Avatar

Jorge de Sousa

Rafinha - Coritiba - Cianorte - Campeonato Paranaense

Coritiba vence Cianorte e assume liderança provisória do Paranaense

Com uma grande atuação de Rafinha abaixo de forte chuva, o Coritiba bateu sem dificuldades o Cianorte por 2 a 0 na noite desta sexta-feira (21), reassumindo a liderança do Campeonato Paranaense de forma provisória.

O duelo válido pela oitava rodada do Campeonato Paranaense foi realizado no Couto Pereira, em Curitiba.

Rafinha e Robson marcaram os gols da vitória do Coritiba.

O Coritiba chegou aos 17 pontos e precisa agora torcer por ao menos um empate do FC Cascavel contra o Toledo neste sábado (22).

Já o Cianorte chegou ao quarto jogo sem vencer e com isso corre risco de ser ultrapassado pelo Cascavel C.R. e cair para a nona posição do Paranaense. A equipe do oeste do Paraná viaja para encarar o Athletico Paranaense neste sábado (22).

PRÓXIMOS JOGOS

As equipes voltam a campo no próximo final de semana pela nona rodada do Campeonato Paranaense.

O Coritiba viaja para encarar o Toledo, no 14 de Dezembro, no próximo sábado (29), às 20h.

Já o Cianorte recebe o FC Cascavel no Albino Turbay, no próximo domingo (01), às 16h.

RAFINHA BRILHA DEBAIXO D’ÁGUA

Rafinha - Coritiba - Cianorte - Campeonato Paranaense
Gol, assistência, bola no travessão e muita habilidade do meia mesmo com forte chuva no Couto Pereira. (Geraldo Bubniak/AGB)

O Coritiba criou a primeira chance de perigo do jogo, logo aos dois minutos. Thiago Lopes encontrou Sassá na área e o centroavante fez a parede para a finalização de Robson, que passou perto do poste direito.

Matheus Galdezani levou perigo a meta de Bruno aos 20 minutos. O volante arriscou da intermediária e a bola passou com perigo sobre o gol.

A pressão do Coritiba surtiu resultado e aos 33 minutos Rafinha abriu o placar. O meia cobrou falta perto da lateral da área direto ao gol, Bruno ainda tentou espalmar, mas a bola já estava dentro do gol quando o goleiro tocou nela.

Rafinha novamente foi decisivo para o Coritiba. Aos 43 minutos, o meia bateu falta lateral para a pequena área e Robson ganhou da marcação pelo alto para escorar firme para o fundo das redes.

O jogo caiu de nível do segundo tempo, mas o Coritiba continuou no controle das ações. Aos 13 minutos, Yan Couto cruzou na medida para Robson escorar com muito perigo à esquerda da meta.

O Cianorte criou sua primeira chance de perigo aos 15 minutos. Júnior Prego arriscou da intermediária e Alex Muralha teve que se esticar para dar um tapa na bola.

A dupla Rafinha e Robson quase marcou o terceiro gol do Coritiba aos 20 minutos. O meia novamente deu bom passe para o companheiro, que viu Bruno adiantado e tentou a finalização por cobertura, com a bola passando perto do travessão.

Rafinha seguiu levando perigo ao gol do Cianorte. Aos 25 minutos, o meia roubou bola já na entrada da área e tentou surpreender Bruno com um toque de cavadinha, acertando o travessão do goleiro.

Brasil - Uruguai - Petrovic - Copa América de Basquete - São José dos Pinhais

Brasil vence Uruguai na estreia da Copa América Masculina de Basquete

A seleção brasileira começou com vitória sua campanha na Copa América de Basquete. A equipe comandada por Aleksandar Petrovic bateu o Uruguai por 83 a 72 na noite desta sexta-feira (21), em duelo realizado no Ginásio Max Rosenmann, em São José dos Pinhais.

Mesmo em véspera de feriado e com forte chuva, o Ginásio Max Rosenmann contou com excelente público, que praticamente lotou os 4.500 lugares do espaço em São José dos Pinhais.

Os destaque do Brasil na partida foram os alas Leo Demétrio (15 pontos e 4/8 nas bolas de três) e Jhonathan (15 pontos e nove rebotes), além do pivô Rafael Mineiro (duplo-duplo com 13 pontos e 11 rebotes).

Já do lado uruguaio os destaques foram os armadores Bruno Fitipaldo (19 pontos) e Luciano Parodi (18 pontos e 4/8 nos chutes de três pontos.

REVANCHE JÁ NA SEGUNDA

O Uruguai terá a chance de dar o troco na seleção brasileira já nesta segunda-feira (24). As equipes voltam a se enfrentar pela segunda rodada do Grupo B da Copa América de Basquete, com o duelo sendo realizado em Montevidéu.

A partida irá começar às 21h, tendo transmissão do SporTV 2. Após esse confronto, o Brasil só irá entrar em quadra em novembro, quando irá receber (ainda sem sedes definidas) as seleções do Paraguai e do Panamá.

VITÓRIA SUADA

Brasil - Uruguai - Petrovic - Copa América de Basquete - São José dos Pinhais
Uruguai incomodou o Brasil, principalmente no primeiro tempo, com um forte jogo do perímetro. (Thierry Gozzer/CBB)

O Brasil iniciou dominante a partida, com um arrancada de nove pontos sem resposta, chegando a abrir 15 x 3 no marcador. Só que Parodi anotou 16 pontos na parcial e comandou a reação uruguaia, que ainda contou com 5/7 nos arremessos de três, virando o placar para 23 a 22 ao final do período.

O segundo quarto foi dominado pelas defesas. Ao invés dos 45 pontos anotados na primeira parcial, apenas 30 foram computados nesse período pautado pelo equilíbrio e decidido somente nos minutos finais. Com o placar apertado, Leo Demétrio converteu duas bolas de três nos minutos finais e o Brasil foi para o intervalo com um ponto de vantagem.

O terceiro quarto foi o mais consistente do Brasil na partida. Com uma arrancada de sete pontos seguidos e Jhonathan finalizando a parcial com oito pontos anotados, a seleção brasileira conseguiu recolocar dez pontos de vantagem no marcador, fechando o período com 28 x 23.

O Uruguai tentou reagir no início da última parcial, chegando a diminuir o marcador para apenas quatro pontos. Mas a seleção brasileira recuperou seu ritmo, finalizando a partida com uma arrancada de 14 a 7 para garantir a vitória na estreia da competição.

Aleksandar Petrovic - seleção brasileira de basquete - Copa América de Basquete - Torneio Pré-Olímpico de Basquete

Petrovic usa duelo contra Uruguai como laboratório para o Pré-Olímpico

O Brasil inicia sua caminhada na Copa América de Basquete nesta sexta-feira (21) contra o Uruguai, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Mas o olhar da seleção brasileira e do técnico Aleksandar Petrovic está dividido com o Torneio Pré-Olímpico, que irá começar no dia 23 de junho.

Como a seleção não conseguiu a vaga aos Jogos Olímpicos de Tóquio pelo Campeonato Mundial no ano passado, terá que disputar o torneio qualificatório em Split, na Croácia. Além dos donos da casa, o Brasil terá pelo caminho na competição a Tunísia na primeira fase e caso avance para as semifinais pode encontrar a Rússia, a Alemanha ou o México. Apenas uma equipe sairá com a vaga olímpica da competição.

“Nossa preparação será de duas semanas, com quatro amistosos, dois no Brasil e dois em um torneio na Polônia. Dia 20 de julho jogamos em Split. Penso que temos que chegar em um bom nível físico, porque temos que ter boas exibições para ganhar o torneio”, avaliou Petrovic.

Por isso, o duelo contra o Uruguai será a chance para diversos jovens atletas buscarem uma vaga dentro do elenco final do Pré-Olímpico. Georginho (23 anos), Gui Santos (22 anos), Leo Demétrio (25 anos), Du Sommer (25 anos), Márcio Santos (17 anos) e Dikembe (20) são alguns dos nome que vão encarar o laboratório de Petrovic por um lugar na Croácia.

“A renovação (na seleção) não será total, vamos continuar contando com Raulzinho, Vitor Benite, Augusto Lima e Bruno Caboclo. Vamos continuar escolhendo os jogadores que podem render uma boa química com os demais, pensando nos próximos quatro anos para os Jogos Olímpicos de Paris”, pontuou o técnico.

Na Copa América de Basquete, o Brasil está balizado no Grupo B juntamente com Uruguai, Paraguai e Panamá. Os três primeiros colocados da chave garante vaga nos Jogos Pan-Americanos de Santiago, no Chile, em 2023. Depois dos confrontos contra os uruguaios nesta sexta e na próxima segunda-feira (24), a seleção brasileira encara em casa panamenhos e paraguaios em novembro, atuando fora de casa contra esses rivais em fevereiro de 2021.

“Em um grupo com Uruguai, Paraguai e Panamá é seguro que vamos nos classificar. Agora é tempo para experimentar, não estou obsessivo para apenas ganharmos. Agora é tempo para vermos como se comportam alguns jogadores, até para avaliar como eles se comportam em um Pré-Olímpico”, explicou Petrovic.

“PESSOALMENTE SERÁ DIFÍCIL JOGAR CONTRA A CROÁCIA”

Aleksandar Petrovic - seleção brasileira de basquete - Copa América de Basquete - Torneio Pré-Olímpico de Basquete
Aleksandar Petrovic irá tentar colocar a seleção masculina de basquete pela terceira vez seguida nos Jogos Olímpicos. (Thierry Gozzer/CBB)

Antes do confronto contra o Uruguai, Petrovic concedeu entrevista exclusiva ao Paraná Portal e comentou suas expectativas sobre a atuação dos jovens jogadores contra o Uruguai, as dificuldades de jogar contra seu país natal e quais são seus planos para o desenvolvimento da seleção brasileira de basquete.

Quais são suas expectativas para os jovens jogadores nesses confrontos contra o Uruguai?

Para nós esses dois jogos são muito importantes, porque muitos desses jogadores vão entrar em dinâmica do futuro do basquete brasileiros nos próximos dez anos. Falo por exemplo do Márcio Santos, que tem 17 anos e pela primeira vez está na seleção brasileira.

Por isso, é uma seleção nova, embora tenhamos jogadores que participaram do Mundial como Rafa Luz e Yago para dar uma mescla em três diferentes tipos de jogadores. Quando acabar o Pré-Olímpico e depois os Jogos Olímpicos, um grupo de veteranos vai deixar de jogar com a seleção.

Não é só para ganharmos dois jogos do Uruguai. É para que esses jogadores marquem território aqui na seleção. E eu quero facilitar a eles essa entrada na seleção, fazendo com que eles joguem de uma maneira bem distinta. Porque se fala muito de ataque, de chutes de três, mas essa seleção vai começar um novo ciclo de basquete, que é muito mais internacional e que se começa desde a defesa, controle de rebotes, transição defensiva, contra-ataque, mudando um pouco a forma como eles atuam dentro do basquete nacional.

