câmara dos deputados
Compartilhar

Perdas de mando de campo do Atlético-PR serão julgadas nesta quinta-feira pelo TJD-PR

O pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) marcou para esta quinta-feira (8) o julgamento das duas per..

Francielly Azevedo - 07 de março de 2018, 12:00

O pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) marcou para esta quinta-feira (8) o julgamento das duas perdas de mando de campo do Atlético-PR. O rubro-negro foi punido por causa de uma confusão no clássico Atletiba, no dia 4 de fevereiro. O Furacão recorreu e conseguiu um efeito suspensivo.

No primeiro julgamento, o clube atleticano foi condenado por maioria dos votos com multa de R$ 17 mil e a perda de mando de dois jogos. O rubro-negro foi denunciado após torcedores acenderem sinalizadores no Couto Pereira e lançarem quatro bombas.

"Consta do relatório do árbitro principal da partida, Sr. Lucas Paulo Torezin, que as torcidas de ambos os times lançaram, uma contra a outra, artefatos explosivos. Minutos antes do início do jogo, mais precisamente as 16h55, torcedores do Atlético iniciaram o arremesso de bombas contra a torcida do clube mandante. Nesta oportunidade foram laçadas um total de 3 (três) bombas", diz o despacho.

Conforme o documento, as ações da torcida atleticana se repetiram e foram enquadradas no art. 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). "Aos quatro minutos do segundo tempo de jogo os torcedores Atlético retomaram seus ataques contra a torcida do Coritiba e realizaram o lançamento de mais uma bomba, como registrado na súmula da partida. Próximo ao término do jogo, aos 48 minutos da segunda etapa, a torcida atleticana ascendeu sinalizadores, em número que não foi identificado pela equipe de arbitragem", relata na denúncia.

O Coritiba também foi penalizado no mesmo artigo do CBJD com multa de R$ 17 mil. O alviverde foi denunciado por ser mandante do jogo e por alguns torcedores também atirarem bombas em direção a torcida rival.

O auxiliar-técnico do Coritiba Tcheco foi expulso durante o clássico e responde pelo artigo 258 do CBJD. "Em cada uma das duas vezes que invadiu o campo de jogo, o Denunciado dirigiu-se aos membros da equipe de arbitragem para reclamar de suas decisões, utilizando-se de palavras e expressões desrespeitosas, além de colocar em dúvida o profissionalismo e a imparcialidade dos árbitros", diz o documento. Tcheco foi absolvido por unanimidade em primeira instância.