Combustível adulterado danifica 33 veículos da UEM

Mariana Ohde


O Laboratório de Análise de Combustíveis (LAC) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) começou a monitorar a qualidade dos combustíveis adquiridos pela instituição. A medida foi tomada após 33 veículos, entre motos e carros, pararem de funcionar por causa do uso de combustíveis adulterados. Entre os veículos danificados está uma ambulância. A UEM tem 250 veículos ao todo que são abastecidos em posto próprio da instituição.

Segundo a UEM, o combustível é adquirido por licitação e não há como informar que empresa fornece o produto. Todos os veículos que apresentaram problemas já foram consertados, porém o prejuízo registrado é de R$ 40 mil. A universidade vai tomar medidas judiciais contra a empresa fornecedora, que não teve o nome divulgado. Uma nova licitação já estava em andamento para escolher uma nova fornecedora.

O Laboratório de Análise de Combustíveis da universidade monitora, hoje, cerca de 30 postos da região para garantir que eles seguem as normais da Agência Nacional do Petróleo. Nesse caso, é emitido um selo de certificação e fixado às bombas.

Se uma análise apontar desacordo com as normas da ANP, o selo é imediatamente retirado. Em caso de reincidência, o posto ainda pode ser excluído do programa.

O laboratório atende também o Procon e pessoas físicas e jurídicas. A lista de postos credenciados, bem como o histórico dos laudos de cada estabelecimento, está disponível no site.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal