camara municipal
Compartilhar

Pessoas afetadas pelas chuvas em Curitiba precisam de doações

Redação com Francielly Azevedo | CBN CuritibaA prefeitura de Curitiba, por meio da Fundação de Ação Social (FAS), atende..

Fernando Garcel - 05 de março de 2018, 17:54

Redação com Francielly Azevedo | CBN Curitiba

A prefeitura de Curitiba, por meio da Fundação de Ação Social (FAS), atendeu mais de 900 famílias em função das chuvas que atingiram a capital no último fim de semana. Os bairros mais afetados foram CIC, Portão e Pinheirinho, mas também tiveram pessoas que sofreram com alagamentos no Bairro Novo, Fanny, Boa Vista, São Lourenço, Água Verde, Hauer, Rebouças, Tatuquara, Santa Felicidade e Boqueirão. Ao todo, 15 pessoas ficaram desalojadas, todas já estão abrigadas em casas de parentes.

Segundo a assessora de Planejamento e Gestão Estratégica da FAS, Roberta Mello Pivatto, não há desabrigados.

De acordo com o Simepar, a média histórica de chuvas para o mês de março é de 140 milimetros. Na noite do último sábado, das 19h30 até às 20h, choveu 38,4 milimetros. E nas 12h seguintes de chuva intensa, entre sábado e o início de domingo, foram registrados mais 70,2 milimetros, o que equivale à metade do previsto para todo o mês.

A assessora da FAS destaca que as pessoas atendidas estão precisando de doações de roupas (masculina, feminina e infantil), cobertores, colchões, alimentos, materiais de higiene e roupas de cama.

A Prefeitura de Curitiba também vai distribuir mais 9,1 toneladas de alimentos, em caráter emergencial, para as famílias afetadas pelas fortes chuvas do fim de semana. A Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab) enviará para a Fundação de Ação Social (FAS), até o fim desta segunda-feira (5), 700 cestas com oito itens (açúcar, arroz, feijão, macarrão, molho de tomate, sal, café e óleo).

Doações

As roupas, cobertores, colchões, alimentos, materiais de higiene e roupas de cama podem ser levados, de preferência, na Central da FAS, que fica na Rua Eduardo Sprada, 4.520, no bairro Campo Comprido. Quem não conseguir se descolar até lá, pode levar no terminal mais próximo.