camara municipal
Compartilhar

Carli Filho chega ao Tribunal sob gritos de assassino

Relembre o casoNa madrugada do dia 7 de maio de 2009, Carli Filho dirigia a pelo menos 160 Km/h com a carteira de motori..

Jordana Martinez - 27 de fevereiro de 2018, 14:28

Foto: Daniel Derevecki
Foto: Daniel Derevecki

Relembre o caso

Na madrugada do dia 7 de maio de 2009, Carli Filho dirigia a pelo menos 160 Km/h com a carteira de motorista cassada. O carro, um Passat blindado, decolou do asfalto e arrancou o teto do Honda Fit de Gilmar Rafael Yared e Carlos Murilo, que morreram antes da chegada do socorro. O ex-deputado foi levado para o hospital com um quadro grave e instável, ficou na UTI, respirando por aparelhos. Ainda no hospital, um exame indicou que Carli Filho tinha 7,8 decigramas de álcool por litro de sangue. Por ter sido feito sem consentimento, a defesa conseguiu que o teste fosse desconsiderado como prova.  Uma perícia contratada pela família de uma das vítimas afirma que as câmeras de segurança do local do acidente foram adulteradas.

Carli Filho foi eleito deputado em 2006, com 46 mil votos, quando tinha 23 anos de idade. Recebeu mais de 46 mil votos, cerca de 37 mil deles na cidade onde o pai era prefeito. Se for condenado por duplo homicídio, a pena pode chegar a 30 anos de prisão.

“Difícil de engolir”, desabafa Christiane Yared

Passo-a-passo do julgamento

• Escolha do júri

O tribunal convocou 45 cidadãos, mas só sete serão sorteados para compor o júri.

• Testemunhas

Ambas as partes vão poder interrogar as testemunhas de acusação e de defesa.

• Acusado

É a vez de o júri ouvir Carli Filho, mas ele não é obrigado a comparecer

• Debates orais

Acusação e defesa falam por 1h30 cada e, se quiserem, há uma réplica e tréplica com 1h cada.

• Veredicto

Os jurados se reúnem em uma sala secreta, votam por cédulas e o juiz anuncia a sentença