Avatar

William Bittar - CBN Curitiba

celular telemarketing não perturbe

Número de furtos e roubos de celulares cai no primeiro semestre

No primeiro semestre de 2019, 9.242 celulares foram furtados e 6.781 foram roubados no Paraná, segundo dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública. Os números representam redução no comparativo com o primeiro semestre do ano passado, quando foram registrados 9.983 furtos e 8.087 roubos dos aparelhos.

Um dos locais mais visados para esse tipo de crime é dentro do transporte coletivo, principalmente em horários de pico, quando os ônibus acabam ficando com lotação máxima de passageiros.

O porta-voz da Polícia Militar, tenente-coronel Waldick Alan de Almeida Garrett, orienta que é preciso tomar algumas precauções, principalmente em locais de grande aglomeração de pessoas.

“Celular, como é objeto pequeno, pode ser facilmente furtado, então a pessoa precisa prestar atenção onde vai deixar. Principalmente se for colocado em bolsos, que seja em bolsos frontais, e se for em bolsa que seja em bolsa que ela consiga colocar na frente do corpo”, disse.

A Polícia Civil do Paraná alerta que alguns criminosos podem utilizar informações pessoais do dono do celular para inúmeros outros ilícitos, entre eles o roubo de dados bancários e extorsões mediante pedido de recompensa pelos dados obtidos na invasão dos aparelhos. Por isso, é importante o proprietário do celular ter alguns cuidados com o aparelho quanto à segurança de suas informações.

A orientação é que cidadão não deve reagir em caso de abordagem de um criminoso, preservando a vida em primeiro lugar.

Depois do ocorrido, deve ser feita a queixa junto à Polícia Militar, pelo número 190 e o registro de um boletim de ocorrência, medida essencial para o trabalho de mapeamento feito pela Polícia. Na parte técnica do celular também é preciso tomar alguns cuidados, para proteger dados e senhas pessoais.

Outras dicas para proteção dos dados do celular são: fazer o backup das informações, manter uma senha de bloqueio para uso do celular, utilizar wifi somente em locais de confiança e usar apenas celulares originais.

Tão importante quanto registrar o furto ou roubo é fazer o bloqueio do celular informando o número do IMEI junto à operadora, fazendo com que o aparelho fique sem funcionamento. O número geralmente consta na nota fiscal ou na caixa do aparelho.

Motorista de ônibus é agredido ao socorrer ciclista que pegava rabeira

Um motorista foi agredido por adolescentes, no final da tarde deste domingo (15), após parar o veículo depois de um acidente com um ciclista, na Rua Padre Anchieta, no bairro Bigorrilho, em Curitiba. Segundo a Guarda Municipal, o rapaz que estava na bicicleta pegava “rabeira” do ônibus que vinha na direção contrária quando foi atingido.

Ainda de acordo com a GM, o motorista desceu do veículo para atender o rapaz, mas foi agredido por cerca de 10 adolescentes. O motorista precisou ser levado para um hospital.

Já os adolescentes, que ainda apedrejaram o veículo, foram levados Delegacia do Adolescente.

Recentemente, outro motorista de ônibus também foi agredido em situação parecida.

No dia 25 de agosto, um motorista que fazia a linha Centenário/Campo Comprido foi agredido por cerca ciclistas que estavam pegando “rabeira” no transporte coletivo. A situação aconteceu na estação-tubo Bruno Filgueira, também no bairro Bigorrilho.

Naquela ocasião, o Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) emitiu uma nota informando que “já vem alertando as autoridades sobre esse problema com ciclistas, e vai reforçar o pedido para que sejam tomadas ações efetivas, a fim de que esses episódios não voltem a ocorrer”.

Sobre o motorista agredido neste final de semana, a reportagem não conseguiu informações sobre o estado de saúde dele até a publicação.

Dengue: Paraná registra mais 72 casos em uma semana

Mais 72 casos de dengue foram confirmados no Paraná na última semana, segundo o boletim epidemiológico semanal divulgado, nesta terça-feira (10), pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Ao todo, são 257 casos registrados desde a primeira semana de agosto.

Dos casos confirmados, 204 são autóctones, ou seja, foram contraídos no mesmo município em que a pessoa infectada vive. Além disso, mais 14 cidades registraram casos pela primeira vez desde o início do levantamento epidemiológico, em agosto.

Os municípios com maior número de casos confirmados são: Foz do Iguaçu (19), São Miguel do Iguaçu (18) e Umuarama (14).

Até esta terça-feira, foram feitas 2.767 notificações da doença em 185 municípios paranaenses e 701 foram descartadas para dengue.

Os municípios com maior número de casos suspeitos notificados são: Londrina (440), Foz do Iguaçu (229) e Maringá (182).

De acordo com o boletim, dois municípios estão em situação de alerta de epidemia da doença: Floraí e Inajá.

O mosquito Aedes aegypti também é responsável pela transmissão do Zika Vírus e Chikungunya.

Segundo o boletim desta semana, forma notificados 32 casos de suspeita de Chikungunya e 4 casos de suspeita de Zika Vírus no Paraná, mas nenhum deles foi confirmado até o momento pela Sesa.

transporte coletivo ônibus curitiba

Vereadores aprovam tarifa diferenciada e bilhete único no transporte de Curitiba

O substitutivo que trata do bilhete único para o transporte coletivo de Curitiba foi aprovada, por unanimidade, na Sessão Plenária da Câmara Municipal de Curitiba, desta segunda-feira (9). A proposta, do vereador Bruno Pessuti (PSD), inclui ainda a criação de condições jurídicas para viabilizar também a passagem com preço diferenciado, em determinados horários e linhas.

Conforme a iniciativa, a “chamada tarifa temporal”, também conhecida como “bilhete único”, permite ao passageiro pegar mais de um ônibus durante um determinado período de tempo, mesmo fora de terminais, sem pagar nova passagem. Já as tarifas diferenciadas por horário, autorizam a cobrança de um valor mais baixo fora dos horários de pico.

Segundo o vereador, o projeto pretende incentivar que a população utilize o transporte coletivo da cidade.

“Esse projeto retoma a característica inovadora da cidade de Curitiba no transporte coletivo. Sempre fomos vanguarda, mas perdemos essa capacidade de inovação ao longo dos últimos anos. Agora, criando novas possibilidades tarifárias, é uma forma de atrair o passageiro para dentro do transporte. Infelizmente, temos acompanhado uma queda muito grande dos passageiros pagantes”, avalia.

Atualmente a passagem em Curitiba custa R$ 4,50 e só permite integrações em terminais e estações-tubo.

Segundo o parlamentar, o projeto viabiliza que o bilhete único possa funcionar de diversas formas.

“Sempre dissemos que essa tarifa única de R$ 4,50 tenha validade por duas horas, mas novas tarifas podem ser criadas. Como uma nova tarifa única diária, quinzenal e mensal. Um valor que seria um tanque de gasolina, o usuário poderia utilizar o transporte durante o mês inteiro. Quem recebe o vale-transporte, pode ser beneficiado. Ao invés de pagar 44 passagens, ter um vale-transporte mensal de maneira ilimitada. Pode utilizar cinco, dez, 15 vezes por dia. Claro, com biometria, para impedir uma fraude”, completa.

O substitutivo pretende incluir dispositivos na lei municipal que trata sobre a organização do transporte coletivo de Curitiba. Além da tarifa diferenciada, a proposta regulamenta a validade dos créditos do cartão-transporte por um ano, com exceção da Linha Turismo. Os créditos expirados seriam incorporados ao FUC (Fundo de Urbanização de Curitiba).

