requião filho deputado golpe

Deputado Requião Filho tem dados roubados e usados em golpe

O deputado estadual Requião Filho (MDB) teve os dados usados em um golpe de aluguel de imóveis. O suspeito anunciou um apartamento em Guarujá, litoral de São Paulo, e lucrou R$ 700 com o suposto aluguel do imóvel.

O deputado teve o nome completo e o CPF registrados no contrato. Além disso, a mulher só percebeu que foi enganada quando entrou em contato com Requião Filho.

“Pegaram meus dados na internet e fizeram contrato de locação de móvel com meu nome de um apartamento no Guarujá. Estava vendo o Facebook quando recebi uma mensagem de uma moça dizendo que ela teria alugado o apartamento meu e que o responsável por esse contrato não estava respondendo mais suas mensagens”, conta o deputado.

Os dois acabaram fazendo boletins de ocorrência – ele em Curitiba e ela em Mato Grosso. Além disso, eles avisaram a Polícia Civil do Guarujá, que já tem pistas sobre o suspeito.

“Tudo indica que ele é de São Paulo. Espero que a polícia encontra ele e ele responda por esse absurdo”, avalia o deputado.

“Fica a dica para quem vai alugar imóveis no verão. Procure sites confiáveis e jamais acredite em ‘negócios da China’. Bons apartamentos e boas casas muito baratas devem levantar a bandeira vermelha”, completou Requião Filho, alertando a população sobre esse tipo de golpe.

sarampo paraná curitiba surto, casos confirmados vacina prevenção vacinação

Sarampo: casos aumentam no Paraná e ‘Dia D de vacinação’ acontece neste sábado

O número de casos de sarampo cresceu em todo o Paraná: são 54 novos registros da doença desde o boletim divulgado pela Secretaria de Saúde na semana passada.

Para combater esse aumento, a primeira fase da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo 2019 terá o seu Dia D neste sábado (19). Curitiba, com o maior número de casos, terá 12 postos de atendimento para as crianças receberem a vacina.

Segundo os números oficiais, são 157 ocorrências de sarampo no Paraná em 2019. Destas, 89 são de pacientes entre 20 e 29 anos.

Na capital paranaense, o número de casos de sarampo subiu para 123 confirmações. Só nesta semana, foram 43 casos – 20 deles são importados e a faixa etária de maior frequência (88%) é de 15 a 29 anos.

No total, 14 municípios têm casos confirmados. Almirante Tamandaré, Campina Grande do Sul, Campo do Tenente, Campo Largo, Colombo, Curitiba, Fazenda Rio Grande, Jacarezinho, Londrina, Maringá, Pinhais, Ponta Grossa, Rolândia e São José dos Pinhais sofrem com a doença.

CAMPANHA CONTRA O SARAMPO

Curitiba - Vacinação - Sarampo - Crianças
Cesar Brustolin/SMCS

Curitiba terá atendimento a crianças de seis meses a cinco anos em 12 unidades de saúde, das 8h às 17h.

Nessa fase da campanha, o foco adotado pelo Ministério da Saúde é direcionado para o público infantil, com muitas crianças ainda sem terem sido vacinadas ou com sua situação vacinal em dia.

As crianças deverão tomar duas doses da vacina contra o sarampo, com a segundo dose sendo administrada após o primeiro ano de idade.

O Ministério da Saúde também recomendou uma dose extra para bebês entre 6 a 11 meses. Mas por ter caráter temporário, é necessário que após um ano as vacinas previstas no calendário das crianças sejam aplicadas.

IMUNIZAÇÃO

Curitiba tem registrado bons índices nas imunizações. Para as crianças de 1 ano de idade a cobertura é de 101,7% em relação à primeira dose e de 93,6% em relação à segunda dose, segundo dados coletados até o final de setembro. Nos dez anos anteriores, a cobertura ficou entre 93% e 100,4%.

Por isso, o foco do município é a vacinação dos bebês de 6 a 11 meses. De acordo com o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde, Alcides Oliveira, essa recomendação de faixa etária é recente.

