Delegados pedem efetivo e se dizem ‘babás de presos’

Mariana Ohde


Por Metro Curitiba

Mais de 900 presos, segundo a Associação dos Delegados de Polícia do Paraná (Adepol-PR), já fugiram de celas de delegacias do estado só em 2017. A associação publicou nesta quarta-feira (26) um “apelo à população” para que cobre do governo uma solução para o excesso de presos em carceragens da Polícia Civil. Hoje, há cerca de 30 mil detentos no Paraná. Destes, 10 mil estão sob tutela dos policiais e não no sistema penitenciário.

“A delegacia de polícia não é um local apropriado, ela não oferece a segurança necessária a um presídio. Ela não tem grade externa, não tem nenhuma estrutura de segurança”, diz o presidente da Adepol, João Ricardo Képes Noronha.

Em maio, a associação inaugurou em frente à sua sede no bairro Mercês, um “fujômetro”, placar que contabiliza as fugas de delegacias e tem o objetivo de alertar as pessoas para a ameaça que o problema traz. “As delegacias estão normalmente nos centros das cidades. O preso, perigoso, condenado – não é o preso recém-detido em flagrante, e sim cumprindo pena –, esse cara sai e cai direto no meio da comunidade”, denuncia.

Noronha repete uma queixa constante dos policiais nos últimos anos; que os agentes, em número já abaixo do recomendado, deixam de se dedicar às investigações como deveriam porque precisam ser “babás de presos”.

Noronha ilustra a situação com a Delegacia Cidadã de Matinhos, no Litoral. Inaugurada em 27 de abril deste ano, a unidade teve a fuga de quatro presos menos de um mês depois, em 22 de maio. Para fugirem, os detidos só precisaram quebrar uma janela e saltar uma pequena grade.

Procurada, a Secretaria de Segurança Pública (Sesp) diz que transfere, por semana, cerca de 150 presos de delegacias para o sistema prisional só em Curitiba e região, e reitera a meta de esvaziar as celas de polícia até o fim de 2018.

Déficit de agentes

Segundo levantamento da associação, a Polícia Civil tinha, em maio, 4.244 servidores na ativa para 7.305 vagas, ou seja, tem déficit de 3.061 pessoas (42%) no efetivo.

Sobre o assunto, a Sesp diz que o efetivo policial civil cresceu 18% entre 2011 e 2017, o que incluiu 130 novos delegados.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="444671" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]