camara municipal
Compartilhar

Médico acusado de matar de Renata Muggiati é solto

O médico Raphael Suss Marques acusado de matar a modelo fisiculturista Renata Muggiati, em 2015, deixou o Complexo Médic..

Andreza Rossini - 25 de agosto de 2017, 10:31

O médico Raphael Suss Marques acusado de matar a modelo fisiculturista Renata Muggiati, em 2015, deixou o Complexo Médico Penal de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, na quinta-feira (24).

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (Sesp) ele é monitorado com tornozeleira eletrônica.

A decisão liminar de soltura foi proferida pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJ), na última terça-feira (22) e permite que o acusado trabalhe, mas impede que ele saia de casa após às 20 horas. O advogado de defesa de Rafael, Edson Abdala, afirmou que o julgamento definitivo deve ocorrer dentro de um prazo de 30 dias.

O advogado da família de Renata Muggiati, Claudio Dalledone Junior, explica que a liminar agora precisa ser votada pelos demais desembargadores. “O relator do Habeas Corpus tomou essa decisão liminarmente, porém essa decisão carece de julgamento dos demais desembargadores. Nesse caso, o relato e mais dois desembargadores devem julgar a decisão”, explicou.

O médico estava preso desde dezembro de 2016, quando foi acusado por agressão e ameaça a mulher. Em maio deste ano ele foi condenado a quatro meses e cinco dias de prisão pelos crimes de lesão corporal e ameaça. A pena já estava cumprida devido ao tempo que Suss estava preso, mas a Justiça negou, em junho, o pedido de liberdade do acusado alegando que ele deveria continuar detido até o fim do julgamento do caso da fisiculturista.

Na época, o Ministério Público dp Paraná (MP) pediu que a prisão preventiva fosse mantida,  alegando que Rafael descumpriu uma série de obrigações e condutas necessárias para a liberdade, desde a morte de Muggiati.

“Ele já deu provas exuberantes de que, quando em liberdade, fica estimulado a cometer outros delitos. Tanto é que foi preso e condenado pelo mesmo crime, o de violência doméstica. É um precedente perigoso, ele não respeita nenhuma medida imposta”, afirmou Dalledone.

Raphael não pode ainda se aproximar da ex-namorada, a quem agrediu e ameaçou no ano passado.

Morte de Renata Muggiati

Renata morreu na noite de 12 de setembro de 2015. A suspeita é de que ela tenha sido asfixiada e atirada da janela do 31º andar pelo namorado. Fotos e mensagens enviadas por celular, que constam no processo, reforçam a tese de que ela era vítima constante de agressões.

Ele nega o crime e alega que Renata se suicidou.

Foram realizados, ao todo, três exames no corpo de Renata – dois deles apontaram que ela teria sido asfixiada antes de cair pela janela. O último exame, feito após a exumação do corpo, concluiu que a atleta foi morta antes da queda.  O processo corre em segredo de Justiça.