Já sabemos que temos muito claro que esses dois jogos contra o Uruguai vamos experimentar. Porque em um grupo com Uruguai, Paraguai e Panamá é seguro que vamos nos classificar.

Agora é tempo para experimentar, não estou obsessivo para apenas ganharmos. Agora é tempo para vermos como se comportam alguns jogadores, até para avaliar como eles se comportam em um Pré-Olímpico. Até porque quando cinco veteranos saem da seleção, temos que repor essas saídas.

Pré-Olímpico é uma competição para jogadores experientes, que vão atuar diante de 20 mil pessoas em uma quadra hostil. Isso é algo que apenas um jogador com muita experiência pode aguentar.

Georginho vem em uma temporada de bom nível no NBB. Como você acha que ele irá se sair nesses jogos?

Quando eu convoco eu não miro as estatísticas do NBB. Georginho não está aqui por que tem vários triplos-duplos, está aqui porque tem muita qualidade e habilidades específicas que podem auxiliar no crescimento da seleção.

Outro caso é de um grande jogador que não tem uma trajetória tão grande no Brasil, mas vem de um grande Mundial e tem uma carreira longa na Europa, que é o caso de Rafa Luz.

Porque a renovação não será total, vamos continuar contando com Raulzinho, Vitor Benite, Augusto Lima e Bruno Caboclo. Vamos continuar escolhendo os jogadores que podem render uma boa química com os demais, pensando nos próximos quatro anos para os Jogos Olímpicos de Paris. Reforço para mim não me impressionam as estatísticas, porque a forma da seleção jogar vai além.

Como é sua avaliação das dificuldades da chave do Brasil no Torneio Pré-Olímpico?

Todas as chaves são complicadas. É diferente a forma de classificação para as mulheres e para os homens. As mulheres são um torneio de quatro equipes em que três se classificam, enquanto os homens têm seis chaves e apenas um se classifica.

Basquete é um jogo global e vamos para Split, enfrentar seleções muito fortes como Croácia, Rússia e Alemanha. Mas em Belgrado se tem Sérvia, Nova Zelândia e Itália. Na Lituânia se tem Eslovênia com Doncic e Lituânia. Ainda tem chave no Canadá com Grécia e Turquia.

Para todos os lados é tudo muito complicado. Mas é um torneio muito específico e curto. Nossa preparação será de duas semanas, com quatro amistosos, dois no Brasil e dois em um torneio na Polônia. Dia 20 de julho jogamos em Split. Penso que temos que chegar em um bom nível físico, porque temos que ter boas exibições para ganhar o torneio.

Para você será especial decidir essa vaga em seu país natal?

Pessoalmente vai ser muito complicado. Eu estou em três épocas distintas no basquete croata, de 1992 a 1995, de 1999 a 2001 e de 2016 a 2017 como treinador da seleção croata.

Para mim é complicado, mas é ainda mais complicado para os croatas, porque eles sabem que todos os defeitos da equipe eu sei e isso pode ser uma grande vantagem para a equipe do Brasil.

Mas eu penso que todo mundo está obcecado com a Croácia no grupo, mas dos primeiros dois jogos só um é importante. Que é o do primeiro dia contra a Tunísia. Ganhando ele, o jogo contra a Croácia não é tão importante porque já estaríamos classificados para a semifinal e aí poderemos reencontrar a Croácia em uma possível final. Minha atenção junto dos nossos treinadores é focar totalmente na Tunísia.

A eliminação contra a República Tcheca no Mundial ainda repercute com os atletas?

Yago Mateus - seleção brasileira de basquete - Copa América de Basquete - Torneio Pré-Olímpico de Basquete
Yago é um dos dois jogadores do elenco contra o Uruguai que participou do Mundial de Basquete. (Thierry Gozzer/CBB)

Aconteceram muitas coisas. Na competição tivemos 45 dias. 44 dias saíram tudo à perfeição, mas um dia não. O dia antes dessa partida, nós tínhamos feito uma longa viagem desde de uma parte a outra de China viajando 12 horas.

Não havíamos conseguido treinar bem e não conseguimos captar forma de jogar contra a República Tcheca. Não tivemos tempo suficiente dado pela FIBA, porque a República Tcheca chegou após duas horas de uma viagem de ônibus, enquanto nós tivemos essa longa distância de avião. Não conseguimos treinar e por isso a equipe não reagiu da melhor maneira contra a República Tcheca, mas isso são coisas que acontecem em uma competição.

(Nota do editor: As duas seleções atuaram no dia 5 de setembro. O Brasil jogou em Nanquim (a 1.405,9 km de Shenzen), enquanto a República Tcheca esteve em Xangai (a 1.435,2 km de Shenzen). O duelo entre as equipes aconteceu no dia 7 de setembro em Shenzen, com vitória dos tchecos por 93 a 71, em resultado que praticamente eliminou os brasileiros do Mundial.)

 

Assim como Ruben Magnano, você irá lutar para implantar uma filosofia com foco na defesa?

A NBB segue muito a NBA, com a forma de jogar é muito mais aberta, com posições muito curtas e muitos chutes. Enquanto o Basquete Fiba é muito diferente, com jogo controlado, jogo interior e exterior.

Eu não entro em guerra com ninguém, mas a seleção deve começar a jogar por trás, desde sua defesa. Porque quando você mete 15 tiros de três você vai ganhar uma partida, mas quando você não faz a defesa é a única coisa que pode salvar sua vida.