Até 14 de outubro deste ano, 166.176 doses de vacina contra o sarampo foram aplicadas em Curitiba. O número corresponde um aumento de 68% em relação a todo o ano de 2018 e 2,5 vezes mais que as doses realizadas em 2017.

A vacina é contraindicada para menores de 6 meses, gestantes, pacientes imunodeprimidos ou com histórico de reação alérgica grave, após dose prévia ou após contato com as substâncias que compõem a vacina. Recomenda-se também um intervalo de 30 dias após a vacina para as mulheres que desejam engravidar.

Além do Dia D da campanha, os pais ainda poderão imunizar os filhos até 25 de outubro, sempre de segunda a sexta-feira, em 110 unidades de saúde do município.

Já na segunda etapa da campanha, de 18 a 30 de novembro, o público-alvo serão os jovens adultos entre 20 a 29 anos.

De acordo com o calendário de vacinação do Ministério da Saúde, adolescentes e adultos de até 29 anos devem ter duas doses da vacina contra o sarampo, feitas após um ano de idade. Adultos de 30 a 49 anos devem ter pelo menos uma dose, feita após um ano de idade.

LOCAIS DE VACINAÇÃO NO DIA D EM CURITIBA

Distrito Sanitário Bairro Novo
Unidade de Saúde Bairro Novo (Rua Paulo Rio Branco de Macedo, 791, Sítio Cercado)
Unidade de Saúde Sambaqui (Rua Roberto Dala Barba, 44, Sítio Cercado)

Distrito Sanitário Boa Vista
Unidade de Saúde Barreirinha (Rua Santa Gemma Galgani, 353, Barreirinha)
Unidade de Saúde Bairro Alto (Rua Jornalista Alceu Chichorro, 314, Bairro Alto)

Distrito Sanitário Boqueirão
Unidade de Saúde Vila Hauer (Rua Waldemar Kost, 650, Hauer)

Distrito Sanitário Cajuru
Unidade de Saúde Cajuru (Rua Pedro Bochino, 750, Vila Oficinas)

Distrito Sanitário CIC
Unidade de Saúde Oswaldo Cruz (Rua Pedro Gusso, 3749, CIC)

Distrito Sanitário Matriz
Unidade de Saúde Ouvidor Pardinho (Rua 24 de Maio, s/nº, Praça Ouvidor Pardinho)

Distrito Sanitário Pinheirinho
Unidade de Saúde Fanny Lindoia (Rua Condes dos Arcos, 295, Lindoia)

Distrito Sanitário Portão
Unidade de Saúde Vila Guaíra (Rua São Paulo, s/nº, Vila Guaíra)

Distrito Sanitário Santa Felicidade
Unidade de Saúde Campina do Siqueira (Rua Gal. Mario Tourinho, 1684, Campina do Siqueira)

Distrito Sanitário Tatuquara
Unidade de Saúde Moradias da Ordem (Rua Jovenilson Américo de Oliveira, 240, Tatuquara

Justiça decide que Edison Brittes tem que pagar pensão para filha do ex-jogador Daniel

A Justiça do Paraná decidiu, nesta quarta-feira (16), que Edison Brittes Júnior, assassino confesso do ex-jogador Daniel Correia Freitas, assuma o pagamento da pensão alimentícia para a filha de Daniel até que ela complete 25 anos.

O valor a ser pago para a criança, que hoje tem apenas 2 anos, é de R$ 5 mil mensais e deverá se feito todo dia 10 de cada mês. Até a menor atingir a idade estabelecida, ela deve receber R$ 14,5 milhões.

A decisão da juíza Márcia Hübler Mosko, da 3ª Vara Cível de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, atende ao pedido feito pela mãe da filha do jogador, Bruna Larissa Ferreira Martins, e começa a valer assim que Edison Brittes  receber a intimação.

