camara municipal
Compartilhar

Vereador quer PPP para câmeras em ônibus

Por Francielly Azevedo / CBN CuritibaA Câmara Municipal de Curitiba começou a analisar um projeto de autoria do v..

Roger Pereira - 20 de fevereiro de 2018, 18:02

Por Francielly Azevedo / CBN Curitiba

A Câmara Municipal de Curitiba começou a analisar um projeto de autoria do vereador Oscalino do Povo (Podemos) que prevê a criação de parceria público-privada para a instalação de câmeras de vigilância em ônibus. As empresas privadas colocariam as câmeras nos veículos, estações-tubo e terminais e em troca teriam espaço para publicidade nos ônibus do transporte coletivo.

Na justificativa da proposição, o parlamentar diz que “não é de hoje que os problemas de segurança no transporte coletivo têm sido uma questão no cotidiano dos cidadãos curitibanos”. Inclusive, com os vários casos de violência nos ônibus, em setembro do ano passado, o então secretário de Estado da Segurança Pública, Wagner Mesquita, determinou um aumento no policiamento ostensivo em Curitiba e Região Metropolitana. Na época, Mesquita deu um prazo de 30 dias para que fosse definida a tecnologia a ser instalada no monitoramento do transporte da capital.

O vereador Oscalino, ressaltou que a nova proposta seria uma resposta a dificuldade da Prefeitura em fazer valer uma legislação que já existe e foi publicada em diário oficial há sete anos. Em 2011, uma lei do então vereador Juliano Borghetti, foi sancionada em Curitiba. Ela determina a implantação de sistema de segurança baseado em vídeo monitoramento em tempo real nos ônibus, estações- tubo e terminais.

Em nota, a Prefeitura informou que “o sistema de transporte de Curitiba já conta com cerca de 500 câmeras instaladas em estações-tubo e terminais. A Urbs também está testando câmeras no interior de algumas linhas para definir o melhor padrão técnico e a eficiência dos equipamentos e planejar o item de fábrica na renovação da frota. Os novos 25 biarticulados que chegarão em março, já contarão com câmeras, que servem para auxiliar os órgãos de segurança pública”, diz o comunicado.

Caso aprovada, a nova lei do vereador Oscalino do Povo entra em vigor 90 dias após a publicação no diário oficial do município.