Eu vejo com exemplo que estamos aqui com gente jovem, que já assimila a forma de jogar de outra maneira, algo que me deixa muito contente. Estou aqui há dois anos e meio e vejo que os jogadores veteranos também aceitam esse tipo de comportamento, porque é um basquete totalmente diferente que vemos aqui no NBB.

FICHA DO JOGO

Brasil x Uruguai – Primeira rodada do Grupo B da Copa América de Basquete

Ginásio Max Rosenmann, São José dos Pinhais

Sexta-feira (21), às 19h30

Transmissão: SporTV 2

Convocados por Aleksandar Petrovic: Georginho, Rafael Luz e Yago (armadores); Cauê Borges, Danilo Fuzaro, Guilherme Santos e Jhonatan (alas-armadores); Leo Demétrio, Du Sommer, Márcio Santos e Lucas Dias (alas-pivôs); Ronald, Rafael Mineiro e Dikembe (pivôs).

Atlético Mineiro - Unión - Copa Sul-Americana

Atlético Mineiro vence, mas Unión leva a vaga na Copa Sul-Americana

Mesmo anotando dois gols no primeiro tempo, o Atlético Mineiro não conseguiu reverter o placar do jogo de ida e mesmo com a vitória por 2 a 0 sobre o Unión na noite desta quinta-feira (20), foi eliminado da Copa Sul-Americana.

O Unión havia vencido o Atlético Mineiro por 3 a 0 no jogo de ida e por isso está classificado para a segunda fase da competição.

O duelo foi realizado no Mineirão, em Belo Horizonte. Otero e Hyoran marcaram os gols da vitória do Atlético Mineiro.

FOCO NA COPA DO BRASIL

O Atlético Mineiro agora volta suas atenções para a Copa do Brasil e Campeonato Mineiro.

Seu próximo compromisso é contra o Afogados, em Afogados da Ingazeira, em Pernambuco. O duelo é válido pela segunda rodada da Copa do Brasil e não tem mais o critério de vantagem pelo empate para a equipe visitante.

Já no próximo domingo (3), o Atlético Mineiro irá buscar sua reabilitação no Campeonato Mineiro, viajando até Varginha para encarar o Boa Esporte.

Ao final da sexta rodada, o Atlético Mineiro tem 11 pontos ganhos e ocupa a quarta posição do Campeonato Mineiro.

FALTOU UM GOL

Otero - Atlético Mineiro - Unión - Copa Sul-Americana
Otero comemora gol de falta marcado na primeira etapa de jogo. (Reprodução/Twitter Conmebol Sulamericana)

A primeira chance do jogo foi do Unión, logo no primeiro minuto de jogo. Corvalán arriscou de fora da área, a bola desviou em Igor Rabello e quase enganou Michael.

A resposta do Atlético Mineiro foi aos nove minutos. Guga cruzou da direita e Nathan se antecipou aos zagueiros para escorar perto do poste esquerdo.

Otero conseguiu abrir o placar aos 14 minutos. O meia bateu falta venenosa da intermediária, com a bola caindo perto do gol e enganando Moyano.

O Unión quase empatou o jogo aos 17 minutos. Após cobrança de escanteio da esquerda, Botinelli escorou no poste direito e a bola voltou nas mãos de Michael.

Após escanteio da esquerda, Calderón derrubou Réver no alto e arbitragem assinalou a penalidade aos 26 minutos. Hyoran foi para a cobrança e bateu firme no canto direito para ampliar o placar.

Moyano salvou o Unión aos 43 minutos. Hyoran fez boa jogada pela esquerda e cruzou rasteio para Nathan, que finalizou rasteiro para grande defesa do goleiro.

O Unión criou a primeira chance de perigo do segundo tempo. Cabrera recebeu na lateral da área e arriscou o chute cruzado para boa defesa de Michael.

No escanteio seguinte, Botinelli novamente ganhou pelo alto e cabeceou firme, mas Guga salvou o gol em cima da linha.

O Atlético Mineiro respondeu aos nove minutos. Otero arriscou uma falta lateral fechada, Jair resvalou de cabeça e a bola passou perto do travessão.

Moyano salvou novamente o Unión aos 11 minutos. Hyoran fez boa trama pela esquerda e rolou para trás. Di Santo fez o corta luz e Guilherme Arana chegou batendo de primeira, mas o goleiro foi rápido para abafar o chute.

Igor Rabello apareceu bem para salvar o Atlético Mineiro aos 26 minutos. Blasi arriscou de fora da área, Michael bateu roupa e o zagueiro se jogou na bola antes que Troyansky conseguisse a finalização.

Hyoran ficou perto do gol aos 33 minutos. O meia recebeu na entrada da área e buscou a finalização colocada, mas Moyano voou para dar um tapa na bola e mandar para escanteio.

Dudu - Palmeiras - Guarani - Campeonato Paulista

Dudu marca em jogo 300 e Palmeiras vence Guarani pelo Paulista

Com gol de Dudu em seu 300º com a camisa alviverde, o Palmeiras bateu o Guarani por 1 a 0 na noite desta quinta-feira (20), assumindo provisoriamente a liderança do Grupo B do Campeonato Paulista.

O duelo válido pela sétima rodada do Paulistão foi realizado no Allianz Parque, em São Paulo.

Dudu marcou o gol da vitória aos 26 minutos e chegou a perder uma cobrança de pênalti no início da segunda etapa.

O Palmeiras seca agora o Santo André, que recebe o Red Bull Bragantino neste domingo (22), para manter a liderança do Grupo B. A equipe alviverde tem 16 pontos, enquanto o rival tem 15 pontos.

