camara de tamarana
Compartilhar

Denúncia contra Katia dos Animais será votada amanhã em plenário

Com Francielly AzevedoA Mesa Diretora da Câmara Municipal de Curitiba encaminhou, nesta segunda-feira (21) para a Correg..

Andreza Rossini - 21 de agosto de 2017, 09:34

Com Francielly Azevedo

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Curitiba encaminhou, nesta segunda-feira (21) para a Corregedoria da Casa as denúncias envolvendo a vereadora Katia Dittrich (SD), conhecida como “Katia dos Animais de Rua”, acusada por ex-assessores de exigir parte dos salários dos funcionários comissionados.

A Corregedoria precisa apresentar a manifestação sobre o assunto ainda hoje. "Amanhã será colocado em plenário para votação e será decido se a denúncia será acatada ou não. Será feita a apreciação através do votos dos vereadores e, se for admitida, ocorre a continuidade com ampla defesa da vereadora", afirmou o presidente da Casa Sérginho do Posto.

Segundo Serginho, o corregedor deve apresentar o parecer técnico da denúncia. "Pelo nosso regimento interno a Corregedoria sempre precisa se manifestar e, a partir da posição do corregedor, o caso é votado no plenário".

A votação será por maioria simples. Se for acatada pelo plenário, será instalada uma Comissão Processante, com três vereadores sorteados.

A vereadora deve se posicionar amanhã após a votação.

Vereadora é acusada de se apropriar de salários de funcionários

Vereadora diz que vai responder denúncia “com ainda mais trabalho”

Denúncias

Seis ex-assessores de Kátia apresentaram comprovantes de depósitos bancários e termos de declaração em que afirmam terem sido demitidos depois de se recusarem a entregar parte dos salários para a vereadora.

“Trabalhei normalmente no gabinete da vereadora Katia durante o mês de janeiro, até que ela me falou que assim que eu recebesse meu primeiro pagamento, eu deveria repassar à eles o valor de R$2.000,00, e justificou que seria para cobrir despesas das diversas atividades que pretendiam realizar, e que esta seria uma solicitação que ela estaria fazendo à todos os funcionários do gabinete, com exceção dos dois funcionários que foram nomeados com um CC8, por ser o menor salário (em torno de R$ 2.000,00)”, relata um dos denunciantes, que diz ter sido exonerado no dia seguinte à sua recusa à proposta.

“Em torno de 15 dias antes da citada assumir oficialmente a função de vereadora, ela e seu esposo, Marcos Whiters, estiveram em minha casa, e então para minha surpresa, me disseram que eu teria que contribuir com um valor de R$ 1.500,00 mensais do meu salário, o que seria uma prática que a ser realizada por todos os funcionários que fossem nomeados com o objetivo de manter algumas despesas que ela teria com o trabalho no gabinete”, cita um outro ex-funcionário.

Outro lado

Na última terça-feira (15), a vereadora foi procurada pelas equipes de reportagem do Paraná Portal e TV Band Curitiba para se posicionar. Logo depois, deixou o local para conversar com seu advogado e verificar se poderia dar alguma declaração.

Minutos mais tarde, a parlamentar retornou e pessoalmente disse que daria entrevista, porém, por estar trabalhando no momento, gravaria só após o término da sessão. O que não ocorreu. Já em seu gabinete, Katia não recebeu os jornalistas e emitiu a resposta por meio de nota, dizendo desconhecer a denúncia.

A nota não aborda os fatos da denúncia, mas a vereadora prometeu responder as acusações “com mais trabalho”. “Estejam certos que eventuais denúncias serão respondidas com ainda mais trabalho e com mais dedicação à causa animal e na área da saúde, bandeiras que ergui e que manterei altas no exercício de meu mandato”, diz.