A decisão diz ainda que o pedido de pensão se faz necessário porque a menor não tem condições de se sustentar. “A criança é absolutamente dependente dos genitores, conforme estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente”, afirma a juíza Márcia Mosko, que decidiu ainda que a obrigação do pagamento não pode recair, por ora, sobre os outros corréus da ação, ficando somente responsável pelo pagamento o empresário Edison Brittes.

 A decisão é liminar e ainda cabe recurso.

MORTE DE DANIEL: RELEMBRE O CASO

O corpo do jogador Daniel Corrêa foi encontrado no dia 27 de outubro de 2018 em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. O jogador estava mutilado, teve o pênis decepado e tinha dois ferimentos profundos no pescoço.

O jogador, revelado pelo clube mineiro Cruzeiro, teve passagens pelo Coritiba, São Paulo, Ponte Preta, Botafogo e São Bento.

Segundo a investigação, Daniel Corrêa foi a Curitiba para participar do aniversário de 18 anos de Allana Brittes, filha do empresário Edison Brites. A festa, que começou em uma casa noturna da capital paranaense, se estendeu até a residência da família Brittes, último lugar que o jogador teve contato com amigos pelo WhatsApp. Foi lá que ele foi espancado e depois conduzido no porta-malas do carro de Edison até a Colônia Mergulhão, onde foi morto.

O empresário foi gravado em ligação com um amigo da vítima se lamentando sobre o sumiço do atleta e dando outra versão sobre o que aconteceu na noite em que Daniel morreu. Na ligação, que aconteceu após o corpo de Daniel ter sido encontrado e identificado, Edison Brittes diz que não sabia como Daniel foi embora e que estava chocado com o caso. Falou também que teve que dar calmante para a filha, Allana, após saberem da morte da vítima e que ele chegou a ligar para a irmã de Daniel para dar os pêsames.

O empresário afirma que Daniel estava no quarto tentando estuprar Cristiana Brittes, esposa do empresário. O delegado Amadeu Trevizan declarou, na época, que a família Brittes mentiu nos depoimentos e que teria formulado uma história.

DEFESA

Em nota, o advogado de defesa de Edison Brittes Jr, Claudio Dalledone Junior, informou que ainda não foi notificado da decisão liminar oficialmente.

No entanto, ressalta que uma liminar é uma situação precária e provisória que pode ser revertida a qualquer momento com a devida argumentação dos fatos.

 

 

motorista detran carro muro

Mulher derruba muro durante teste de motorista em Curitiba

Uma motorista que fazia o teste de direção, em um carro de autoescola, perdeu o controle do veículo e derrubou parte do muro do Detran-PR (Departamento de Trânsito do Paraná), em Curitiba.

A mulher perdeu o controle do carro enquanto fazia o teste de baliza, na quarta-feira (16).

Segundo o Detran-PR, o muro foi erguido há uma semana, durante uma reforma. Além disso, parte do acabamento tinha sido feito nesta terça-feira (15).

O funcionário do Detran, que acompanhava o teste da motorista, estava atrás do carro na hora do acidente, mas conseguiu escapar e não se feriu.

A motorista foi atendida e também não teve ferimentos.

Confira fotos do acidente que aconteceu no Detran-PR:

lava jato julgamento stf réus

Julgamento do STF pode afetar Lula e outros 429 acusados na Lava Jato, diz MPF

A força-tarefa da Lava Jato em Curitiba diz, em nota divulgada nesta quinta-feira (17), que 430 acusados na operação podem ser beneficiados com o julgamento do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre a prisão depois da condenação em segunda instância.

Os ministros decidem, na tarde de hoje, se os réus devem cumprir pena na prisão – como funciona atualmente – ou se podem aguardar em liberdade enquanto recorrem aos tribunais superiores.

O cálculo do MPF (Ministério Público Federal) inclui alvos que estão soltos, muitos nem mesmo foram condenados, ou condenados que cumprem a pena nos regimes fechado, harmonizado (tornozeleira), semiaberto e aberto.

307 são alvos que ainda esperam o julgamento em primeira instância. Ou seja, vêem a possibilidade de cumprir pena após um longo período de trânsito do processo.

