câmara de vereadores
Compartilhar

Microsoft e Gartner participam de evento sobre indústria 4.0

A Microsoft e a Gartner estão entre as empresas que vão participar, nesta quarta-feira (16), da “Jornada para o Mundo Di..

Mariana Ohde - 15 de agosto de 2017, 08:28

A Microsoft e a Gartner estão entre as empresas que vão participar, nesta quarta-feira (16), da “Jornada para o Mundo Digital”, evento promovido pelo Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Sistema Fiep). A ideia é discutir a Indústria 4.0 por meio de palestras, workshops e painéis de discussão com renomados profissionais da área e cases de inovação em processos produtivos. A entrada é gratuita.

Segundo o presidente do Sistema Fiep, Edson Campagnolo, repensar os processos produtivos é necessário diante das mudanças que a tecnologia traz para a relação de consumo. “A evolução do mundo digital está transformando desde as formas de produção até a maneira como o consumidor interage com os produtos. As indústrias precisam se adaptar a isso, revisando processos e até mesmo repensando modelos de negócios. É para despertar a consciência do setor industrial paranaense sobre essa nova realidade que o Sistema Fiep promove a Jornada para o Mundo Digital”, explica.

Durante o evento, serão apresentadas experiências de indústrias instaladas no Brasil que já implantaram processos alinhados com a indústria 4.0. Elas fazem parte de um grupo de empresas que já compreendeu os ganhos de competitividade trazidos por esta nova forma de produção. A Microsoft, a Kick Ventures, a Whirlpool e a Gartner são algumas delas.

A presidente da Microsoft Brasil, Paula Bellizia, afirma que a transformação digital é uma oportunidade para a retomada da produtividade da indústria.“Estamos em um momento histórico, em que assistiremos a um novo salto de produtividade na economia graças a novas tecnologias impulsionadas pela nuvem. A principal destas tecnologias é a Inteligência Artificial”, explica.

O vice-presidente de pesquisa da Gartner, Cassio Dreyfuss, será um dos palestrantes e esclarece que a jornada digital não é uma transformação tecnológica ou uma transformação da área de TI, mas é uma transformação da empresa. “Organização e pessoas precisam adotar uma nova visão e, aí sim, empreenderem juntos a jornada”, diferencia.

Dreyfuss aponta muitos desafios hoje no Brasil para empreender a jornada digital, entre eles superar a crise econômica, administrar o tempo, dinheiro e paciência. No entanto, esperar as condições ideais não é possível. “Não podem simplesmente dizer: por agora, vou me concentrar em sobreviver; depois penso na transformação digital. Não é possível. Os competidores em outros lugares do mundo estão avançando. Não dá para esperar”, alerta.

Uma pesquisa realizada em 2016 pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que ouviu 2.225 indústrias de todos os portes, mostra que mais da metade delas ainda não utiliza nenhuma das dez tecnologias digitais listadas no levantamento – como automação digital sem sensores; prototipagem rápida ou impressão 3D; utilização de serviços em nuvem associados ao produto; ou incorporação de serviços digitais nos produtos.