje.

Contudo, por 42 votos a 10, o requerimento derrubou o interstício.

Mais cedo, o deputado Tadeu Veneri (PT), líder da oposição, criticou a tentativa. “Os prazos são muito claros, não se pode antecipar sessões. Isso é extremamente grave. É lamentável e espero que exista juízo na mesa diretora”, disse ele, antes de falar especificamente sobre Traiano. “O presidente está fazendo aquilo que é uma loucura. É da cabeça dele e da mesa diretora. Eu repudio. Tenho o maior respeito pelo Traiano, mas se ele resolve jogar toda sua história no lixo, é problema dele”, completou.

PROTESTOS E OCUPAÇÃO DOS SERVIDORES NO PARANÁ

paraná assembleia transito greve servidores curitiba
Manifestantes quebraram uma das portas da Alep, mas a PM impediu a entrada pela porta. (Francielly Azevedo)

Os servidores do Paraná ocuparam Assembleia Legislativa do Paraná, em Curitiba, na tarde desta terça-feira (3). A ação teve tumulto: a PMPR (Polícia Militar do Paraná) usou bombas de gás de pimenta, enquanto os funcionários públicos, em greve desde ontem (2), arremessaram pedras e algumas grades. A sessão da Alep acabou suspensa após os confrontos.

Os servidores protestam contra as mudanças da Previdência Estadual propostas pelo governador Ratinho Junior. Entre as alterações, estão o aumento da contribuição dos servidores de 11% para 14% e o estabelecimento de idade mínima para aposentadoria de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres.

Confira o vídeo que mostra o momento que os servidores ocupam a Assembleia.

pec protesto marcha paraná curitiba greve

Sindicato diz que greve atinge 80% das escolas do Paraná; governo não confirma

80% das escolas estaduais têm paralisação parcial ou total, nesta terça-feira (3), segundo dia de greve contra o projeto do Poder Executivo que propõe alterações na Previdência Estadual. O dado é da APP-Sindicato, que representa os professores e profissionais da educação do Paraná. Entretanto, a SEED (Secretaria de Estado da Educação) não confirma esse número e afirma que a adesão é bem menor.

O Paraná tem 2.143 escolas estaduais. Segundo a SEED, 61 colégios tinham adesão total e 344 instituições de ensino estavam com adesão parcial. Além disso, a Secretaria informa que a ausência de professores e demais servidores administrativos não significa que os alunos ficaram sem atendimento.

Durante a manhã, mais de 5 mil servidores fizeram uma marcha que saiu da Praça 19 de Dezembro até a Praça Nossa Senhora de Salete, no Centro Cívico. Eles percorreram toda Avenida Cândido de Abreu até ficar em frente da Alep (Assembleia Legislativa do Paraná) e do Palácio Iguaçu, sede do governo estadual. Conforme o FES (Fórum das Entidades Sindicais), são servidores de todas as regiões do Estado.

Durante a tarde, os servidores vão acompanhar a sessão da Alep. Às 16h, eles farão uma assembleia da categoria para avaliar os rumos da greve.

Por meio de nota, a SEED explica que a orientação para todas as escolas, desde o início da manifestação, é de que as aulas aconteçam normalmente. O pedido aos pais foi para levar seus filhos para a escola, já que a frequência é obrigatória como nos demais dias letivos.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA NO PARANÁ

O pacote que propõe alterações na Previdência estadual – e resultou na greve – tramita em regime de urgência na Assembleia Legislativa do Paraná. As propostas seguem os mesmos moldes da reforma da previdência já aprovada no Congresso Federal, com aumento da idade mínima e do tempo de serviço para aposentadoria do funcionalismo estadual. A emenda altera os artigos 35 e 129 da Constituição do Estado.

Entre as mudanças previstas estão o aumento da contribuição dos servidores de 11% para 14% e o estabelecimento de idade mínima para aposentadoria de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres.

A última vez que o governo estadual promoveu mudanças na previdência paranaense foi em 2015, na gestão do ex-governador Beto Richa (PSDB). Na ocasião, a alteração no fundo de aposentadoria e pensão do funcionalismo terminou com mais de 200 feridos durante um confronto entre os servidores em greve e policiais militares, no dia 29 de abril daquele ano.

Por meio de nota, o Governo do Paraná explica que “a nova previdência do servidor público do Paraná segue rigorosamente a legislação aprovada no Congresso Nacional, após ampla discussão com os mais diversos setores da sociedade. O Governo afirma que não se trata, portanto, de uma decisão casuística e sim de cumprir a obrigação de atualizar o marco legal dos regimes próprios de previdência dos Estados, adotando o novo preceito constitucional brasileiro.

