câmara municipal de apucarana
Compartilhar

Casos de ataques a bancos aumentam e preocupam, diz sindicato

Da CBN CuritibaUm furto na agência do banco Santander na Rua Emiliano Perneta, no centro de Curitiba, chamou atenção pel..

Francielly Azevedo - 08 de agosto de 2017, 08:45

Da CBN Curitiba

Um furto na agência do banco Santander na Rua Emiliano Perneta, no centro de Curitiba, chamou atenção pelo modo como tudo aconteceu. Na manhã desta segunda-feira (7), pouco antes do início do expediente bancário, um suspeito invadiu a agência, danificando uma placa de ferro que fica na área dos caixas eletrônicos. O homem pegou cerca de R$ 100 mil que estavam em cima de um dos cofres.

O dinheiro estava no local porque seria colocado nos caixas eletrônicos. O funcionário que trabalhava no momento da invasão se assustou e deixou tudo para trás.

O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região, João Soares, afirma que a execução do criminoso foi diferente da normalmente utilizada por quadrilhas.

"Ali foi um caso meio inusitado. Eu ainda não tinha visto uma situação como aquela, o cara se esconder atrás da placa e pegar o dinheiro na hora que o funcionário do banco estava abastecendo a agência. Isso pode ser uma nova modalidade por parte dos bandidos? Pode sim! Isso é preocupante? É preocupante sim! Então isso realmente nos deixa preocupados", diz.

 

Aumento nos casos 

Conforme avaliação de João Soares, os casos de ataques a bancos e serviços relacionados vêm aumentando em 2017.

"Eles tem aumentado, principalmente a quantidade de assaltos a carro forte aumentou muito desde o ano passado. Nós já tivemos sete, só no Paraná. O Estado é o terceiro no ranking de assaltos e isso tem nos preocupado bastante", conta.

Segundo dados compilados pelo Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região, foram registrados neste ano, no Paraná, 91 ocorrências relacionadas a bancos, como arrombamentos de agências, arrombamentos e explosões de caixas eletrônicos e cofres dentro das agências, arrombamento de caixas eletrônicos no comércio, assaltos e explosão de carro-forte.

Conforme esse levantamento, foram 14 assaltos a bancos neste ano, sendo um em Balsa Nova, cinco em Londrina, um em Mandirituba, dois em Maringá, dois em Ponta Grossa, um em Rosário do Ivaí, outro em Inácio Martins e um em Pontal do Paraná.

 

Mudanças 

O diretor da Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito no Paraná, Reinaldo Cavalcanti de Oliveira, destaca que o aumento de segurança nas agências vem sendo discutido com a Federação Nacional dos Bancos. Um dos objetivos é evitar casos de sequestros de funcionários e familiares para forçar a abertura das agências. Ou ainda evitar situações que envolvam reféns.

"O que nós queremos: tirar essa guarda da chave de abertura dessas agências. A gente está estudante uma forma onde o funcionário não tem acesso a abertura da agência. A abertura seria feita por uma equipe de vigilância remota", destaca.

Oliveira ainda revela que os criminosos vão mudando a forma de cometer os furtos e assaltos. A ação ainda pode aproveitar de falhas na operação da agência.

"Mas eles mudam muito de modalidade. Há um mês atrás eram explosões, agora esse caso do Banco Santander, pequenos furtos vem acontecendo", lembra.

No caso do furto na agência no centro de Curitiba, toda a ação foi registrada pelas câmeras de segurança. O suspeito fugiu após o furto.