Já a derrota deixa o Guarani próximo de perder posições no Grupo D. Isso porque Corinthians e Red Bul Bragantino têm oito pontos e ainda jogam na rodada.

CARNAVAL E DEPOIS CLÁSSICO

Com o jogo antecipado, os jogadores do Palmeiras vão poder curtir o final de semana de Carnaval. Mas a partir de segunda-feira (23) o foco será todo no clássico contra o Santos.

O duelo será realizado no Pacaembu, em São Paulo, no próximo sábado (29), às 16h. O confronto irá marcar o primeiro encontro entre os veteranos treinadores Vanderlei Luxemburgo e Jesualdo Ferreira.

Já o Guarani recebe o Água Santa no Brinco de Ouro da Princesa, na próxima sexta-feira (28), às 19h15.

DUDU 300

Dudu - Palmeiras - Guarani - Campeonato Paulista
Dudu recebe camisa comemorativa antes da bola rolar. (Reprodução/Twitter Allianz Parque)

Desde que chegou ao Palmeiras em 2015, Dudu anotou 69 gols e 76 assistências e venceu três títulos (Copa do Brasil 2015 e Campeonato Brasileiro de 2016 e 2018).

Na noite de homenagem ao atacante, o Palmeiras iniciou melhor a partida, conseguindo recuperar lances no campo de ataque com uma forte marcação pressão.

Mas a primeira grande chance de gol foi do Guarani aos 15 minutos. Alemão recebeu na área, cortou no mesmo drible Felipe Melo e Gustavo Gómez, e tentou a finalização rasteira, defendida com as pernas por Weverton.

O Palmeiras respondeu com Luiz Adriano aos 18 minutos. Raphael Veiga cruzou da esquerda e o centroavante acertou o poste direito com uma boa cabeçada.

Só que aos 26 minutos Dudu não desperdiçou sua chance. Willian recebeu na entrada da área, limpou a marcação e rolou para a batida firme do atacante ao fundo das redes.

Luiz Adriano teve outra boa oportunidade perdida aos 33 minutos. Dudu encontrou o centrovante na área, que bateu cruzado para bela defesa de Jefferson Paulino.

O Guarani respondeu com duas finalizações de fora da área aos 36 e 43 minutos. Primeiro Igor Henrique recebeu na entrada da área e finalizou perto do poste esquerdo. Na sequência, Lucas Crispim cruzou fechado e Weverton deu um tapa na bola para escanteio.

A primeira chance do segundo tempo foi do Palmeiras. Após tabela de Dudu e Willian, a bola sobrou para Luiz Adriano na pequena área, mas o centroavante bateu no meio do gol e Jefferson Paulino novamente fez boa intervenção.

O Palmeiras seguiu firme no ataque e aos seis minutos teve uma penalidade marcada a seu favor. Bruno Henrique deu belo lançamento para Dudu, que invadiu a área e na tentativa de finta sobre Romércio, sofreu a obstrução e o árbitro Vinicius Furlan entendeu o lance como pênalti.

Dudu pediu a bola, mas bateu a meia altura no canto esquerdo e Jefferson Paulino conseguiu espalmar a bola.

O Guarani perdeu grande chance aos 12 minutos. Lucas Crispim deu belo lançamento para Giovanny, que invadiu a área sozinho, mas chutou torto e a bola acertou o poste direito antes de sair pela linha de fundo.

Gabriel Veron ainda levou perigo ao gol de Jefferson Paulino aos 43 minutos. O atacante avançou pela esquerda, invadiu a área e arriscou o chute cruzado que passou perto do poste direito.

Bruno Henrique - Flamengo - Independiente del Valle - Recopa Sul-Americana

Flamengo e Independiente del Valle empatam após pênalti polêmico nos acréscimos

Com um pênalti polêmico marcado para os equatorianos nos minutos finais de jogo, o Flamengo cedeu empate em 2 a 2 ao Independiente del Valle na noite desta quarta-feira (19), no duelo de ida da Recopa Sul-Americana.

O duelo foi realizado no Estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, no Equador.

Murillo e Pellerano (em cobrança de pênalti) marcaram os gols do Independiente del Valle, enquanto Bruno Henrique e Pedro anotaram os gols do Flamengo.

Com o resultado, qualquer empate leva a decisão do título no Maracanã para a cobrança de pênaltis. Vitória para qualquer uma das equipes garante a taça no tempo normal.

DECISÕES EM SEQUÊNCIA

O Flamengo pode encerrar na próxima quarta-feira (26) uma sequência com três títulos conquistados.

Após vencer a Supercopa do Brasil no último domingo (16), o Flamengo enfrenta o Boavista neste sábado (22), às 18h, na final da Taça Guanabara do Campeonato Carioca.

A última taça da sequência pode ser conquistada contra o Independiente del Valle no Maracanã, na próxima quarta-feira. Assim como a Supercopa do Brasil, a Recopa Sul-Americana é um título inédito na sala de troféus do Flamengo.

VIROU, MAS NÃO LEVOU

Bruno Henrique - Flamengo - Independiente del Valle - Recopa Sul-Americana
Bruno Henrique foi levado de ambulância do estádio após se lesionar no lance do gol de empate. (Alexandre Vidal/Flamengo)

A primeira chance de gol foi do Flamengo aos dez minutos. Bruno Henrique fez o pivô para Filipe Luis, que encontrou Diego na entrada da área. O meia finalizou de primeira e a bola passou perto do travessão.

O Independiente del Valle respondeu aos 12 minutos. Franco avançou pelo centro e rolou para Faravelli na área. O volante chutou girando e a bola passou por cima da meta.