Além disso, afirma que a medida contribui para estancar o crescimento do deficit já existente para o pagamento de aposentadorias e pensões no Paraná. Conforme os dados da administração estadual, a insuficiência financeira do sistema será de R$ 6,3 bilhões. O valor é superior ao orçamento do Estado para a área de saúde.

A expectativa é que a proposta capitalize e fortaleça o Fundo de Previdência. As projeções, segundo o Executivo, mostram que em cinco anos o fundo vai retomar a capacidade financeira e em até 30 anos será autossuficiente. Com isso, ficam plenamente assegurados os pagamentos dos benefícios aos servidores.

Por fim, o governo salienta que o projeto de reforma da previdência cumprirá todo o rito legal na Assembleia Legislativa, fórum adequado para o debate a respeito da proposta, conforme já demonstrado na tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) no âmbito federal.

Rodovias - Acidentes - Paraná - Feriado

Governo assina decreto para estudos de concessões de rodovias no PR

O Governo do Estado assinou, em conjunto com o Governo Federal, nesta terça-feira (26), um decreto para a criação de um grupo de trabalho que vai estudar o novo modelo de concessão de rodovias do estado. Essa é a segunda etapa do processo de análise do projeto, que foi anunciado em agosto. O custo dos estudos é de R$ 62 milhões, pagos pelo Governo Federal. Somente após esse processo é que os editais serão formalizados.

Serão quatro mil e cem quilômetros de rodovias estaduais licitadas dentro do novo pacote de concessões que o governo federal deve lançar em 2021. Além das rodovias federais que formam o Anel de Integração, com total de 2.500 quilômetros, que terão uma nova licitação, a União vai licitar a concessão das estradas estaduais.

O secretário nacional de Transportes e Terrestres, Marcello da Costa Vieira, explica o que já foi feito até aqui e o que está por vir. “Um primeiro estudo para definir qual o escopo do projeto, quais as rodovias entrarão no projeto. O projeto de concessão de rodovias é um projeto longo, que leva dois anos”, disse.

A concessão das rodovias estaduais foi um pedido feito pelo governo do estado. Foram incluídas no processo a PR-092, no norte pioneiro, a PR-323, no noroeste, e a PR-280, na região sudoeste, além de abranger os trechos paranaenses das BRs 163, 153 e 476.

A expectativa, segundo Vieira, é no próximo ano desenvolver os estudos de engenharia e de viabilidade do modelo de concessão. “O que a gente vai fazer é uma análise do tráfego atual, projetar esse tráfego para o período de projeto e verificar todas as interferências e melhorias que tem que fazer na rodovia”, garantiu.

A concessão de rodovias paranaenses foi alvo da Operação Integração – braço da Operação Lava Jato – por fraudes nos contratos. São investigados os crimes de corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

A questão do pedágio também foi alvo de investigação em uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa.

De acordo com o Secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, o objetivo é não repetir os erros de governos passados e reduzir a tarifa, considerada abusiva. “Estamos combinando rodovias estaduais e federais, que é um modelo único em um super lote com mais de 4 mil quilômetros. Onde nós queremos repetir os erros, corrigir o que a população entende como equivocado e fazer um projeto onde usuário vai pagar menos tarifa”, afirmou.

As empresas que vencerem a licitação vão assumir os trechos que atualmente são administrados pelas concessionárias Ecovia, Ecocataratas, Caminhos do Paraná, Econorte, Viapar e Rodonorte. Pelo contrato atual, assinado em 1997, as concessões acabam em novembro de 2021.

O polígono geométrico interliga Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Cascavel, Foz do Iguaçu, Campo Mourão, Maringá, Paranavaí, Londrina e Paranaguá.

Grupo defende projeto alternativo à Faixa de Infraestrutura do litoral

O projeto alternativo para melhorar o trânsito, a economia e o turismo nas regiões de Pontal do Paraná e Ilha do Mel continua sendo debatido entre representantes da sociedade e o Governo do Paraná. A iniciativa propõe a substituição da chamada Faixa de Infraestrutura, que prevê a construção de um complexo industrial portuário na região. No local, seria construída uma rodovia de 24 quilômetros, paralela à PR-412, como alternativa de tráfego.

A obra gera intensas discussões em função da necessidade da derrubada de uma extensa área preservada de Mata Atlântica e porque deve favorecer um porto privado.

Em agosto, cerca de 20 entidades não governamentais entregaram o projeto alternativo, que ganhou o nome de “Ciclo-Rodovia Interpraias”. Ele pretende interligar municípios, balneários e ilhas por meio de 50 quilômetros de ciclovias e 33 quilômetros de rodovias.

