camara municipal
Compartilhar

Coleta, iluminação e trânsito lideram solicitações ao 156

Repórter Brunno Brugnolo, do Metro CuritibaNo primeiro semestre deste ano, a prefeitura de Curitiba recebeu 234.072 soli..

Andreza Rossini - 01 de agosto de 2017, 08:53

Repórter Brunno Brugnolo, do Metro Curitiba

No primeiro semestre deste ano, a prefeitura de Curitiba recebeu 234.072 solicitações de serviço feitas por meio da Central 156, uma média de 1.293 pedidos por dia. Isso sem contar outros 277.894 pedidos por informações.

Entre os serviços o pódio segue o mesmo dos últimos anos, com a coleta de vegetal e entulhos na frente, seguida pela iluminação pública e o trânsito (fiscalização, melhoria de sinalização e denúncias de infrações).

Juntos, os três serviços representam quase metade do total – 45,15%. O número é bem semelhante ao dos últimos anos, mas com queda pelos pedidos de coleta – que chegavam perto dos 30% do total – e a crescente demanda sobre a iluminação pública.

Segundo o coordenador de atendimento ao cidadão do 156, Ozires de Oliveira, a redução das solicitações de coleta é reflexo de algumas medidas da prefeitura. “Este serviço em específico não funcionou no fim do ano passado e no início deste ano foi feito um mutirão. O trabalho no momento está menos reativo – que é o papel do 156 – e mais ativo. No meu bairro, por exemplo, o Uberaba, são dez pedidos abertos no momento, mas eles já estão passando e fazendo outras remoções antes de chegada de outros pedidos. A própria população percebe”, explicou.

Nos primeiros seis meses do ano as 56 equipes da prefeitura recolheram 32 mil toneladas de entulhos e restos vegetais. Para solicitar o serviço o volume não pode passar o equivalente a cinco carrinhos de mão (se for superior, o morador precisa contratar serviço específico).

Já com relação à iluminação, o problema vem crescendo paulatinamente. Em 2013, os pedidos representavam apenas 6% do total, em 2014 chegou perto dos 9%, em 2015 passou dos 10% e neste ano já está perto dos 12% (11,84%).

Para Oliveira, a questão vai além da manutenção. “Pelas solicitações, nós percebemos que está bem ligado a insegurança e o aumento da criminalidade. É o vandalismo de quem depois vai agir no local ou de ladrões que roubam os equipamento públicos”, disse. “Nosso papel também é alertar o poder público. Não adianta só trocar a lâmpada porque amanhã alguém quebra de novo, infelizmente”, lamentou.

Neste sentido, em 2017 a reposição de iluminação em praças e ciclovias está sendo feita com um sistema antifurto de cabos e luminárias mais resistentes.

Aprovação

O índice de satisfação com os serviços prestados pela prefeitura cresceu de 76,8% para 80,2% se comparado ao 1º semestre do ano passado. O mesmo aconteceu com a satisfação do atendimento realizado pela central (subiu de 93,3% para 95,1%). No total os atendimentos caíram de 669.169 para 605.154, segundo Oliveira devido a menos pedidos de informações sobre a desintegração do transporte.