câmara municipal de apucarana
Compartilhar

Polícia e vigilância apreendem alimentos vencidos em Ong de Curitiba

A Polícia Civil e a Vigilância Sanitária de Curitiba apreenderam  mantimentos fora do prazo de validade em uma instituiç..

Andreza Rossini - 28 de fevereiro de 2018, 15:39

A Polícia Civil e a Vigilância Sanitária de Curitiba apreenderam  mantimentos fora do prazo de validade em uma instituição que atende crianças carentes no bairro Cajuru, em Curitiba. Os alimentos foram apreendidos no momento em que estavam sendo preparados, além de outros itens que estavam na despensa do local, também com prazo de validade vencido.

A entidade é uma Organização Não Governamental (Ong) que desenvolve atividades no contra turno escolar das crianças.  A unidade de Curitiba é uma das 47 filiais, em todo o Brasil, que oferecem atividades esportivas, aulas de música e projetos sociais para crianças em situação de vulnerabilidade social. Segundo o delegado-titular do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Civil, Rodrigo Brown, a ação surgiu a partir da denúncia da mãe de uma das crianças que frequenta a ONG e passou mal depois de ingerir os alimentos.

"Essa denúncia nos chamou muita atenção pela gravidade social que trazia. Nós recebemos a ligação de uma senhora que se dizia mãe de uma criança que permanecia na ONG e essa senhora relatou que estariam servindo comida vencida e que seu filho teria passado mal devido a isso. Em conversa com funcionários, teriam relatado que uma série de alimentos vencidos estavam sendo servidos para as crianças. Devido à gravidade nós imediatamente pedimos apoio à vigilância sanitária e ontem no final da manhã organizamos fiscalização no local e verificamos a realidade das denúncias", explicou.

O delegado revela que muitos alimentos do depósito da instituição também estavam comprometidos, inclusive peças de carne em estado de decomposição.

"Estavam sendo preparadas as refeições para o almoço. No lixo da cozinha encontramos uma grande quantidade de embalagens vazias, dos alimentos que estavam sendo utilizados para o almoço, com data de validade vencida. Também encontramos grande quantidade de alimentos vencidos no depósito de alimentos da instituição. Mais da metade dos alimentos da despensa estavam impróprios para o consumo. A carne já estava em estado de decomposição, com cheiro forte", disse.

Cerca de 60 crianças estavam na casa no momento da abordagem da polícia.

Por conta da relevância do trabalho desenvolvido, a unidade não foi interditada pela vigilância sanitária no momento da fiscalização.

No momento da ação, a coordenadora da ONG não estava  no local. Funcionários foram encaminhados para a delegacia para prestar depoimentos.  A ONG foi atuada pela vigilância sanitária e os alimentos vencidos foram retirados do local. A coordenadora vai responder por fornecer alimentos impróprios para o consumo, maus tratos de menores e pode pegar pena de até seis anos de prisão.

As investigações continuam. A suspeita é que o local tenha lucrado com o uso de alimentos vencidos.

Fotos: Divulgação