Na última semana, a Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba) anunciou um projeto piloto para aplicação de tarifa diferenciada do transporte coletivo em horários de menor movimento. A nova tarifa, de R$ 3,90 (R$ 0,60 a menos que a tarifa convencional), está sendo aplicada na linha Pinhais/Guadalupe desde esta segunda-feira (9) nos períodos entre às 9h e às 11h; 14h e 16h; e 20h e 00h.

O vereador Bruno Pessuti disse que um dos dispositivos do projeto é semelhante a esse testado pela Comec, mas que a Urbs ainda estuda qual será o valor.

“O preço não está definido, a URBS está fazendo os cálculos. Temos certeza que poderá atingir uma redução de até 10% no preço para beneficiar aquelas linhas que tem grande ociosidade. É uma vantagem para o cidadão e uma opção radical para o transporte coletivo. Temos que fazer essa opção para avançar como uma cidade moderna e inovadora”, finaliza.

O projeto agora segue para votação em segundo turno. Se aprovado, irá para sanção ou veto do Prefeito. Caso seja sancionada, a lei entrará em vigor 30 dias após a publicação em Diário Oficial do Município.

brittes caso daniel interrogatório

Caso Daniel: Edison Brittes fica em silêncio durante interrogatório à Justiça

Um dos interrogatórios mais aguardados no processo que apura a morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, não aconteceu. Edison Brittes Júnior preferiu ficar em silêncio nesta quarta-feira (4) e não respondeu a nenhum dos questionamentos dos advogados de defesa, do Ministério Público do Paraná e da assistência de acusação.

Além dele, Ygor King e David Vollero Silva também preferiram ficar em silêncio e ficaram poucos minutos na sala de interrogatório.

O advogado de David e Ygor, Rodrigo Faucz afirmou que foi uma determinação dele para que os clientes ficassem em silêncio, já que Edison Brittes não falou.

“Eles optarem ficar com silêncio, por orientação minha, tendo em vista a necessidade de se ouvir primeiro o que Edison vai falar. Ficou bem provado, por todos que falaram até agora, que a participação deles é em relação as agressões. Por isso, a gente preferiu que eles ficassem em silêncio”, disse.

Antes deles, foram interrogadas Allana Brittes, filha de Edison, e Evellyn Perusso. Ambas responderam a alguns questionamentos sobre a morte de Daniel. Elas são as únicas, por enquanto, que respondem ao processo em liberdade.

Três dias foram reservados para o interrogatório dos réus, mas a previsão é de que essa fase do processo seja encerrada nesta quinta-feira (5).

Depois disso, abre-se o prazo para as alegações finais dos advogados de defesa, da assistência de acusação e do Ministério Público do Paraná para então a juíza Luciane Regina Martins de Paula decidir se os réus vão ou não a júri popular.

Caso Daniel: réus são interrogados pela primeira vez

*Atualizada às 10h*

Os sete réus que respondem pela morte do jogador Daniel Corrêa Freitas devem prestar esclarecimentos a Justiça a partir desta quarta-feira (4). Os envolvidos chegaram ao Fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, por volta das 8h30. Será a primeira vez que Edison Brittes, assassino confesso do atleta, e os outros acusados falarão ao judiciário. O crime ocorreu em outubro do ano passado.

Respondem pelo crime o comerciante Edison Brittes, assassino confesso de Daniel; Cristiana Brittes, esposa de Edison;  Allana Brittes, filha do casal; Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, Ygor King, David Vollero Silva e Evellyn Brisola Peruss

As audiências de instrução aconteceriam nos dias 13, 14 e 15 de agosto, mas foram adiadas porque a defesa da família Brittes solicitou o interrogatório de um jornalista. A defesa de Edison, Cristiana e Allana, filha do casal, quer apurar o responsável por vazar fotos de Cristiana. Para os advogados, o jornalista teria ido a loja de assistência de celulares, na qual a esposa de Edison deixou o celular para conserto após o crime, e teve acesso ao material antes da polícia.