Outras 85 pessoas, já condenadas na primeira instância, também serão amparadas na espera da análise dos seus recursos.

Mas os principais nomes estão entre os 38 réus da Lava Jato que já foram condenados na segunda instância, que poderão ser favorecidos imediatamente. É o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da SilvaEduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, José Dirceu, ex-ministro, Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, além de João Vaccari Neto e Delúbio Soares, ex-tesoureiros do PT (Partido dos Trabalhadores), estão entre os presos – seja em regime fechado, semiaberto ou com tornozeleira eletrônica – que vivem a expectativa de liberdade.

Do núcleo político ainda aparecem os ex-senadores Gim Argello e João Cláudio Genu, além do ex-deputado André Vargas. Por fim, outros nomes em destaque são dos ex-diretores da Petrobras Renato Duque e Jorge Zelada- confira a lista completa abaixo.

STF CAUSA ‘PREOCUPAÇÃO’ NA LAVA JATO

deltan dallagnol, procurador, lava jato, chefe lava jato, ministerio publico
Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. (Geraldo Bubniak/AGB)

A situação delicada que vive a operação gera muita tensão. Em nota divulgada durante essa madrugada, a força-tarefa da Lava Jato expressou preocupação, o que reafirma o dia de alerta da operação. Contudo, os procuradores ainda afirmaram ter “confiança” que o STF vai prezar pela estabilidade e segurança jurídica.

A ideia é que a reversão da ideia vai gerar demora e prescrição nos julgamentos, além de insegurança jurídica, o que seria uma grande derrota na luta contra a corrupção no país.

“Mais de 300 acusados, como Romero Jucá e Edson Lobão, que cumpririam suas penas daqui a dois ou três anos se forem condenados, passarão a cumpri-las depois de dez ou quinze anos. Se é que isso acontecer, porque é muito comum que esses casos prescrevam pelo decurso do tempo e o resultado seja a impunidade. Pode ser o retorno de um tempo de que não temos saudades”, declarou o procurador da República e coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol.

Já Marcelo Ribeiro, membro da força-tarefa, também expressou preocupação. “A demora e a impunidade no julgamento de réus abastados são incompatíveis com uma justiça republicana, que deve absolver inocentes e punir culpados dentro de um tempo razoável. Além disso, já houve quatro julgamentos sobre o assunto desde 2009, sendo o último ainda em 2016, o que gera visível instabilidade e insegurança jurídica”, completa.

A NOTA DA LAVA JATO E A LISTA DOS RÉUS 

Confira a nota divulgada pelo MPF:

A força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná (MPF/PR) expressa preocupação com a possibilidade de reversão do entendimento sobre a possibilidade da prisão depois de condenação em segunda instância.

A reversão estaria em flagrante dissonância com o sentimento de repúdio à impunidade e com o combate à corrupção, uma das prioridades do país.

A posição institucional do Ministério Público Federal é favorável à execução provisória da pena após o julgamento de segunda instância. A Procuradoria-Geral da República e a Câmara Criminal do Ministério Público Federal (2CCR/MPF) já se manifestaram dessa forma ao longo dos anos.

Em nota de 2018, os membros da Câmara Criminal do Ministério Público Federal (2CCR/MPF) afirmam que a mudança de entendimento contribui para a insegurança jurídica e para o aumento da impunidade, e acrescentam: “além do mais, pode significar a soltura de inúmeras pessoas com condenações por crimes gravíssimos como homicídio, latrocínio, estupro, pornografia infantil, participação em milícias, organizações e facções criminosas, corrupção, desvio de recursos públicos e fraudes a licitação, que prejudicam a real implementação de políticas públicas como as de saúde, educação e segurança pública.”

Diante de tudo isso, a força-tarefa Lava Jato reafirma a confiança de que o Supremo Tribunal Federal, zelando pela efetividade e pela credibilidade da Justiça, primará pela estabilidade e manterá a segurança jurídica, contribuindo simultaneamente para um ambiente desfavorável à impunidade e à corrupção sistêmica revelada nos últimos anos.

