câmara de apucarana
Compartilhar

Operador de propinas alvo da Lava Jato é considerado foragido em Portugal

O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) emitiu um mandado de detenção contra o empresário luso-brasileiro Raul Schmidt no ..

Jordana Martinez - 02 de fevereiro de 2018, 13:37

O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) emitiu um mandado de detenção contra o empresário luso-brasileiro Raul Schmidt no âmbito da Operação Lava Jato, e determinou a extradição para o Brasil, segundo a imprensa portuguesa.

O juiz relator do processo de extradição rejeitou, no dia 24 de janeiro, o pedido de reapreciação do acórdão por "falta de fundamento legal e violação do caso julgado" e "emitiu mandados de detenção contra Raul Schmidt Júnior", e extradição para o Brasil.

O empresário seria um dos operadores de propinas da Lava Jato e é suspeito de corrupção e organização criminosa. Raul Schmidt estava proibido de se ausentar do país e era obrigado a apresentação semanal às autoridades, mas de acordo com a polícia apresentou atestados médicos e não cumpriu a determinação.

A Justiça portuguesa já considera o empresário foragido.

"Tendo mandado averiguar, a polícia nunca o encontrou em casa", indica a resposta do TRL.

Em entrevista à agência Lusa , o advogado de Raul Schmidt, Pedro Delille, negou que o cliente esteja foragido e afirmou que vai recorrer da decisão. Argumentou ainda que Schmidt "não pode ser extraditado" por ser "português nato".