câmara federal
Compartilhar

Investigada pela PF, Sanepar fecha acordo bilionário para despoluir Rio Iguaçu

Redação com informações de Fábio BuchmannA Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) fechou um acordo bilionário com o..

Fernando Garcel - 07 de março de 2018, 14:14

Redação com informações de Fábio Buchmann

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) fechou um acordo bilionário com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) após investigações da Polícia Federal (PF) no âmbito da Operação Água Grande. Com milhões em multas discutidos na Justiça, a empresa irá investir R$ 1 bilhão em obras de saneamento e recuperação do rio.

Ibama multa Sanepar em R$ 300 milhões por esgoto em rios do Paraná

Em 2008, o rio Iguaçu foi considerado o segundo rio mais poluído do Brasil, superado apenas do rio Tietê, em São Paulo. Em 2012, a poluição do Rio Iguaçu foi alvo da PF que investigou a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar). Na época, a PF chegou a classificar a Sanepar como uma empresa de fachada que cobrava pelo tratamento de esgoto, mas não realizava o serviço. Isto teria contribuído para a degradação do Rio Iguaçu.

Com as investigações, a empresa paranaense foi alvo de inúmeras ações e multas. Nesta semana, a empresa firmou um acordo com o Ibama para zerar o passivo ambiental.

A Sanepar deverá investir R$ 1 bilhão ao longo dos próximos 5 anos para pagamento de indenizações, além de obras de saneamento e de recuperação do Rio Iguaçu. Parte dos valores referentes à indenizações será depositado no Fundo Estadual de Meio Ambiente que aplica os recursos em projetos ambientais. A outra metade vai para um fundo nacional destinado a receber valores referentes á multas ambientais.

Segundo o diretor presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche, a empresa paranaense não estaria admitindo que é a culpada soberana pela degradação do Rio Iguaçu, mas diz que aceitou o acordo porque tem preocupação com o meio ambiente. "A Sanepar, como uma empresa cuidadora do meio ambiente, vimos como oportunidade para pacificar essas questões de multas que tínhamos no passado", diz o diretor.

Mounir Chaowiche questionou a metodologia aplicada pela PF na época da Operação Iguaçu – Água Grande. Segundo ele a ação foi equivocada e desde então, existe uma preocupação com o resgate da imagem da instituição. "É lamentável, nós não concordamos como a forma que foi feita e colocada. Nós recorremos na Justiça e o Ministério Público Federal cumpriu com o arquivamento. Na Justiça ele poderia se prolongar por muitos anos na discussão de quem está com a razão", aponta Chaowiche.

Pelo acordo firmado, a Sanepar se comprometeu a regularizar a situação de todas as estações de tratamento de esgoto, além de divulgar relatórios periódicos sobre a qualidade dos resíduos que despeja nos rios.