Veja a lista, divulgada pelo MPF, com os 38 réus da Lava Jato que poderão se beneficiar imediatamente com a decisão do STF nesta quinta:

Luiz Inácio Lula da Silva
Eduardo Cosentino da Cunha
José Dirceu de Oliveira e Silva
Sergio de Oliveira Cabral Santos Filho
João Vaccari Neto
Delúbio Soares de Castro
Roberto Gonçalves
Ivan Vernon Gomes Torres Junior
Luiz Eduardo de Oliveira e Silva
Julio Cesar dos Santos
Pedro Augusto Corte Xavier
Roberto Marques
João Cláudio de Carvalho Genu
Leon Denis Vargas Ilario
Gerson de Mello Almada
Dario Teixeira Alves Junior
Sonia Mariza Branco
Enivaldo Quadrado
Natalino Bertin
Ronan Maria Pinto
Raul Henrique Srour
Luiz Carlos Casante
Flavio Henrique de Oliveira Macedo
João Augusto Rezende Henriques
Jorge Luiz Zelada
Salim Taufic Schahin
Wilson Carlos Cordeiro da Silva Carvalho
Sérgio Cunha Mendes
Alberto Elísio Vilaça Gomes
Fernando Antônio Guimarães Hourneaux de Moura
João Procópio Junqueira Pacheco de Almeida Prado
Márcio de Andrade Bonilho
André Luiz Vargas Ilário
Ricardo Hoffmann
José Carlos Costa Marques Bumlai
Renato de Souza Duque
Jorge Afonso Argello
Eduardo Aparecido de Meira

Caixa - FGTS - Trabalhador

Caixa inicia nesta sexta pagamento do FGTS para não correntistas

A Caixa Econômica Federal inicia nesta sexta-feira (18) mais uma etapa de liberação do Saque Imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Esta fase é para trabalhadores que não têm conta na Caixa.

Os trabalhadores nascidos em janeiro que não têm conta no banco poderão sacar até R$ 500 de cada conta ativa ou inativa do fundo. Serão cerca de 4,1 milhões de pessoas nesta etapa, com injeção de R$ 1,8 bilhão na economia.

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, essa é a fase mais complexa dos pagamentos. “Até agora, os três primeiros pagamentos, como eram de clientes da Caixa, 82% dos 36 milhões de pessoas sacaram pelo celular. Os próximos 12 pagamentos utilizaremos, em especial, as lotéricas. Esperamos movimento grande e presencial”.

Segundo Pedro Guimarães, o banco terá gastos de R$ 1 bilhão, com os pagamentos do FGTS, como com horas extras de funcionários e taxas para as lotéricas. Por isso não há como dar gratuidade nas tarifas de transferências para clientes com contas em outros bancos.

De acordo com a Caixa, 40% dos 96 milhões de brasileiros com direito ao saque já receberam os valores referentes ao Saque Imediato. Desse total, 82% movimentaram o dinheiro pelo celular, sem precisar ir a agências.

Em um mês, mais de R$ 15 bilhões em crédito em conta foi feito para quase 37 milhões de trabalhadores. Quem tem conta-poupança na Caixa ou crédito em outro tipo de conta do banco recebeu o dinheiro automaticamente.

Os saques do FGTS podem resultar em uma liberação de cerca de R$ 28 bilhões na economia. Para 2020, serão mais R$ 12 bilhões.

ATENDIMENTO

Os saques de até R$ 500 podem ser feitos nas casas lotéricas e terminais de autoatendimento para quem possui senha do cartão cidadão. Quem tem cartão cidadão e senha pode sacar nos correspondentes Caixa Aqui, apresentando documento de identificação, ou em qualquer outro canal de atendimento.

No caso dos saques de até R$ 100, a orientação da Caixa é procurar casas lotéricas, com apresentação de documento de identificação original com foto. Segundo a Caixa, mais de 20 milhões de trabalhadores podem fazer o saque só com o documento de identificação nas lotéricas.

