câmara dos vereadores
Compartilhar

Paraná terá cem novas vagas em cursos de medicina abertas neste ano

O Governo Federal autorizou a abertura de 11 novos cursos de medicina no país que vão ofertar, neste ano, 710 novas vaga..

Andreza Rossini - 02 de agosto de 2017, 10:48

O Governo Federal autorizou a abertura de 11 novos cursos de medicina no país que vão ofertar, neste ano, 710 novas vagas nas regiões Sul e Sudeste. No total, são 2.305 vagas - as regiões Norte e Nordeste serão contempladas na próxima rodada de autorizações.

No Paraná, recebem cursos de medicina as cidades de Campo Mourão, no centro-oeste - 50 vagas, na Faculdade Integrado de Campo Mourão e Pato Branco, no sul do estado - 50 vagas na Faculdade de Pato Branco/FADEP.

Para autorizar a abertura dos cursos, o MEC consultou o Ministério da Saúde a fim de identificar quais municípios estavam aptos a receber os novos cursos de medicina. Entre os critérios de escolha estão a necessidade da região, a infraestrutura da instituição de ensino e a relação de número médico/habitante. O município precisa ter um hospital com mais de 80 leitos no Sistema Único de Saúde (SUS) e com potencial para hospital de ensino.

“Todas as instituições de educação superior credenciadas neste ato passaram por rigorosas fases de habilitação e classificação, nas quais foram averiguadas habilitação da mantenedora, análise da experiência regulatória da mantenedora e da mantida e análise e classificação das propostas”, informou o secretário de Regulação e Supervisão do Ensino Superior do MEC, Henrique Sartori. Além disso, o MEC manteve diálogo com o Conselho Nacional de Educação (CNE) para eventuais esclarecimentos durante o processo de autorização.

Conforme as diretrizes curriculares de medicina homologadas em 2014, os cursos abertos funcionarão tendo como norte, entre outros aspectos, a inserção do aluno nas redes de serviços de saúde, consideradas como espaço de aprendizagem, ao longo de toda a graduação. Também nesse sentido, os estudantes deverão prezar pela adoção de diferentes cenários de ensino-aprendizagem, organização da prática, trabalho em equipe multiprofissional e vinculação, por meio da integração ensino-serviço. Deverá ser priorizada, ainda, a formação médico-acadêmica alinhada às necessidades sociais da saúde, com ênfase no SUS.

No Brasil

No Rio de Janeiro, será contemplada Angra dos Reis (55 vagas – Universidade Estácio de Sá/ Unesa), e, no Rio Grande do Sul, Novo Hamburgo (60 vagas – Universidade Feevale) e São Leopoldo (65 vagas –  Universidade do Vale do Rio dos Sinos/Unisinos).

Já em São Paulo, serão autorizadas graduações do curso em Araras (55 vagas – Faculdade São Leopoldo Mandic), Guarulhos (100 vagas – Universidade Nove de Julho/Uninove), Mauá (50 vagas – Uninove), Osasco (70 vagas – Uninove), Rio Claro (55 vagas – Faculdade Claretianorc) e São Bernardo do Campo (100 vagas – Uninove). Essas localidades demonstraram ter forte demanda para medicina.