Mais uma vez, três dias foram reservados pela juíza Luciane Regina Martins de Paula, da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, para interrogar os sete réus acusados de envolvimento na morte de Daniel.

PASSO A PASSO

Os cinco presos chegaram pela entrada de trás do Fórum. Evellyn Perusso e Allana Brittes entraram pela porta da frente.

Edison Brittes chega ao Fórum. (Foto: Ernani Ogata/Código19/Folhapress)

A defesa da família Brittes colocou um banner branco na sala de audiência, para que os acusados não sejam vistos de fora do local. O que dificulta o acompanhamento da imprensa.

O primeiro interrogado é o jornalista da Rede Massa, João Gimenez, sobre a situação que ele teve acesso ao celular de Cristiana antes do inquérito.

O advogado de Evellyn Brisola Perusso, Luiz Roberto Zagonel, disse que ela vai falar sobre a participação de Eduardo Purcotes, um dos jovens que estaria na casa, mas foi ouvido apenas como testemunha. “Ela vai falar toda a verdade. Essa verdade ainda que doa aos poderosos, que é a figura central da denúncia dela”, disse.

Edison, Cristiana e Allana devem ser ouvidos por último conforme pedido da defesa. “Eu desde a fase da outra audiência de interrogatórios sustentava que eles devem ser ouvidos por último. Existem possíveis cargas acusatórias dos demais acusados e isso tudo vai fazer com que o requerimento da defesa seja no sentido de que eles sejam os últimos a serem interrogados. Tudo vai depender da juíza, dos outros advogados, então estamos com uma folha em branco para escrever a história desse ato principal que vai finalizar essa parte oral do processo que são os interrogatórios”, explicou o advogado Claudio Dalledone.

O advogado de Rodrigo Faucz, que representa Ygor King e David Vollero Silva, disse que para eles não faz diferença a ordem dos depoimentos. O defensor solicitou o pedido de liberdade dos dois.

QUEM SÃO OS ACUSADOS

Respondem pelo crime o comerciante Edison Brittes, assassino confesso de Daniel; Cristiana Brittes, esposa de Edison;  Allana Brittes, filha do casal; Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, Ygor King, David Vollero Silva e Evellyn Brisola Perusso.

Dos suspeitos,  Evellyn Brisola Perusso e Allana Brittes respondem ao processo em liberdade. Os outros cinco foram detidos poucos dias após o crime:

  • Edison Brittes Júnior – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de adolescente e coação no curso do processo;
  • Cristiana Brittes – homicídio qualificado por motivo torpe, coação do curso de processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Allana Brittes – coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Eduardo da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • Ygor King – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual e corrupção de adolescente;
  • David Willian Vollero da Silva – homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de adolescente e denunciação caluniosa;
  • Evellyn Brisola Perusso – denunciação caluniosa, fraude processual, corrupção de adolescente e falso testemunho.

O CASO

Revelado pelo Cruzeiro e com passagens por Coritiba, São Paulo, Ponte Preta, Botafogo e São Bento, Daniel veio para Curitiba comemorar o aniversário de 18 anos de Allana Brittes, no dia 26 de outubro de 2018, em uma casa noturna, no bairro Batel. A comemoração se estendeu na casa dos pais de Allana, Cristiana e Edison Brittes, último lugar que o jogador teve contato com amigos pelo WhatsApp. Na casa, ele foi espancado e depois conduzido no porta-malas do carro de Edison até a Colônia Mergulhão, onde foi morto.

Beto Richa adia Caso Daniel Foto SPFC
Foto: Reprodução/SPFC

O corpo do jogador foi encontrado em uma área de mata, na cidade de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, no sábado, 27 de outubro de 2018, por moradores da região. Ele estava nu, com diversos cortes, dois deles profundos na região do pescoço, e teve o pênis decepado. O órgão estava pendurado em uma árvore a 20 metros de onde o corpo foi encontrado.