Aos 19 minutos, Murillo bateu falta lateral no ângulo direito, Diego Alves demorou para pular e o Independiente del Valle abriu o placar.

O Flamengo teve um gol anulado pelo árbitro de vídeo aos 26 minutos. Arrascaeta lançou Bruno Henrique -em posição de impedimento, e o atacante fintou Pinos e só rolou para as redes. Após quase quatro minutos de análise, a arbitragem confirmou a irregularidade do lance.

Bruno Henrique teve nova chance aos 36 minutos. Diego fez cruzamento da direita e o atacante ganhou pelo alto, mas mandou por cima da meta.

Rodrigo Caio salvou o Flamengo aos 42 minutos. Gabriel Torres foi lançado e sairia livre na área, mas o zagueiro fez o corte de carrinho para afastar o perigo.

Ainda deu tempo de Bruno Henrique quase empatar o jogo aos 45 minutos. Everton Ribeiro cruzou no segundo poste, Diego aparou para a área e Bruno Henrique finalizou perto do poste direito.

A primeira chance de perigo do segundo tempo foi do Flamengo aos dez minutos. Vitinho recebeu na ponta esquerda, limpou a jogada e finalizou firme na rede pelo lado de fora.

A resposta do Independiente del Valle foi aos 13 minutos. Franco deu bom passe para Guerrero, que invadiu a área, mas finalizou muito alto e perdeu grande chance.

Faravelli teve nova chance aos 18 minutos. Franco cobrou lateral para Cabeza que para o volante girar na área e mandar a bola perto do poste direito.

Diego Alves salvou o Flamengo aos 19 minutos. Gabriel Torres recebeu em velocidade e finalizou rasteiro para o goleiro defender sem dar rebotes.

No minuto seguinte, Arrascaeta lançou Bruno Henrique, que ganhou na velocidade de Schunke e tocou na saída de Pinos para empatar o jogo.

Na jogada, Bruno Henrique e Pinos dividiram e o atacante do Flamengo teve que ser substituído por Pedro, após sentir fortes dores na canela.

O Independiente del Valle voltou a assustar o Flamengo aos 28 minutos. Cabeza recebeu na direita e cruzou para trás. A bola chegou em Faravelli na entrada da área e o volante finalizou perto do poste direito.

Aos 34 minutos, foi a vez de Jhon Sanchez quase balançar as redes. Pellerano bateu falta da direita, a bola chegou ao segundo poste e o atacante escorou perto do travessão.

O Flamengo buscou a virada aos 40 minutos. Everton Ribeiro recebeu na direita, girou sobre a marcação e rolou para Pedro finalizar para o fundo das redes.

Mas aos 43 minutos, Murillo foi lançado na área, Rafinha recolheu a perna, mas o atacante caiu na área e o árbitro marcou a penalidade polêmica.

Pellerano foi para a cobrança e bateu firme no canto esquerdo para deixar tudo igual em Quito.

O Independiente del Valle ainda perdeu a chance da virada aos 49 minutos. Jhon Sanchez cruzou da direita e encontrou Murillo sozinho na área, mas o atacante emendou de primeira perto do travessão, desperdiçando grande oportunidade.

Copa Sul-Americana - Vasco - Oriente Petrolero

Vasco segura pressão do Oriente Petrolero e avança na Sul-Americana

Com uma bola no travessão aos 50 minutos do segundo tempo, o Vasco segurou empate sem gols contra o Oriente Petrolero na noite desta quarta-feira (19), garantindo sua classificação na Copa Sul-Americana.

O Cruz-Maltino havia vencido o jogo da ida por 1 a 0, garantindo pelo placar agregado sua vaga na segunda fase da competição.

O duelo foi realizado na Estádio Ramón Tahuichi Aguilera, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia.

O Vasco aguarda agora novo sorteio da Conmebol para conhecer seu próximo adversário na Copa Sul-Americana. O melhor resultado do Cruz-Maltino na competição foi em 2011, quando chegou até as semifinais e foi eliminado pela Universidad de Chile de Jorge Sampaoli.

TEMPO DE TREINO PARA ABEL BRAGA

Sem a vaga na final da Taça Guanabara, o Vasco terá mais de duas semanas para que o técnico Abel Braga possa colocar o time em melhor ritmo para a disputa da Taça Rio.

O Vasco fará sua estreia na Taça Rio contra o Resende, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, no dia 29 (sábado).

Na mesma semana, o Vasco terá compromisso pela segunda rodada da Copa do Brasil, quando recebe o ABC, em São Januário, no dia 5 de março (quinta-feira).

CLASSIFICAÇÃO GARANTIDA PELO TRAVESSÃO

A primeira jogada de perigo do jogo foi do Oriente Petrolero aos oito minutos. Montenegro recebeu na lateral da área e finalizou cruzado, mas Rojas chegou atrasado e perdeu grande chance para abrir o placar.

Aos 19 minutos, foi Carreño quem quase marcou o primeiro gol da partida. O volante arriscou falta da entrada da área e a bola passou perto do poste esquerdo.

O Vasco criou sua primeira chance de perigo aos 37 minutos. Yago Pikachu serviu Talles Magno, que buscou a finalização de cobertura e acertou o travessão.

Ainda deu tempo de Germán Cano criar boa chance. Aos 47 minutos, o atacante recebeu bom passe de Marcos Júnior, fintou Saucedo e bateu rasteiro perto do poste direito.

