Empresa curitibana cria aplicativo para proteger motoristas de assaltos e sequestros

Os vários casos de violência contra motoristas de aplicativos e taxistas motivaram uma empresa curitibana a criar uma fe..

Francielly Azevedo - CBN Curitiba - 23 de junho de 2018, 14:40

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os vários casos de violência contra motoristas de aplicativos e taxistas motivaram uma empresa curitibana a criar uma ferramenta para ajudar os profissionais durante assaltos e sequestros relâmpagos.

O dispositivo de proteção possibilita ao motorista bloquear o veículo ou pedir ajuda por meio de um botão de pânico. Ele também avisa caso alguém tente mexer no veículo, quando estacionado.

O equipamento é simples e cabe na palma da mão. O analista de sistemas, Johnatan Cardozo, que desenvolveu o aplicativo, explica que, por ser discreta, a ferramenta não chama a atenção dos bandidos. "A ferramenta, que é um rastreador, mede mais ou menos 5 cm. É pequeno. Ele pode instalar no carro", explica.

Quando acionado, ele envia, ainda, um sinal de emergência a uma rede cadastrada de contatos, criada conforme a escolha do usuário. Por meio do celular, tablet ou desktop, é possível inscrever pessoas que receberão o alerta em caso de perigo. Após acionadas, elas podem acompanhar em tempo real as movimentações o veículo, durante 24 horas. O sistema mantém o rastreamento do veículo mesmo sem internet.

Desde o início do ano, cinco motoristas de aplicativos de transporte foram mortos em Curitiba e Região Metropolitana. Cardozo diz que o alto índice de violência foi o motivo para criar o aplicativo. "Há um tempo, um motorista, em Curitiba, foi sequestrado, morto e tocaram fogo no carro dele", diz. Segundo Cardozo, na ocasião, ele pensou que, se ele pudesse ter avisado alguém, talvez a tragédia fosse evitada.

O analista de sistemas conta que já conversou com vereadores e representantes da prefeitura de Curitiba sobre a possibilidade da instalação do dispositivo em ônibus do transporte coletivo. "O motorista aperta o botão e a viatura mais próxima recebe o alerta", diz. "Os assaltos poderiam ser evitados e os bandidos, depois, sabendo da ferramenta, isso poderia coibir eles".