Quem não tem senha e cartão cidadão e vai sacar mais de R$ 100, deve procurar uma agência da Caixa.

Embora não seja obrigatório, a Caixa orienta ainda, para facilitar o atendimento, que o trabalhador leve também a carteira de trabalho para fazer o saque. Segundo o banco, a Carteira de Trabalho pode ser necessária para atualizar dados.

As dúvidas sobre valores e data do saque pode ser consultadas no aplicativo do FGTS (disponível para iOS e Android), pelo site ou pelo telefone de atendimento exclusivo 0800 724 2019, disponível 24 horas.

A data limite para saque é 31 de março de 2020. Caso o saque não seja feito até essa data, os valores retornam para a conta do FGTS do trabalhador.

HORÁRIO ESPECIAL

Para facilitar o atendimento, a Caixa vai abrir 2.302 agências em horário estendido na sexta (18), segunda (21) e terça-feira (22). As agências que abrem às 8h, terão o encerramento do atendimento 2 horas depois do horário normal de término. As que abrem às 9h, terão atendimento uma hora antes e uma hora depois. Aquelas que abrem às 10h, iniciam o atendimento com duas horas de antecedência. E as que abrem às 11h, também iniciam o atendimento duas horas antes do horário normal.

A lista das agências com horário especial de atendimento está no site da Caixa.

Essas agências também abrirão no sábado (19), das 9h às 15h (horário local), para fazer pagamentos, tirar dúvidas, fazer ajustes de cadastro dos trabalhadores e emitir senha do Cartão Cidadão.

A Caixa destaca que o Saque Imediato não altera o direito de sacar todo o saldo da conta do FGTS, caso seja demitido sem justa causa ou em outras hipóteses previstas em lei. Essa modalidade de saque não significa que houve adesão ao Saque Aniversário, que é uma nova opção oferecida ao trabalhador, em alternativa à sistemática de saque por rescisão do contrato de trabalho. Por meio do Saque Aniversário, o trabalhador poderá retirar parte do saldo da conta do FGTS, anualmente, de acordo com o mês de aniversário.

SEGURANÇA

O vice-presidente de Distribuição da Caixa, Valter Nunes, afirmou que a Caixa tem um plano de segurança para esta etapa de saques, envolvendo a Polícia Federal e as polícias regionais, com sistema de rondas em locais de saque. Por se tratar de uma questão segurança, ele afirmou que não dará detalhes sobre o plano. Além disso, informou que há uma equipe de trabalho disponível para ocorrências relacionadas a segurança, reposição de numerário e outros problemas, até o fim dos pagamentos.

tortura preso pai filho paraná

Mulher é torturada com facão por ex-namorado; suspeito foge, mas pai é preso

Uma mulher de 19 anos foi torturada, com um facão, pelo ex-namorado, 20. O crime, motivado por ciúmes, aconteceu nesta terça-feira (15), em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

O pai do rapaz, de 50 anos, fez a denúncia contra o próprio filho à Guarda Municipal após chegar em casa e flagrar a violência. Entretanto, o senhor acabou sendo preso pela PCPR (Polícia Civil do Paraná).

“Ele impediu que a tortura progredisse, mas foi autuado em flagrante pelo artigo 16 do Estatuto do Armamento”, conta o delegado Francisco Sampaio.

O senhor foi detido porque os policiais fizeram uma busca na residência onde a tortura aconteceu. Lá, foram encontradas duas pistolas 9 milímetros, junto com quatro carregadores e 44 munições além do facão.

O pai do suspeito alegou desconhecimento sobre todo o material. No entanto, como seu filho tinha fugido, ele mesmo acabou sendo autuado por posse ilegal de arma.

“Sinceramente, acredito que não sejam dele. Mas como o filho não estava ali, responde o dono da casa”, completa o delegado.

Para não ficar preso, o senhor pagou a fiança – fixada pela polícia em R$ 3 mil – e já está em liberdade.

TORTURA “FOI CRUEL”, DIZ DELEGADO

Ainda segundo o delegado Francisco Sampaio, a mulher contou que correu risco de morte e que seu ex-namorado estava muito violento.

“Foi cruel, a lesão foi gravíssima. Ele batia nela com os joelhos e com o facão no rosto. Poderíamos estar falando de um óbito neste momento”, conta o delegado.

Além disso, o suspeito teria dito que iria se entregar à polícia.

“Ele estava falando com a irmã pelo WhatsApp o tempo inteiro e garantindo que iria se apresentar. Quando viu que seu pai estava enroscado, ele deve ter pensando em se apresentar, mas o deixou responder pelas duas armas”, completa Sampaio.

O caso ainda foi encaminhado à Delegacia da Mulher de Foz do Iguaçu, que não quis se manifestar à reportagem. A expectativa é que seja um mandado de prisão preventiva ao homem.

Operação Mustela - fura fila SUS

Médica é afastada no PR por cobrar até R$ 9 mil de pacientes para furar fila do SUS

Uma médica que atuava no Hospital Angelina Caron, no município de Campina Grande do Sul, na Grande Curitiba, foi afasta depois de uma denúncia criminal, oferecida pelo MPPR (Ministério Público do Paraná).

Segundo a denúncia, a médica cobrava até R$ 9 mil reais dos pacientes para priorizar atendimento e procedimentos realizados pelo  SUS (Sistema Único de Saúde).  Pelos menos 7 pessoas foram vítimas da médica, todas elas idosas.

A decisão da Justiça é da última sexta ( 11) e resulta de investigações da Operação Mustela, deflagrada pelo MPPR em dezembro de 2018 , que trata da prática criminosa no SUS em diversas cidades paranaenses.

Segundo a denúncia, a médica fazia a mediação das cobranças aos pacientes com a ajuda de uma ex-servidora comissionada da Prefeitura de Francisco Beltrão e de um ex-assessor comissionado da Assembleia Legislativa do Paraná.

O político José Carlos Martins, o Zé Mano, é vereador pelo PPS no município de Bandeirantes (PR) e também participava do esquema de fraude.

Eles usavam  de sua posição política para obter aprovação pública e furar a na fila do SUS favorecendo pacientes que pagavam pelos procedimentos, entre os anos de 2016 e 2018.

Além dos agentes públicos, foi denunciada também uma outra mulher que fornecia dados da sua conta corrente para as transferências bancárias.

OPERAÇÃO MUSTELA

No Paraná, fraude para furar fila do SUS envolveu mais de R$ 100 mil até agosto. A operação, batizada de Operação Mustela, é  uma alusão aos mamíferos que inclui animais conhecidos como furões.

O esquema criminoso começou a ser investigado pelo Ministério Público em 2017. A partir de depoimentos de vítimas e informações obtidas por meio de interceptação telefônica e quebra de dados, a Operação Mustela foi deflagrada em dezembro de 2018, com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado.

“A situação que ocorre é que as pessoas que vão até o SUS são atendidas em uma certa ordem e, eventualmente, essa ordem é alterada de acordo com a urgência desse atendimento. As pessoas que normalmente seriam atendidas acabam procurando ou procuradas por intermediários e conseguem, com seus contatos com médicos, furarem a fila em prejuízo de todos os demais. Como eles furam a fila? Eles furam a fila pagando”, explica coordenador do GaecoGrupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado)  no Paraná, Leonir Batisti.

INVESTIGAÇÃO

A médica e outros quatro agentes públicos foram denunciados pelo crime de concussão (exigir vantagem em razão da função que exerce). Além do afastamento da médica, a decisão, proferida pela Vara Criminal de Campo Largo, impôs a proibição de os réus em manter qualquer contato com as vítimas.

À época, foram cumpridos mandados de buscas e apreensão e de prisão temporária contra alguns dos envolvidos. Médicos de outro hospital, de Campo Largo, já foram afastados das funções no SUS em decorrência de várias denúncias oferecidas pelo MPPR.

