camara municipal
Compartilhar

Empresários pedem legislação específica para segurança jurídica de Vilas Gastronômicas

Apesar do sucesso, os novos Centros e Vilas gastronômicas que surgiram em Curitiba nos últimos anos  vivem uma situação ..

Jordana Martinez - 01 de fevereiro de 2018, 16:40

Apesar do sucesso, os novos Centros e Vilas gastronômicas que surgiram em Curitiba nos últimos anos  vivem uma situação de "insegurança jurídica". Esse tipo de empreendimento, que não é caracterizado nem como shopping center, nem como centro comercial, não para de crescer.

Os chamados "espaços compartilhados" estão presentes em várias regiões da cidade; desde os empreendimentos pioneiros como a Mercadoteca, no Mossunguê, o Distrito, no Seminário e o Ca'dore, no Bacacheri, até o recém inaugurado Vila Yamon, na Itupava, e o Viv América, no Batel.

Em meados do ano passado surgiram o Street 444, no Batel, e no Portão, o MercadoSal. Nos próximos meses, mais dois empreendimentos devem ser abertos ao público; a Vila Urbana e Santa Vila.

Empresários e investidores estão se mobilizando para pedir a criação de uma legislação específica para essa modalidade de atividade. Nesta quarta-feira (31), os empresários estiveram reunidos com o presidente da Abrabar, (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), com o vereador Helio Wirbiski (PPS) e representantes do Corpo de Bombeiros para discutir a "segurança jurídica" no uso desses espaços compartilhados.

O presidente da Abrabar destacou as vantagens dessa modalidade que está gerando emprego e renda no setor e serve de modelo para outras regiões do estado.

"A batalha de regulamentar os espaços compartilhados, os centros gastronômicos ou espaços gastronômicos, é para dar segurança jurídica aos novos investidores, empreendedores, aos lojistas, para que esse novo segmento modelo que está crescendo na cidade de Curitiba não seja só perfeito, mas seja incentivador para que outras regiões do estado, para que possam gerar mais empregos, renda e oportunidade para as pessoas trabalharem com algo que faz bem, a gastronomia. Essa valorização da culinária em Curitiba tem essa grande vantagem de ser vanguarda em vários aspectos de conceito, receita, modalidades temáticas e preço bom com qualidade", afirmou.

Na próxima semana uma comissão formada pelo setor irá discutir a criação da nova lei com a Secretaria de Governo Municipal.