camara municipal
Compartilhar

Câmara recebe denúncia contra vereador Thiago Ferro

Com BandNews CuritibaA Câmara Municipal de Curitiba recebeu, nesta terça-feira (23), uma denúncia contra o veread..

Mariana Ohde - 23 de agosto de 2017, 10:25

Com BandNews Curitiba

A Câmara Municipal de Curitiba recebeu, nesta terça-feira (23), uma denúncia contra o vereador Thiago Ferro (PSDB). Thiago foi acusado de se apropriar dos salários de assessores do gabinete - mesma acusação que levou a vereadora Kátia Dittrich (SD) a ser alvo de uma Comissão Processante nesta semana.

Porém, no caso de Thiago, a denúncia não está baseada em provas e, sim, no relato de uma pessoa que conhece o parlamentar e teria trabalhado com ele antes da denúncia. Os fatos relatados por esta pessoa teriam acontecido antes do início do mandato do vereador - eleito nas eleições de 2016 com 6.298 votos -, mas envolveriam um funcionário atual do gabinete e, por isso, o caso deve ser investigado.

"Existe um relato de que existe uma questão trabalhista anterior a 2017. Na declaração, a pessoa coloca fatos anteriores ao mandato do vereador. Porém, nessa mesma declaração é citada uma pessoa que trabalha no gabinete. O fato de ter sido citada essa pessoa foi um fator determinante para que o corregedor dê andamento e faça toda coleta de materiais para o esclarecimento", explica o presidente do legislativo municipal, Serginho do Posto (PSDB).

O corregedor da Câmara, vereador Dr. Wolmir Aguiar (PSC), deve ouvir os citados e colher provas. "Esses fatos serão apurados. Independentemente do partido que seja, todos os fatos têm que ser esclarecidos. O que nós queremos é transparência em todos os atos que envolvam vereadores, servidores e assessores", explica o presidente.

Na manhã desta quarta-feira (23), Thiago se defendeu na Câmara. Ele negou as acusações. "Eu confio na minha inocência. Eu tenho orgulho do segmento que represento. Tenho uma família que está ali, líderes dessa cidade que estão acompanhando essa sessão. Cabe ao acusador, ao ameaçador, àquele que está vinculado a esses Boletins de Ocorrência, que mandaram mensagens de SMS no telefone da minha esposa, ameaçando minha família por quase quatro meses, apresentar as provas. Porque não existem provas", disse.