Fernando Miguel quase facilitou a tarefa do Oriente Petrolero aos cinco minutos do segundo tempo. Após cobrança de falta de Carreño, o goleiro bateu roupa e Salinas ficou livre para marcar, mas mandou a bola por cima da meta.

O Vasco respondeu com duas chegadas seguidas aos 22 e 23 minutos. Primeiro, Germán Cano cruzou rasteiro para Marrony, que pegou de primeira para Banegas espalmar.

Na sequência, Raul bateu escanteio, Banegas saiu mal da meta e Marcos Júnior rolou para Marrony finalizar para o gol, mas o atacante pegou muito embaixo da bola e perdeu grande chance.

O Oriente Petrolero voltou a assustar aos 34 minutos. Castillo lançou Zoch na área e o atacante finalizou à esquerda da meta.

Ribamar quase abriu o placar aos 42 minutos. O atacante recebeu na entrada da área e soltou a bomba para Banegas espalmar.

No minuto seguinte, Saucedo fez boa jogada pela direita e cruzou na medida para Bueno, que cabeceou perto do travessão de Fernando Miguel.

Bueno teve grande chance aos 50 minutos. Novamente Saucedo colocou a bola nos pés do atacante, que recebeu livre, cortou para o meio e acertou em cheio o travessão.

Marcos Guilherme - Internacional - Deportes Tolima - Copa Libertadores da América

Internacional empata com Tolima e leva decisão para o Beira-Rio

Em jogo lento e sem grandes chances de gol, o Internacional saiu satisfeito com um empate em 0 a 0 com o Deportes Tolima na noite desta quarta-feira (19), levando a decisão por uma vaga na fase de grupos da Copa Libertadores da América para o Beira-Rio.

O duelo foi realizado no Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, na Colômbia.

O placar foi o mesmo que o Internacional teve no jogo de ida da fase anterior contra a Universidad de Chile. No jogo de volta no Beira-Rio, o Colorado bateu o rival com facilidade por 2 a 0.

Caso passe pelo Tolima, o Internacional irá encontrar o Grêmio no Grupo E da Copa Libertadores. Será o primeiro confronto entre os rivais gaúchos na competição.

Universidad Católica do Chile e América de Cali da Colômbia fecham o Grupo E da competição.

DESCANSO ANTES DA DECISÃO

Como foi eliminado pelo Grêmio na semifinal do primeiro turno do Campeonato Gaúcho, o Internacional terá uma semana inteira para se preparar para o confronto de volta contra o Deportes Tolima.

O duelo será realizado na próxima quarta-feira (26), no Beira-Rio, às 21h30.

Após o confronto contra o Tolima, o Internacional volta suas atenções ao Campeonato Gaúcho, iniciando sua campanha no segundo turno contra o Caxias, no dia 29 (sábado), no Estádio Francisco Stédile, em Caxias do Sul.

CONTENTE COM O EMPATE

Paolo Guerrero - Internacional - Deportes Tolima - Copa Libertadores da América
Guerrero não teve vida fácil contra os zagueiros do Tolima. (Reprodução/Twitter Conmebol Libertadores)

O Internacional criou a primeira chance de gol logo aos dois minutos. Boschilia recebeu de Rodrigo Lindoso e arriscou da entrada da área para Montero espalmar para a linha de fundo.

Edenílson perdeu grande chance aos 16 minutos. O volante puxou contra-ataque contra apenas um defensor, mas na hora de rolar para Marcos Guilherme o passe saiu curto e Moya fez o desarme.

O duelo ficou mais travado, com o Tolima respondendo apenas aos 35 minutos. Campaz arriscou da entrada da área e a bola passou perto do poste esquerdo.

Campaz criou nova chance perigosa aos 46 minutos. Após fintar dois defensores, o meia chutou cruzado e Marcelo Lomba fez a defesa sem dar rebote.

Após um início de jogo truncado, o Tolima criou duas chances seguidas aos 17 e 18 minutos do segundo tempo. Primeiro, Rodrigo Lindoso saiu jogando errado e a bola sobrou para Rodríguez, que lançou Campaz. O meia invadiu a área, mas na hora da finalização Bruno Fuchs fez bom corte de carrinho.

Na sequência, Campaz cobrou escanteio e a bola caiu com Quiñónes na pequena área, mas antes da finalização do zagueiro, Guerrero travou de carrinho e Marcelo Lomba saiu da meta para ficar com a bola.

O Tolima teve nova chance aos 42 minutos. Campaz cobrou falta no segundo poste e Quiñónes escorou à direita do gol de Marcelo Lomba.

O Internacional teve sua melhor chance na partida nos acréscimos do segundo tempo. Boschilia avançou pelo centro e finalizou rasteiro para Montero espalmar.

Aos 47 minutos, foi a vez de Bruno Fuchs, após rebote na entrada da área, buscar a finalização colocada no canto direito e Montero deu um tapa para a linha de fundo.

Fluminense - Unión La Calera - Copa Sul-Americana

Fluminense não fura retranca da Unión La Calera e está fora da Sul-Americana

Em um jogo truncado e com pouco futebol, o Fluminense pouco criou e foi eliminado da Copa Sul-Americana ao empatar por 0 a 0 com a Unión La Calera na noite desta terça-feira (18).

O Fluminense foi eliminado pelo critério de gols qualificados, porque cedeu o empate em 1 a 1 no Maracanã no primeiro jogo do confronto.

O duelo foi realizado na Estadio Municipal Nicolás Chahuán Nazar, em La Calera, no Chile.

A Unión La Calera confirmou sua fama de “asa negra” dos brasileiros na Copa Sul-Americana, sendo responsável por ter eliminado a Chapecoense na última temporada e ter vendido caro a derrota nas penalidades para o Atlético Mineiro também na edição 2019.

FINAL DE SEMANA DE DESCANSO

Sem a vaga na final da Taça Guanabara, o Fluminense ganha o final de semana de descanso e só volta a atuar na próxima semana.

Já pela Copa do Brasil, o Fluminense faz sua estreia no torneio contra o Moto Club, na próxima quarta-feira (26), em São Luis, no Estádio Castelão, às 21h30.

Pelo Campeonato Carioca, o Fluminense retorna a campo somente no dia 29 (sábado), quando a equipe recebe o Madureira no Maracanã.

FALTOU FUTEBOL

O jogo foi muito truncado, marcado por fortes divididas e pouca criação de jogadas. A primeira chance de gol foi apenas aos 27 minutos, quando Gilberto serviu Nenê na entrada da área e o meia tentou a finalização por cobertura, mas Arias foi rápido e se recuperou na jogada.

Ainda no primeiro tempo, o Fluminense reclamou de uma penalidade em Caio Paulista. Aos 36 minutos, Evanilson puxou contra-ataque lançou Nenê e o meia cruzou na marca do pênalti para Caio, mas o atacante se enrolou com a zaga e forçou a queda.

A primeira chance do segundo tempo foi do Unión La Calera. Cordero cruzou na medida para Sáez que escorou perto do poste direito.

A Unión La Calera voltou ao ataque aos 34 minutos. Dessa vez, Sáez foi quem cruzou e Valencia apareceu sozinho para escorar e Muriel fez firme defesa.

O Fluminense respondeu aos 38 minutos também na bola aérea. Nenê serviu Evanilson na área e o atacante cabeceou por cima do travessão.

Arias salvou o Unión La Calera aos 42 minutos. Yuri arriscou de fora da área e o goleiro se esticou para espalmar a finalização.

Antes do final de jogo, o Castellani teve a chance de matar o jogo aos 43 minutos. Vilches puxou contra-ataque, invadiu a área e finalizou para boa defesa de Muriel, com o rebote ficando limpo para o meia, que bateu perto do poste direito.

Renan Bressan - Paraná Clube - Operário - Campeonato Paranaense - Vila Capanema

Paraná Clube vence Operário e ganha primeira na Vila Capanema em 2020

Em um jogo equilibrado, Renan Bressan marcou gol logo em seu primeiro toque na bola e o Paraná Clube bateu o Operário por 1 a 0 na noite deste domingo (16), conquistando sua primeira vitória como mandante na temporada.

O duelo válido pela sétima rodada do Campeonato Paranaense foi realizado na Vila Capanema, em Curitiba, com 2501 torcedores presentes.

A vitória deixou o Paraná Clube com nove pontos na oitava colocação, sete pontos abaixo do líder FC Cascavel.

Já o Operário perdeu a chance de empatar em pontos com o FC Cascavel e caiu para a quarta posição com 13 pontos ganhos.

PRÓXIMOS JOGOS

As equipes voltam a campo no sábado de Carnaval (22), pela oitava rodada do Campeonato Paranaense.

O Paraná Clube viaja até Cornélio Procópio para encarar o PSTC, no Ubirajara Medeiros, às 17h.

Já o Operário viaja para Francisco Beltrão para encarar o União, às 16h, no Estádio Anilado.

VITÓRIA COM A ESTRELA DE BRESSAN

Allan Aal - Paraná Clube - Operário - Campeonato Paranaense - Vila Capanema
Allan Aal conseguiu sua primeira vitória como mandante em sua passagem como técnico do Paraná Clube. (Geraldo Bubniak/AGB)

A primeira chance na Vila Capanema saiu logo aos dois minutos. Raphael Alemão recebeu na entrada da área e finalizou cruzado perto do poste direito.

Nova chance do Paraná Clube aos 24 minutos. Após cobrança de escanteio, Thales ganhou pelo alto e cabeceou perto do travessão.

Aos 32 minutos, André Luiz foi quem salvou o Operário. Michel faz boa jogada e serviu Kaio na área. O meia finalizou firme para bela defesa do goleiro, mas o rebote ficou com Rodrigo Rodrigues na pequena área e o atacante chutou rente ao poste direito.

O Operário respondeu aos 40 minutos com Tomas Bastos. O meia arriscou uma finalização da intermediária e Alisson bateu roupa, mas a defesa conseguiu afastar.

Alisson se redimiu aos 45 minutos. Tomas Bastos cobrou escanteio da esquerda e Jefinho cabeceou para o chão da pequena área, obrigando o goleiro paranista a defender em cima da linha, impedindo a bola de entrar no gol.

Após cerca de dez minutos de paralisação para a volta do intervalo, devido a falha em alguns refletores na Vila Capanema.

Com quatro minutos, André Luiz salvou novamente o Operário. Michel recebeu a bola na área e o meia finalizou cruzado para grande intervenção do goleiro.

Mas aos 14 minutos, o Paraná Clube conseguiu o seu gol. Michel recebeu na lateral da área e rolou para Renan Bressan chegar finalizando de primeira no alto da meta, sem chances para André Luiz.

Lucas Batatinha teve boa chance para empatar o duelo aos 24 minutos. O atacante foi lançado na ponta esquerda, cortou para dentro, mas finalizou fraco e no meio do gol para fácil defesa de Alisson.

Nova chance do Operário aos 44 minutos. Tomas Bastos recebeu na direita, cortou para o meio e chutou cruzado para boa defesa de Alisson.