De acordo com o gerente de parcerias estratégicas do Observatório de Justiça e Conservação, André Dias, a Faixa de Infraestrutura trará diversos problemas para o litoral. “Primeiro que a faixa de Infraestrutura está prevista para o lado de dentro do município e não para o lado de fora, como a gente sabe o efeito de espinha de peixe ao lado de rodovias no Brasil é notório. Vai servir essa rodovia como um vetor de invasão de toda a área bem conservada de mata ao lado esquerdo da faixa de infraestrutura”, diz.

O projeto alternativo foi viabilizado por meio de um financiamento coletivo lançado pela campanha #SalveAIlhaDoMel. Os engenheiros e arquitetos que desenvolveram a solução foram pagos pelos recursos dessa vaquinha online, que arrecadou, em 60 dias, cerca de R$ 40 mil.

A solução pretende melhorar a PR-412 com a duplicação da rodovia, ou a criação de uma espécie de binário, utilizando a beira-mar das praias. A ideia é desafogar o trânsito na rodovia que fica congestionada durante a temporada, prejudicando o turismo, segundo André Dias. “A gente apoia a necessidade da solução do problema viário que existe em pontal. Essa é uma demanda que está ligada ao turismo, ao comércio. A nossa proposta defende empregos de qualidade, geração de empregos e renda por meio do turismo”, explica.

O projeto da “Faixa de Infraestrutura” começou a ser discutido na administração do ex-governador Beto Richa. A ideia é a construção de mais de 20 quilômetros de rodovia até a região onde será construído o porto particular e tem investimento calculado em R$ 270 milhões.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) também foi contrário ao projeto apresentado pelo Executivo.

No início do mês, a Assembleia Legislativa autorizou a contratação de um empréstimo de R$ 1,6 bilhão do Governo do Paraná junto à Caixa Econômica Federal. Parte do montante está previsto para ser aplicado na Faixa de Infraestrutura.

Segundo André Dias, o objetivo do grupo que desenvolveu a proposta alternativa é convencer o governo do Paraná que não vale a pena investir na obra. “A nossa intenção principal é promover a possibilidade que a sociedade seja ouvida. Nesse sentido nós temos percebido essa abertura. Porém não vemos a intenção real do governo de atender essa demanda da sociedade de modo efetivo”, afirmou.

Por meio do site da campanha, a sociedade também pode enviar mensagens ao poder público, pedindo que alternativas de desenvolvimento para o litoral sejam consideradas pelo governo do Paraná. Segundo o Observatório de Justiça e Conservação, mais de 212 mil e-mails já foram enviados.

Conforme a Secretaria de Infraestrutura e Logística, os aspectos socioambientais da “Faixa de Infraestrutura” estão sendo estudados pelo Governo do Paraná.

detran, fraude, gaeco, panizzi

Fraude no Detran: Justiça manda soltar ex-diretor e outros 4 presos pelo Gaeco

A juíza Franciele Cit revogou, na noite deste sábado (23), as prisões do ex-diretor-geral do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), Marcelo Panizzi, e outros quatro detidos na operação Taxa Alta, que investiga o direcionamento do edital para o credenciamento de empresas que prestam o serviço de registro de financiamento de veículos no estado.

Os envolvidos foram presos na última quarta-feira (20), durante a ação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MP-PR). As prisões temporárias venceriam neste domingo (24).

A decisão ocorreu após um pedido de revogação das prisões feito pelo MP-PR, que alegou que os investigados foram ouvidos na última sexta-feira (22) e que investigações não corriam riscos com os suspeitos em liberdade.

Conforme o Gaeco, o processo de credenciamento, em agosto de 2018, teria sido manipulado para beneficiar uma das empresas vencedoras – a Infosolo. Com isso, a favorecida teria faturado, entre novembro de 2018 e junho de 2019,aproximadamente R$ 77 milhões.

Em julho, a 5ª Inspetoria de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado do Paraná concluiu que houve irregularidades no edital de 2018 do Detran-PR e pediu a suspensão do mesmo. O relatório apontou que houve favorecimento à empresa Infosolo, que concentra 90% dos financiamentos de veículos no Paraná. A empresa cobra o teto da taxa previsto no edital que é de R$ 350. Deste valor, apenas R$ 87,50 vão para o Detran, o restante (R$ 262,50) fica com a empresa.

Após a auditoria, o Detran-PR enviou um ofício ao TCE-PR admitindo que houve irregularidades no processo e anunciou a redução de quase 60% das taxas. A diminuição – de R$ 350 para o valor máximo de R$ 143,63 – passaria a valer em 1º de setembro, no entanto, a Infosolo entrou na Justiça e impediu a redução.

POSICIONAMENTO DA INFOSOLO

Por meio de nota a Infosolo diz que “vem novamente à público esclarecer que não foi, em momento algum, beneficiada em qualquer processo de credenciamento que tenha participado. Os depoimentos deixam clara a inexistência de provas de qualquer ilícito, bem como põe luzes na questão política que envolve o tema.

O mesmo edital que credenciou a Infosolo também credenciou todas as demais empresas que atuam cobrando valores idênticos. Em outras palavras, todas se submeteram às mesmas regras de credenciamento. Também não se sustenta a acusação de que a empresa teria atuado sozinha em qualquer momento.

Da mesma forma, cabe esclarecer que o valor cobrado no estado do Paraná está abaixo da média nacional que hoje é de R$ 355,97. Não há, portanto, qualquer beneficiamento à Infosolo, que sempre tratou do tema com absoluta transparência.

Cabe ressaltar que a Justiça do Paraná tem confirmado, em diversas instâncias, a favor da Infosolo nesta disputa com o governo, que desde o início do mandato vem de forma arbitrária buscando prejudicar nossa atuação.

Há neste momento uma clara disputa comercial, agravada por motivações políticas de setores do Poder Executivo, que pretende com tais fatos acabar com a transparência que hoje permite ao contribuinte saber exatamente quanto paga pelo serviço.

A Infosolo reafirma sua absoluta confiança no Poder Judiciário”.

Bares de Curitiba preparam programação especial para final da Libertadores

A maior torcida do país espera pela final da Copa Libertadores da América no próximo sábado (23). O jogo entre Flamengo e River Plate é em Lima, no Peru, mas a expectativa também toma conta de donos de bares e restaurantes em Curitiba, que estão com os preparativos a todo vapor para receber o público. O movimento esperado é de 60% a mais que sábados normais.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fábio Aguayo, os mais variados estabelecimentos irão transmitir ao vivo a partida. “É uma das maiores mobilizações dos últimos tempos em relação ao futebol”, disse.

Conforme Aguayo, os comerciantes estão pensando em estratégias para conseguir conquistar o torcedor e fazer com que ele permaneça no estabelecimento do horário do almoço até o pós-jogo. “Isso tá mexendo com nosso setor de uma maneira positiva, então quem se preparar e criar um ambiente de descontração vai sair na frente”, destacou.

Como o jogo é no sábado, os empreendimentos estão pensando, inclusive, em festas que durem um período maior, já que no domingo muita gente está de folga, diferente de outras decisões que acontecem no meio de semana.

O presidente da Abrabar ressalta que o momento é muito semelhante com a final da Libertadores de 2012, quando o país literalmente parou para o Corinthians buscando o título contra o Boca Juniors da Argentina. Por isso, é indicado que o torcedor faça reserva.

A partida entre Flamengo e River Plate é no sábado, às 17h, pelo horário de Brasília.

febre amarela macaco paraná

Febre amarela mata dois macacos no Paraná; são 117 casos notificados desde julho

Dois novos casos de mortes de macacos por infecção do vírus da febre amarela no Paraná foram confirmados, nesta terça-feira (19), pela Secretaria de Estado da Saúde. As ocorrências foram registradas em Castro, na região dos Campos Gerais, que já tinha uma morte de primata ocorrida no dia 26 de setembro.

Conforme a Secretaria, as novas mortes aconteceram em 31 de outubro e 1º de novembro, mas estavam em investigação.

Segundo o secretário da saúde, Beto Preto, os casos de morte de macacos sinalizam para a presença do vírus da febre amarela na região, por isso é necessário tomar a vacina.

“Vacina é prevenção e prevenção é atuar de maneira profilática no sentido de dar segurança e garantia de saúde às pessoas. Estamos no século XXI e essa doença é controlável”, disse.

A vacina está disponível em todas as unidades de saúde. A dose é única e a pessoa fica protegida por toda a vida.

FEBRE AMARELA NO PARANÁ

Desde de 1 de julho até agora são 117 notificações de mortes de macacos no estado. Além das três confirmações, são 52 em investigação, 31 por causas indeterminadas e 31 descartadas.

Em relação a casos da febre amarela em humanos neste período sazonal, a Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores informa que são 37 casos notificados até a data de hoje. Nenhum caso da doença em humanos foi confirmado; dez casos estão em investigação e 27 foram descartados.

greca, terreno, museu de história natural, curitiba, novo museu de curitiba, paraná, jardim botânico

Greca antecipa anúncio do novo Museu de História Natural de Curitiba

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), antecipou nas redes sociais a construção do novo Museu de História Natural de Curitiba. O projeto vai fazer parte do complexo do Jardim Botânico. O terreno onde o museu será construído fica às margens da Linha Verde, próximo ao viaduto da BR-277. No local, anteriormente, funcionava um posto de gasolina e um hotel

De acordo com o prefeito, o local foi desapropriado de maneira amigável. O terreno passar por um processo de limpeza, mas os prédios ainda precisam ser demolidos. No entanto, antes de abrigar o museu, ele será um estacionamento.

Os arquitetos Guilherme Klock e Fernando Canalli é que trabalham no projeto do novo Museu de História Natural de Curitiba, que será construído nos fundos do bosque nativo que existe na área do Jardim Botânico. O local vai guardar as coleções acervadas desde 1876 na sede atual, que fica no Capão da Imbuia. Além disso, também vai abrigar as coleções de biologia, arqueologia e paleontologia da UFPR (Universidade Federal do Paraná).

Conforme Greca, os acervos, expostos ao lado do Jardim Botânico, junto ao Museu Botânico, transformarão a área, entre as avenidas Prefeito Lothário Meissner, Linha Verde, Afonso Camargo e Ostoja Roguski, num tesouro científico para elevar ainda mais o grande nome de Curitiba no cenário nacional.

MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL DE CURITIBA

O Museu de História Natural está situado no Capão da Imbuia em um bosque remanescente de floresta com Araucária na região urbana de Curitiba. Lá o visitante conhece diversos ecossistemas, por meio dos animais taxidermizados. Muitos deles foram empalhados por André Meyer, que foi o maior taxidermista do Brasil. O acervo é tombado como Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná.

O local também é referência nacional na área de pesquisa zoológica, reunindo importantes coleções científicas regionais.

Ainda não há informações sobre o que vai funcionar na área do Museu de História Natural de Curitiba, no Capão da Imbuia.

Confira o que abre e fecha em Curitiba no feriado

Nesta sexta-feira (15), data em que se comemora a Proclamação da República, unidades administrativas e de atendimento nas Ruas da Cidadania estarão fechadas, de acordo com a Prefeitura.

O transporte coletivo vai funcionar com a tabela horária de domingo na sexta-feira. A Linha Turismo vai operar normalmente, com tabela de domingo e feriado.

Os pontos turísticos da cidade também estarão abertos normalmente.

Escolas, Centros Municipais de Educação Infantil e Centros Municipais de Atendimento Educacional Especializado estarão fechados e retornam apenas na segunda-feira (18).

As unidades básicas de saúde também estarão fechadas. Quem precisar de assistência pode procurar uma Unidade de Pronto Atendimento, que funciona 24h por dia.

O Mercado Municipal vai funcionar normalmente. Já os Armazéns da Família e Restaurantes Populares estarão fechados.

Os supermercados e shoppings vão funcionar com horários específicos, de acordo com cada rede.

As agências bancárias estarão fechadas. Para quem precisar fazer operações terá que utilizar caixas eletrônicos ou internet baking.

Os serviços de limpeza como coleta de lixo e o Câmbio Verde não vão funcionar nesta sexta-feira. O serviço de coleta seletiva acontece nos setores onde a frequência de uma vez por semana é na sexta. Já a varrição de ruas vai ser realizada apenas no eixo central com escala de domingo.

Nesta sexta-feira, não haverá fiscalização nas vagas do Estacionamento Regulamentado (EstaR). No sábado, o EstaR volta ao normal, valendo das 9h às 13h.

Repartições públicas estarão fechadas e voltam a funcionar apenas na segunda-feira.

Carro bate em poste

Quatro ficam feridos após motorista bater carro em poste

Quatro pessoas ficaram feridas em um acidente na Rua José Deconto Junior, no bairro Sítio Cercado, em Curitiba, na manhã deste domingo (10), após um carro bater contra um poste. O local do acidente fica a uma quadra da Rua Nicola Pellanda.

De acordo com o Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), o motorista fugiu após a batida. Pelo impacto, existe a possibilidade de ele estar acima do limite de velocidade no momento da colisão.

As quatro vítimas (dois homens e duas mulheres), com idades entre 23 e 26 anos, foram encaminhadas para o Hospital do Trabalhador. Elas ficaram feridas sem gravidade.

O veículo não tinha débitos, mas foi encaminhado ao pátio do BPTran, já que o motorista se evadiu do local. O responsável terá que pagar as taxas para retirar o veículo. Além disso, poderá arcar com o valor do poste, cobrado pela Copel.

Em função do estrago no poste, cerca de 212 residências ficaram sem luz na região, segundo a companhia.