1,4 milhão de paranaenses já foram vacinados contra a gripe

Mariana Ohde


Em uma semana de campanha, o Paraná já vacinou cerca de 1,4 milhão de pessoas contra o vírus da gripe. Isso representa 53% do público-alvo estimado para este ano, que envolve idosos (maiores de 60 anos), crianças (maiores de 6 meses e menores de 5 anos), gestantes, mulheres que deram a luz nos últimos 45 dias, doentes crônicos, trabalhadores de saúde, população indígena e privados de liberdade.

Para o coordenador estadual de Imunização, João Luis Crivellaro, o grupo dos doentes crônicos também demanda atenção especial. “Trata-se de pessoas com a saúde mais frágil e que precisam ser protegidas. Quem tem doença de base apresenta alto risco de desenvolver o quadro grave de gripe”, alertou.

Segundo o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, o bom desempenho nos primeiros sete dias de campanha mostra que o Paraná acertou ao antecipar o início da vacinação. “As temperaturas estão caindo e o risco de transmissão da gripe só aumenta. Por isso, é importante que quem ainda não se vacinou, vá à unidade de saúde mais próxima para se proteger”, ressaltou.

O apelo se deve ao fato da vacina demorar pelo menos 15 dias para conceder proteção adequada ao indivíduo. Neste ano, a dose disponível na rede pública é eficaz contra os três tipos de vírus da gripe mais circulantes no país: Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B. Um esquema especial de logística foi realizado para agilizar a distribuição das doses e garantir o abastecimento das unidades de saúde cinco dias antes do início da campanha nacional, lançada no último sábado (30).

Até o momento, o Ministério da Saúde enviou apenas 2,1 milhão de doses, o equivalente a 72% da cota de vacinas que o Paraná tem direito ao longo da campanha. Um novo lote, com 312 mil doses, deve chegar ao estado na próxima quinta-feira (5) e logo em seguida será descentralizado aos municípios.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide de Oliveira, a recomendação é que as prefeituras deem seguimento a campanha e remanejem, se necessário, doses de uma unidade de saúde para outra. “Enquanto as novas doses não chegam do Ministério, os municípios devem otimizar o estoque e disponibilizar mais vacinas onde a demanda é maior”, detalhou.

Até o dia 20 de maio, o estado espera imunizar pelo menos 2,9 milhões de paranaenses. A preocupação é maior com as gestantes, que constituem o grupo com a menor cobertura vacinal até agora (39%).

Fonte: AEN

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal