18 municípios devem receber projeto de habitação para famílias de baixa renda

Mariana Ohde


Representantes de 18 cidades da Região Metropolitana de Curitiba e do litoral assistiram, nesta semana, à apresentação do programa Família Paranaense da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social. O objetivo da reunião foi apresentar o projeto de redução do déficit habitacional que está em fase de implantação.

O projeto é um Chamamento Público, que está tramitando e será aberto em fevereiro para a seleção de municípios interessados em apresentar lotes urbanos para implantação de unidades habitacionais destinadas ao atendimento de famílias em maior grau de vulnerabilidade social. O chamamento será lançado pela Secretaria da Família e Desenvolvimento Social e os recursos são oriundos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

A apresentação foi feita pelo diretor de Regularização Fundiária da Cohapar, Nelson Cordeiro Justus, e a coordenadora do programa Família Paranaense, Letícia Reis.

As 18 cidades participantes estão entre os 156 municípios prioritários do programa.

Processo de adesão

Durante a reunião, foram apresentados a documentação necessária para a prefeitura aderir ao processo e também as atribuições do município. Cada cidade pode apresentar de dez a 50 lotes, que deverão ser aprovados pela Cohapar, que avaliará as condições técnicas.

As casas a serem construídas terão 32 metros quadrados, com dois quartos, sala, cozinha e banheiro. 5% do número total de lotes serão destinados a portadores de deficiência e, nestes casos, as moradias terão 49 metros quadrados e serão totalmente adaptadas.

Paraná

Estas reuniões estão sendo realizadas em todo o estado pelos escritórios regionais da Cohapar e da Secretaria da Família.

“Estamos orientando as prefeituras para que possamos atender as famílias mais necessitadas. Temos uma boa parceria com a Secretaria da Família e estamos contribuindo com todo o nosso conhecimento para que o projeto atenda o maior número possível de pessoas com casas a preços baixos”, disse o diretor da Cohapar.

Segundo Letícia Reis, sem a Cohapar, a Secretaria não conseguiria fornecer moradias, algo que é imprescindível para novas condições de vida das famílias. “Ter uma casa própria é fundamental para que as pessoas conquistem seu espaço na sociedade e a Cohapar possui o conhecimento de como realizar este trabalho”, disse ela.

Além disso, as pessoas são acompanhadas por um comitê local que desenvolve planos de ação individualizados para que famílias superem suas condições de vulnerabilidade e consigam alcançar melhores patamares de vida.

Municípios participantes

Agudos do Sul, Almirante Tamandaré, Antonina, Bocaiúva do Sul, Campo do Tenente, Cerro Azul, Contenda, Doutor Ulysses, Guaraqueçaba, Guaratuba, Itaperuçu, Mandirituba, Morretes, Piraquara, Quitandinha, Rio Branco do Sul, Tijucas do Sul, Tunas do Paraná.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="411320" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]