Edison foi gravado em ligação com um amigo da vítima se lamentando sobre o sumiço do atleta e dando outra versão sobre o que aconteceu na noite em que Daniel morreu. Na ligação, que aconteceu após o corpo de Daniel ter sido encontrado e identificado, Edison Brittes diz que não sabia como Daniel foi embora e que estava chocado com o caso. Falou também que teve que dar calmante para a filha, Allana, após saberem da morte da vítima e que ele chegou a ligar para a irmã de Daniel para dar os pêsames.

O empresário afirma que Daniel estava no quarto tentando estuprar Cristiana. O delegado responsável pelo caso, Amadeu Trevizan, declarou que a família Brittes mentiu nos depoimentos e que teriam formulado uma história.

Vereadores aprovam projeto que veta uso de produtos inflamáveis na impermeabilização de estofados

O projeto de lei que veta o uso de produtos inflamáveis foi protocolado dois dias depois que o apartamento de um prédio explodiu no bairro Água Verde, em Curitiba, no dia 29 de junho, enquanto um sofá era impermeabilizado. Na ocasião, três pessoas ficaram gravemente feridas e um menino, de 11 anos, morreu.

De acordo com a proposta do vereador Colpani (PSB), o decreto da Prefeitura de Curitiba pode ser derrubado facilmente, mas o projeto de lei na Câmara Municipal tem um poder até maior.

Colpani também lembra que o decreto municipal não prevê multa para as empresas que continuarem utilizando produtos inflamáveis para a impermeabilização.

De acordo com o vereador, em Curitiba, 50 empresas fazem o serviço de impermeabilização, mas o trabalho diminuiu por conta do medo das pessoas em realizar esse tipo de serviço depois do acidente do dia 29 de junho.

Representantes de várias empresas de impermeabilização acompanharam a primeira votação na manhã desta segunda-feira (2) na Câmara Municipal.

Além disso, o projeto de lei prevê que as empresas de impermeabilização precisam de averiguação e liberação prévia de órgãos como as secretarias municipais do Urbanismo e do Meio Ambiente; Corpo de Bombeiros; Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil; Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi); e a Delegacia de Explosivos, Armas e Munições (Deam) da Polícia Civil.

 

sarampo em curitiba 21 anos 1998 confirmado foto ministério da saúde

Boletim aponta 47 casos de sarampo em investigação no Paraná

Segundo o primeiro boletim do sarampo divulgado pela Secretaria de Saúde do Paraná, 47 casos de sarampo são investigados no estado. O boletim divulgado nesta quinta-feira (29) revela ainda que são sete casos confirmados da doença. Além disso, 11 casos foram descartados.

O primeiro caso de sarampo no Paraná foi confirmado no dia 07 de agosto em uma moradora de Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba.

Desde então, foram confirmados mais quatro casos em Curitiba, um em Rolândia e um em Jacarezinho.

Antes disso, o Paraná estava há 20 anos sem registro de sarampo. O último caso aconteceu em 1999, remanescente do surto ocorrido no ano anterior. Em 1998 ocorreram 873 casos no Paraná e um óbito decorrente de complicações da doença.

Dos sete casos registrados em 2019, seis tem como fonte provável de contágio o estado de São Paulo e um o estado de Santa Catarina.

O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus e que pode ser contraída por pessoas de qualquer idade, mas as complicações decorrentes do sarampo são mais graves em crianças menores de cinco anos.

Vacinação

Por isso, o Ministério da Saúde estipulou que todas as crianças de seis meses a menores de um ano devem ser vacinadas contra o sarampo. Além disso, a vacinação é obrigatória aos 12 meses e aos 15 meses de vida.

A vacina contra o sarampo é gratuita e faz parte do Calendário Nacional de Vacinação.

