câmara dos vereadores
Compartilhar

Há 15 anos Lula era eleito presidente do Brasil; Lava Jato é capítulo à parte

Lenise Klenk, Thaissa Martiniuk e Ivan Brandão, BandNews FMNeste 27 de outubro de 2017, em seu aniversário de 72 ..

Narley Resende - 27 de outubro de 2017, 15:59

Lenise Klenk, Thaissa Martiniuk e Ivan Brandão, BandNews FM

Neste 27 de outubro de 2017, em seu aniversário de 72 anos, é com o pé na estrada, em meio a processos na Justiça e em tom de campanha, que Luiz Inácio Lula da Silva olha o futuro, logo ali em 2018, sem esquecer o passado, 15 anos desde que foi eleito presidente do Brasil.

Dois meses antes daquela eleição, disse o petista em um comício: “Lulinha não quer briga, Lulinha quer paz e amor”. E depois de três derrotas, essa versão reinventada chegou à vitória nas eleições.

"Se havia alguém no Brasil que duvidava que um torneiro mecânico...

Embora a peça não acusasse formalmente Lula de organização criminosa, o procurador Deltan Dallagnol enumerou um conjunto de 14 evidências para defender a tese de que o ex-presidente é a peça central do esquema de corrupção na Petrobras.

"Essas provas demonstram que Lula era o 'Grande General', que comandou a realização e a continuidade da prática crimes, com poderes para determinar o funcionamento e, se quisesse, para determinar sua interrupção", enfatizou o coordenador da força-tarefa Lava Jato no MPF.

Em Curitiba, Lula se tornou réu em três ações penais. Na primeira, foi condenado a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do triplex. Lula recorre da decisão, no TRF de Porto Alegre. Ele foi absolvido da acusação que envolvia o armazenamento dos bens do acervo presidencial.

O ex-presidente ainda responde a dois processos: um deles, relacionado ao terreno para o Instituto Lula e a um apartamento em São Bernardo do Campo (SP). O outro, à propriedade do sítio em Atibaia. Ele se disse preocupado com a "República de Curitiba".

Ao ser interrogado pela segunda vez em Curitiba, em setembro, Lula se disse alvo de uma campanha difamatória. Ele quebrou o protocolo questionando o juiz Sérgio Moro sobre imparcialidade.