DEFESA

O Hospital Angelina Caron emitiu uma nota informando que ainda não foi notificado formalmente sobre a decisão do Ministério Público de afastar das atividades a médica acusada de efetuar cobranças indevidas de pacientes. A nota diz ainda que após consulta ao processo, suspendeu os atendimentos realizados pela médica, de acordo com a decisão judicial. O Hospital tomará as providências necessárias para o cumprimento da decisão.

Até o fechamento desta matéria não conseguimos contato com o vereador José Carlos Martins (PPS), o Zé Mano, do município de Bandeirantes, norte Paraná. O vereador foi preso temporariamente no início da Operação Mustela, em dezembro de 2018.

prefeito paraná são jerônimo da serra operação

Prefeito e vice de cidade no norte do PR são presos em operação contra corrupção

João Ricardo de Mello, prefeito de São Jerônimo da Serra, no norte do Paraná, teve seu mandato suspenso nesta quarta-feira (16) após ser preso no âmbito da Operação Déjà-vu. A ação, deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), investiga crimes como fraude em licitações, corrupção e falsidade ideológica.

Além dele, o vice-prefeito Laercio Correia também foi detido. Ele teria sido “apenas” afastado do cargo, mas acabou sendo preso em flagrante por posse ilegal de armas. Além dele, a secretária municipal de Saúde e um servidor da administração do município foram afastados das suas funções.

Eles cumprem medidas cautelares a partir de agora. Entre as restrições impostas pelo MPPR (Ministério Público do Paraná), eles não podem frequentar a prefeitura e nem mesmo manter contato com outros servidores.

OPERAÇÃO DÉJÀ-VU: MANDADOS EM SETE CIDADES

As investigações do MPPR apuram a existência de um esquema para fraudar licitações em diversas secretarias de São Jerônimo da Serra. A fraude que mais chama a atenção é a compra de peças e manutenção da frota de veículos municipais.

A operação ainda prendeu presos outros seis empresários e uma pessoa que intermediava as negociações.

Ao todo, foram cumpridos os oito mandados de prisão e mais 43 de busca e apreensão. Eles foram cumpridos em seis cidades: Curitiba, Londrina, Cambé, Cornélio Procópio, Assaí, Cruzmaltina e Nova Santa Bárbara.

Todos os mandados foram expedidos pelo TJ-PR (Tribunal de Justiça do Paraná).

operação quadrilha curitiba golpe paraná

Suspeita de lucrar R$ 30 milhões em golpes, quadrilha é alvo de operação em Curitiba

Um grupo criminoso, suspeito de faturar mais de R$ 30 milhões com o golpe da pirâmide financeira, é alvo de uma operação da PCPR (Polícia Civil do Paraná) nesta quarta-feira (10).

Mais de 20 mandados, de prisões temporárias e busca e apreensão, são cumpridos em seis bairros de Curitiba (veja a lista abaixo) e em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana da capital paranaense.

Campo Comprido, Cidade Industrial, Jardim das Américas, Novo Mundo, Santa Quitéria e Uberaba são alguns dos endereços ligados à quadrilha e onde os policiais civis estão fazendo as buscas.

Itens já apreendidos na operação desta manhã. (Divulgação / Polícia Civil)

GOLPE DA QUADRILHA NO PARANÁ

De acordo com as investigações da PCPR, o grupo, especializado no golpe da pirâmide financeira, empenhava-se em recrutar pessoas para fazer investimentos na empresa. Nisso, o grupo fazia a promessa, a terceiros, de gerar um retorno financeiro de 30% sob o capital investido em um período de três meses.

Em um dos casos, os suspeitos forjaram um contrato de garantia de veículo, avaliado em R$ 67 mil, prometendo rentabilidade de 50% em três meses.

No curso das investigações, a PCPR descobriu que a empresa e demais membros que a compunham não possuíam qualquer tipo de credenciamento para operar com administração de carteira de valores mobiliários.

Mais informações da quadrilha, e seus golpes, serão repassadas pelo delegado André Gustavo Feltes, em entrevista coletiva, ainda nesta quarta-feira.