A população com até 29 anos deve receber duas doses da vacina. E para as pessoas que estão no grupo com idade entre 30 e 49 anos basta ter o registro de uma dose que são consideradas vacinadas. Acima dos 50 anos, a vacina é indicada apenas nos casos de bloqueio vacinal após a exposição com casos de suspeita da doença ou confirmados.

Pessoas imunodeprimidas, mulheres grávidas e menores de seis meses de idade não devem tomar a vacina. Profissionais da área da saúde devem ser vacinados, independentemente da idade.

Em Curitiba, a vacinação contra o sarampo é disponibilizada nas 110 unidades básicas de saúde. Para receber a vacina é preciso ir até uma destas unidades levando um documento com foto e a carteira de vacinação (caso tenha).

Motorista que atropelou policial militar é indiciado por homicídio doloso

A Polícia Civil concluiu o inquérito que apura a morte do policial militar Lukas Raffael Gasparin Brandt, de 28 anos, em julho deste ano. Segundo o relatório do delegado de São José dos Pinhais, Amadeu Trevisan, o motorista do caminhão que atropelou o policial, “assumiu o risco de produzir o resultado”, pois ao que tudo indica, “além de ter ingerido bebida alcoólica, trafegava na pista contrária, estava em velocidade excessiva e se evadiu do local do acidente sem prestar socorro à vítima”.

Joel Bin, de 44 anos, foi indiciado por homicídio com dolo eventual, quando há a intenção de matar.

Lukas Brandt foi morto logo após sair do batalhão onde trabalhava. Ele foi atingido pelo caminhoneiro que, segundo a Polícia Militar, invadiu a pista contrária da Alameda Arpo, no Jardim Cruzeiro. O motorista fugiu sem prestar atendimento à vítima. Imagens de câmeras de segurança da região registraram o momento em que o policial foi atingido.

No relatório, o delegado afirma que “o primeiro defensor que representou o acusado confessou para a imprensa que Joel havia ingerido bebida alcoólica e que estava sob efeito de remédios no momento do crime”.

Em nota divulgada à imprensa após os fatos, a defesa constituída de Joel Bin afirmou que o advogado que compareceu com o motorista na delegacia “nunca o representou” e que “o Sr. Bin nunca fez uso de medicamentos controlados, muito menos afirmou estar bêbado no momento da tragédia”.

Além disso, o delegado usou no inquérito policial as palavras da esposa do motorista que foi abordada por policiais militas em casa, no dia do atropelamento. Em um vídeo gravado pelos policiais, ela afirmou que o motorista chegou em casa embriagado e “não conseguia nem falar”.

No entanto, em depoimento à Polícia Civil, ela mudou a versão. Segundo a defesa, a mulher ficou acuada com a presença dos policiais e só falou que o marido tinha bebido porque tinha medo que os policiais o matassem, já que eram colegas da vítima.

Sobre o encerramento do inquérito, a defesa do motorista do caminhão não quis se manifestar. Joel Bin responde ao processo em liberdade e o Ministério Público do Paraná (MPPR) deve decidir se oferece ou não denúncia contra o motorista.

acidente vista alegre

Acidente entre ônibus e carro deixa sete pessoas feridas; veja o vídeo

Sete pessoas ficaram feridas em um acidente envolvendo um ônibus do transporte coletivo e um carro, na manhã desta sexta-feira (30), na Rua Victorio Viezzer, no bairro Vista Alegre, em Curitiba. Cinco passageiros do ônibus e o motorista e um passageiro do veículo foram encaminhados ao hospital.

Segundo o Corpo de Bombeiros, que atendeu a ocorrência, testemunhas contaram que o carro estava em alta velocidade quando o motorista perdeu o controle do veículo e bateu de frente com o transporte coletivo.

O acidente aconteceu pouco antes das 6h da manhã e o trânsito ficou bloqueado totalmente para o atendimento das vítimas e retirada dos veículos.

Ainda não há informações sobre o estado de saúde dos feridos. O caso deve ser encaminhado à Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) da Polícia Civil.